Cultura

Cultura
Viseu: Teatro Viriato quer recuperar o público que foi perdido durante a pandemia

O Teatro Viriato, de Viseu, está apostado em “convocar a presença do público” com uma programação marcada por coproduções e parcerias com várias instituições. A nova programação foi apresentada esta quarta-feira (15 de setembro).  
Em conferência de imprensa, a diretora do Teatro Viriato, Patrícia Portela, disse que, depois de tanto tempo de pandemia, há “uma vontade de carregar no acelerador e pôr tudo como estava”.
“Queremos convocar de novo a presença. Há uma diferença entre estar em casa a ver e estar aqui a ver. Há uma diferença no cheiro, na cor, no tamanho, naquilo que aprendemos”, considerou.
Com o objetivo de estar mais próximo do público, o Teatro Viriato passará a contar com um espaço no centro comercial Fórum, denominado Meia Dose, que propõe pequenas 'performances', apresentações de livros, conversas, vídeos e exposições, entre 22 de setembro e 16 de dezembro.
Patrícia Portela disse que esta será uma forma de “pescar público” e de “seduzir mais espectadores, mais cidadãos, mais cúmplices e mais artistas”.
Entre outras, o Teatro Viriato terá também uma parceria com o Cine Clube de Viseu, que permitirá a estreia absoluta do cine-concerto “Filmitis versus Reinitis”, no dia 15 de outubro.
Segundo Rodrigo Francisco, do Cine Clube de Viseu, será possível assistir em palco à “cumplicidade que vem de longe” entre o músico Rui Reininho e o realizador Edgar Pêra: as imagens do primeiro a interpretar, em direto, letras que escreveu há 40 anos, serão misturadas com imagens pré-gravadas pelo segundo.
Haverá também a reedição do livro de poesia de Rui Reininho, intitulado “Sífilis Versus Bílitis”, acrescentou.
Outra estreia desta temporada é “Aleksei ou a Fé”, de Sónia Barbosa (22 e 23 de outubro), que chegou a estar marcada para fevereiro e que consiste na última fase da trilogia do “Projeto Karamázov”.
Será ainda apresentado o resultado de várias coproduções, entre as quais a nova criação do coreógrafo Paulo Ribeiro, que celebra, com o espetáculo “Segunda 2” os 26 anos da sua companhia (nos dias 19 e 20 de novembro).
Patrícia Portela destacou também a parceria com o MEXE - 6.º Encontro Internacional de Arte e Comunidade, que acontecerá em Lisboa, Porto e Viseu.
“Vamos ter apresentações que vêm do Porto e também do Chile. Temos um grupo de adolescentes chilenas que nos vêm falar sobre o abuso e a violência nas ruas do Chile”, referiu.
Nesta temporada, será ainda mantido o ciclo de música programado com a Galeria Zé dos Bois, de Lisboa.

Cultura
Herman José tem seis concertos na região de Viseu até 16 de outubro (com áudio)

O humorista e cantor Herman José está em digressão no distrito de Viseu, no âmbito da Rede Cultural organizada pela Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões. Uma iniciativa que envolve diversas coletividades da região.
Depois de no passado domingo (12 de setembro) ter atuado no Campo de Viriato, na cidade de Viseu, com a Filarmónica de Ribafeita, esta noite de quarta-feira o concerto estava marcado para Tondela, mas devido à previsão de chuva foi adiado para a próxima sexta-feira (17 de setembro) à noite. Concerto que  vai contar com a participação da Sociedade Filarmónica Tondelense, no Parque Urbano de Tondela. A atuação está inserida nas comemorações do feriado municipal, assinalado esta quinta-feira.
A Rádio Dão Digital falou com o humorista que nos disse que está feliz por regressar a Tondela.
Herman José refere que para além da música, o concerto conta com muito humor.
Para o cantor e humorista, partilhar o palco com as diversas coletividades é uma aprendizagem.
Para além do concerto em Tondela, na sexta feira, Herman José vai ainda estar no dia 8 de outubro, em Castro Daire com o apoio de quatro grupos: Banda Musical Rerizense, Sociedade Filarmónica de Mões, Filarmónica da Associação Cultural Flor do Rio e Banda de Música dos Bombeiros Voluntários de Castro Daire.
No dia 9, o Centro Cultural de Carregal do Sal também acolhe o concerto com a Sociedade Filarmónica de Cabanas de Viriato. A 10 de outubro, Herman José vai estar na Casa da Cultura de Santa Comba Dão com a Banda Musical de Pinheiro de Ázere.
Por fim, a 16 de outubro, a Praça do Município em Nelas recebe o concerto de Herman José com a Banda Filarmónica de Vilar Seco, a Sociedade Musical 2 de Fevereiro de Santar e a Sociedade Musical de Carvalhal Redondo.
Herman José, ao todo, até 16 de outubro, dá seis espetáculos na região, em parceria com a Associação de Música e Artes do Dão.

Cultura
Em Viseu, o verão termina com vários concertos musicais

Viseu despede-se do verão com uma programação cultural recheada de  colaborações musicais , residências artísticas e instalações de luz pela cidade.
Parte da programação, que acontece a partir de quinta-feira, 16 de setembro, é integrada na iniciativa “Eixo Cultural A25 – Rede de Criação e Programação”, uma parceria estratégica d
e programação cultural em rede, dinamizada pelos Municípios de Viseu, Aveiro e Guarda, que conta ainda com o Turismo do Centro como parceiro institucional.
O Adro da Sé é o palco eleito para a realização dosespetáculos, de acesso gratuito, ainda que de lotação limitada e sujeitos à reserva prévia de ingressos.
A estreia desta programação acontece na quinta-feira, dia 16, com a apresentação em palco de um projeto musical entre os Smoke Hills, de Viseu, e Rogério Peixinho, da Guarda, resultado de uma residência artística a decorrer no Carmo’81 e cujos frutos serão conhecidos em palco nesta noite.
O “Eixo Cultural A25” apresenta ainda dois concertos, que juntam a Orquestra Filarmónica Portuguesa e a fadista Cuca Roseta, a 18 de setembro, e a Orquestra Filarmonia das Beiras e o artista António Zambujo, dia 20.
O mês de setembro reserva ainda outros concertos, no âmbito da programação do “Verão na Cidade-Jardim”, que finaliza a 21 de setembro, feriado municipal em Viseu.
Depois de terem sido adiados, devido à evolução da pandemia COVID-19, estão reagendados e confirmados para os dias 17 e 19 de setembro os concertos de Tilhon, com a participação especial de Mara Pedro, e de Virgul, respetivamente.
Já a 21 de setembro tem lugar o concerto da Orquestra Juvenil de Viseucom uma homenagem  ao Presidente António Almeida Henriques, que neste dia é agraciado, a título póstumo, com a Medalha de Ouro, a par do Viriato de Ouro, a mais elevada e rara condecoração do Município de Viseu.
Todos estes concertos serão realizados no Adro da Sé e terão início pelas 21H30. Cada um deles exige a reserva prévia de ingressos, a qual estará disponível em breve em www.veraonacidadejardim.pt.

Cultura
Procedimento para classificação da escultura “Cristo Articulado” do Museu Nacional Grão Vasco

O anúncio de abertura do procedimento de classificação como bem móvel de interesse nacional da escultura “Cristo Articulado”, pertencente à coleção do Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, foi esta terça-feira (14 de setembro) publicado em Diário da República.
No anúncio, da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), lê-se que a proteção e valorização da escultura “representam valor cultural de significado para a nação”.
À agência Lusa, a diretora do Museu Nacional Grão Vasco, Odete Paiva, explicou que “foi feita uma proposta pelo museu, há cerca de seis meses, para classificação como tesouro nacional” desta escultura.
“A DGPC abriu agora o procedimento de classificação”, referiu Odete Paiva, adiantando que o museu “propôs ainda a classificação de outras peças”, que aguarda.
Segundo a diretora, “Cristo Articulado” é uma escultura do século XIV.
“É uma peça rara. É um Cristo que se usava nas vias-sacras, uma peça de vestir, porque é articulada, o que permitia encenar a via-sacra nos seus diferentes momentos”, declarou.
A concretizar-se a classificação, “Cristo Articulado” será a 23.ª peça com este título neste museu.

Cultura
Mangualde acolhe exposição sobre 'Pilar Europeu dos Direitos Sociais'

 A Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, em Mangualde, acolhe de 13 a 18 de setembro a Exposição sobre “Pilar Europeu dos Direitos Sociais” promovida pela Europe Direct Viseu Dão Lafões. Fruto de uma iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal, a mostra pretende dar a conhecer "os 20 princípios do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, que constituem o quadro de orientação para a construção de uma Europa social forte, justa, inclusiva e plena de oportunidades. Estes princípios estão estruturados em torno de três grandes prioridades: igualdade de oportunidades e acesso ao mercado de trabalho; condições de trabalho justas; proteção e inclusão social".
Constituída por 24 painéis, a exposição vai realizar uma itinerância por algumas das bibliotecas que compõem a Rede Intermunicipal de Bibliotecas Viseu Dão Lafões (RIBVDL), marcando presença nos seguintes concelhos: Nelas (do passado dia 30 de agosto a 3 de setembro); Santa Comba Dão (6 de setembro a 11 de setembro); Mangualde (13 de setembro a 18 de setembro); Penalva do Castelo (20 de Setembro a 25 de setembro); Sátão (27 de setembro a 01 de outubro); Castro Daire (4 de outubro a 9 de outubro); São Pedro do Sul (11 de outubro a 16 de outubro); Vouzela (18 de outubro a 23 de outubro). Visitando, ainda, o Centro Europe Direct Viseu Dão Lafões (25 de outubro a 30 de outubro), na Casa do Adro.
Segundo o Gestor do Europe Direct Viseu Dão Lafões, José Carlos Almeida, “ao promover esta exposição, o Europe Direct Viseu Dão Lafões procura contribuir, a nível local, não só, para estimular o debate público, mas também, para informar e consciencializar os cidadãos relativamente às mais recentes políticas de âmbito europeu em torno dos direitos sociais”.
 

Cultura
Mangualde: “Só Queria Que Me Saísse… Dão” para ver esta sexta-feira e sábado (com áudio)

“Só Queria Que Me Saísse… Dão” é o espetáculo de teatro musical que esta noite de sexta-feira e amanhã (10 e 11 de setembro) sobe ao palco na cidade de Mangualde. O evento está marcado para as 21h30 no Largo Dr. Couto. A peça musical estava também agendada para a noite de quinta-feira (09 de setembro), mas devido às condições climatéricas adversas foi adiado para este sábado.
Uma iniciativa que ocorre no âmbito da Programação Cultural em Rede Viseu Dão Lafões.
João Lopes, vereador da cultura na autarquia de Mangualde falou sobre o evento.
Apesar do espetáculo acontecer ao ar livre há limitação de espetadores, devido à pandemia.
 “Só Queria Que Me Saísse… Dão” é uma peça de teatro musical da Contracanto Associação Cultural. 

Cultura
São Pedro do Sul formaliza candidatura do Canto a Vozes a Património Imaterial

A candidatura Canto a Vozes de Mulheres à Lista Nacional de Património Cultural Imaterial, possível pela parceria entre a Universidade de Aveiro (UA) e a Câmara Municipal de São Pedro do Sul, é apresentada este sábado, 11 de setembro, às 14h30, no auditório Jaime Gralheiro, em S. Pedro do Sul. No evento vão fazer-se ouvir 15 grupos de cantadeiras detentoras deste património.
“Canto a vozes de mulheres” é a designação criada numa sessão plenária no dia 1 de março de 2020 por cerca de 360 cantadeiras para salvaguardar e transmitir às gerações seguintes uma expressão vocal coletiva, com três ou mais vozes polifónicas sem acompanhamento instrumental, mantida viva por mulheres, por vezes com o apoio de homens nas vozes mais graves. Nas comunidades onde se faz cantar e ouvir, o canto a vozes de mulheres tem designações distintas, sendo conhecido como cantada, cantaraço, cantaréu, cantarola, cantarolo, cantedo, cantiga, cantiga em lote, cantoria, cramol, moda, modas de campo, ou terno.
Em colaboração com as cantadeiras e no âmbito de um protocolo com o município de São Pedro do Sul e do projeto EcoMusic, investigadores da UA procederam entre 2016 e 2021 à documentação, estudo e elaboração do dossier que será submetido no dia 11 na Matriz PCI, na prática, a formalização do pedido de inscrição do Canto a Vozes de Mulheres na Lista Nacional do Património Cultural Imaterial.
Posteriormente, será feita uma avaliação do dossier quanto à possibilidade de inscrição na Lista Nacional.
Participaram neste projeto os investigadores: António Ventura, Daniela Labandeiro, Domingos Morais, Helena Marinho, Jorge Castro Ribeiro, Jorge Graça, Joaquim Branco, João Valentim, Julieta Silva, Lea Managil, Maria do Rosário Pestana, Raquel Melo e Rui Madeira. 

Cultura
Coro da Misericórdia de Lamego deslocou-se a Viseu para nova ação de formação

Fundado em outubro de 2016, o Coro da Santa Casa da Misericórdia de Lamego participou num encontro formativo na cidade de Viseu, cujo programa incluiu uma ação ministrada pelo Padre Paulo Domingues, responsável diocesano da Música Litúrgica. “A música e o canto dignificam a Eucaristia e reforçam a Palavra de Deus”, sublinha.
Durante o dia, a deslocação à Misericórdia de Viseu iniciou com uma visita guiada ao Museu desta instituição social que tem patente ao público uma exposição permanente dedicada à música sacra. "Os coralistas viveram um momento especial de introspeção, ouvindo o canto gregoriano durante alguns minutos, ao mesmo tempo que ficaram a conhecer a história daquela vertente musical erudita própria da tradição religiosa", refere a Misericóridia de Lamego. Seguiu-se a realização de um ensaio no Coro Alto e a celebração de uma eucaristia, presidida pelo Padre Ângelo Santos, estudante de Liturgia na cidade de Roma. Num gesto simbólico, durante o ato litúrgico, foi oferecida a cada elemento do grupo coral uma pequena lembrança de reconhecimento pela sua dedicação.
Durante o período da tarde, o Coro da Misericórdia de Lamego efetuou ainda uma visita ao Museu Tesouro da Sé, monumento com séculos de história, que constitui um repositório de arte de vários períodos. Antes da ação formativa, ainda houve tempo para apreciar o Órgão do Seminário de Viseu, construído por Luís António dos Santos. “Quero agradecer à Santa Casa da Misericórdia de Viseu, na pessoa do Dr. Henrique Almeida, diretor do Museu da Misericórdia, o bom acolhimento e todo o apoio prestado à nossa instituição na organização desta atividade tão relevante”, afirma o Provedor António Carreira.
Prestes a comemorar o quinto aniversário, a criação do Coro da Misericórdia de Lamego "enquadrou-se na estratégia desta instituição de desenvolver e consolidar o seu contributo para o engrandecimento da vida cultural da cidade. A principal função é participar com um reportório eucarístico na missa dominical celebrada às 12 horas na Igreja das Chagas".

Cultura
Mangualde: 'Só Queria Que Me Saísse… Dão' no Largo Dr. Couto

“Só Queria Que Me Saísse… Dão” é o espetáculo de teatro musical que esta quinta e sexta- feira (09 e 10 de setembro) sobe ao palco na cidade de Mangualde. O evento está marcado para as 21h30, no Largo Dr. Couto. 
Uma iniciativa que ocorre no âmbito da Programação Cultural em Rede Viseu Dão Lafões.
A peça de teatro é um projeto da Contracanto Associação Cultural, que transporta o espetador para os clássicos do cinema português.

Cultura
Viseu: cinema de volta ao IPDJ (com áudio)

As sessões de cinema do Cine clube de Viseu estão de volta. Todas as quintas-feiras à noite há um filme em exibição no auditório do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).
Rodrigo Francisco, um dos responsáveis pelo Cine clube fala da iniciativa. Esta noite (09 de setembro), as sessões recomeçam com um filme dinamarquês.

Cultura
S. Pedro do Sul: Candidataura do canto a vozes de mulheres a Património Cultural Imaterial

No próximo sábado, dia 11 de setembro, no Cineteatro Jaime Gralheiro, em S. Pedro do Sul, a Associação de Canto a Vozes - Fala de Mulheres (ACVFM) vai oficializar a inscrição do canto de mulheres de matriz rural, a 3 ou mais vozes, na Lista Nacional do Património Cultural Imaterial.
O programa tem início às 14h30, com o encontro das autarquias a que pertencem os grupos que formam a Associação, para oficializar a Rede Intermunicipal, seguido do ato de oficialização da inscrição pelas 15h00.
Estarão presentes 15 grupos, num total de 165 cantadeiras e alguns cantadores: Vozes de Manhouce, Grupo de Cantares de Pindelo dos Milagres, Grupo de Cantares de Sobral de Pinho, Cantadeiras de São Martinho de Crasto, Segue-me à Capela, Rusga de Joane, Grupo Folc. Univ. do Minho, Sopa de Pedra, Grupo de Cantares do Linho, NEFUP, Mulheres do Minho, Cantadeiras do Vale do Neiva, Cramol, Grupo de Cantadeiras de Cabreiros, Grupo de Cantares de Terras de Arões.

O que é este canto a vozes?
Esta forma de cantar a três ou mais vozes sobrepostas, em movimento predominantemente paralelo, adquire localmente diferentes designações, tais como terno, lote, cramol, cantada, cantedo, cantigas, modas ou cantarola. É cultivada no centro e norte de Portugal há sucessivas gerações e pode também encontrar-se em comunidades e(ou) grupos geograficamente distantes, mas que, de algum modo, tiveram ao longo da sua história contacto com essas práticas performativas.

Cultura
Mangualde: Largo Dr. Couto recebe o concerto 'Pangea'

O Município de Mangualde recebe, na noite de 12 de setembro, o concerto “Pangea”. Uma iniciativa protagonizada pela Orquestra POEMa e pelo músico galego Abraham Cupeiro. O evento tem lugar na Igreja do Complexo Paroquial, pelas 21h30. Este concerto, onde será apresentado o segundo álbum do músico galego, surge no âmbito do culminar de um estágio que está a decorrer até dia 12 deste mês, pela Orquestra POEMa com o músico Abraham Cupeiro, que se apresentará em estreia nacional.
A lotação do evento é limitada e os lugares são marcados, de forma a respeitar as normas emanadas pela DGS. A entrada é gratuita, mas com aquisição obrigatória de bilhetes na Biblioteca Municipal e/ou na Papelaria Adrião. A organização solicita a todos que respeitem sempre as regras da DGS e as indicações/sinalética no local, mantendo sempre o distanciamento social de segurança e as regras de etiqueta respiratória.
"Durante o concerto, ouviremos o som do sul da Oceania com os ecos dos seus caracóis, até mesmo as misteriosas montanhas chinesas que o som do Hulusi atrai com suas melodias melismáticas; grandes planícies como as da América do Norte, selvas como as da América do Sul, a flauta Peule do Senegal, a gaita de foles búlgara, a desafiadora Zurna e os chifres do pastor milenar costurarão o vestido que vai unir a nossa terra mais uma vez", refere a organização.
O concerto é acompanhado com a projeção de imagens especialmente criadas para este momento transformando Pangea num espetáculo "educativo, divertido e uma canção para a diversidade cultural do nosso planeta".
Foi gravado no mês de novembro [de 2019] no Abbey Road com a Royal Philharmonic de Londres, e o disco saiu em setembro de 2020 com o selo da Warner Classics".

Cultura
Assinatura do auto de consignação da obra do Museu de Lamego aconteceu esta segunda-feira

Decorreu esta segunda-feira, dia 6 de setembro, a assinatura do auto de consignação da obra do Museu de Lamego que consiste na reabilitação dos telhados e dos vãos exteriores e instalação de um elevador.
Inserida no Programa Operacional Regional do Norte, Museu de Lamego, Museu para todos, a reabilitação tem como principal objetivo "melhorar as condições de acessibilidade do museu,
por forma a reforçar a sua vocação pública e melhorar a experiência cultural e educativa de um público cada vez mais vasto e abrangente, transformando-o num espaço inclusivo, um
espaço para todos".
"Comprometida com o pressuposto de melhoria das acessibilidades física e comunicacional do museu, de modo a adequar o museu às diferentes necessidades e interesses da diversidade de
públicos, a operação contempla a instalação de um ascensor que permita a visita completa à exposição permanente do museu a visitantes com dificuldades de locomoção, o que é tanto
mais relevantes quanto o facto de parte significativa das obras em exposição, incluindo 11 dos 18 Tesouros Nacionais, se encontrar no piso superior, e uma intervenção completa na
cobertura e vãos do edifício, dotando o espaço de condições de conforto e acolhimento de visitantes", explica o Museu de Lamego.
A intervenção representa um investimento global de 1 007 654,40 Euros, a operação compreende ainda o restauro do teto pintado da capela privada da antiga residência episcopal, onde o museu se encontra instalado, "o que irá permitir o alargamento da área expositiva a um espaço axial para uma adequada interpretação do edifício, e a implementação de um plano de comunicação, ancorado numa programação com propostas vocacionadas para o desenvolvimento de novas ferramentas para que visitantes e usuários disponham de facilidades e acessibilidades que lhes permitam melhor desfrutar da visita ao museu".

Cultura
Castro Daire: Biblioteca Municipal assinala 20 anos de atividade

Este domingo, dia 5 de setembro, Castro Daire recebe o concerto TANGERINA. O evento acontece no Auditório do Centro Municipal de Cultura do concelho, pelas 21h00.

A iniciativa acontece no âmbito da programação dos 20 anos de atividade da Biblioteca Municipal de Catro Daire.

TANGERINA é uma viagem pelo universo da palavra feita ora prosa ora poesia num “tom de menino pequeno que está a falar com a sua mãe”. Inspirados no livro A Invenção do Dia Claro de Almada Negreiros, os artistas recuperam a metáfora da tangerina que rola de um cesto até ao mar e descobre o mundo, e com ela também todos partem à descoberta de novos lugares. Inventar o que já foi inventado emprestando vida e sons a palavras é a proposta deste concerto inspirado no universo dos mais novos, mas decididamente dirigido a todas as idades.
Tangerina traz consigo um disco com um lado rock/pop como identidade aglomeradora, mas cujas composições são muito influenciadas quer pela harmonia jazz, música erudita, música étnica. Esta fusão de estilos é uma característica permanente nos vários trabalhos que Ana Bento e Bruno Pinto têm desenvolvido enquanto dupla de músicos.
Na senda de Almada Negreiros, a música de Tangerina pretende ser tão simples quanto sofisticada, repleta de dinâmicas ricas e contrastantes, cores luminosas e vitais.

Cultura
Espetáculo sobre fitas passa por Mangualde, Nelas, Fornos de Algodres e Gouveia

Os concelhos de Mangualde, Nelas, Fornos de Algodres e Gouveia recebem, durante o mês de setembro, espetáculos de Slackline, uma peça de teatro em cima de fitas, que conta a história dos territórios onde atuam.

A história por detrás do evento varia de concelho para concelho. Em Nelas e Mangualde a trama fala de despedidas e de reencontros, das festas e das romarias. Em Gouveia, à história tratada junta-se a poesia de Virgílio Ferreira, natural do concelho. Já em Fornos de Algodres, o desafio passa por "pedir emprestado o olhar do rio Mondego e mergulhar na travessia, no tempo e no espaço, desde a origem até aos dias de hoje", refere a organização.

Este fim de semana, dias 4 e 5 de setembro, Gouveia recebe o espetáculo de slackline. Em Fornos de Algodres, as datas marcadas são os dias 9 e 10. No dia 11 deste mês, a iniciativa regressa a Nelas, depois da estreia na vila em julho. Mangualde acolhe a peça que termina a digressão no dia 17 de setembro. Todos os espetáculos decorrem ao ar livre e estão marcados para as 21h30.

Slackline é uma iniciativa coordenada por Rui Mimoso, campeão nacional de Slackline, e está inserida na Rede Cultural do Alto Mondego.

 

Cultura
Penalva do Castelo recebe, este sábado, 'As Cores da Beira'

O Município de Penalva do Castelo recebe, este sábado (04 de setembro), pelas 21h30, o Espetáculo Multidisciplinar “As Cores da Beira”, um espetáculo musical que pretende enaltecer as paisagens, costumes e tradições da região.
Inserida na Programação “Cultura no Dão " que envolve os concelhos de Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo, a iniciativa cultural decorre no espaço exterior junto à Câmara Municipal, direciona-se a maiores de 6 anos e tem entrada gratuita.
Com um elenco composto por atores profissionais, artistas de circo e população local, o espetáculo conta "a bela história de Maria e Ilídio, um jovem casal que, mesmo de terras e estatutos diferentes, escrevem uma história de amor sem igual", refere a autarquia.

Cultura
Mangualde: 'Nas cores da Beira' para ver no Largo Dr. Couto (com áudio)

“Nas cores da Beira” é o espetáculo que esta quinta-feira (02 de setembro) à noite sobe ao palco, em Mangualde, no âmbito do projeto “Cultura no Dão” que envolve os concelhos de Mangualde, Penalva do Castelo e Nelas.
“Nas Cores Da Beira” pretende destacar os costumes e tradições da região, como conta Rafael Pina, o encenador.
Para além dos atores profissionais, o espetáculo conta ainda com a participação da comunidade.
Para Rafael Pina, o espetáculo “Nas cores da Beira” é também um regresso aos palcos depois da fase mais crítica da pandemia.
“Nas cores da Beira” sobe ao palco, no sábado (04 de setembro) em Penalva do Castelo e no domingo (05 de setembro) em Canas de Senhorim.

Cultura
Sátão: Coro Mozart atua junto ao edificio da autarquia

Este sábado (04 de setembro), às 21h00, o Coro Mozart atua em frente à Câmara Municipal de Sátão, no âmbito da candidatura Culturas do Dão.
Criado em Viseu, no ano de 2005, o Coro Mozart com direção artística do Prof. Doutor Dionísio Vila Maior, tem 55 coralistas. Com 14 DVD gravados e mais de 750 concertos, interpreta todo o seu repertório (orquestrações previamente gravadas) a quatro ou mais vozes.
Gospel, Jazz, Soul Fank, música popular portuguesa e fado são alguns dos seus registos. 

Cultura
Vouzela: Mapas Natureza no Parque Natural Vouga Caramulo

O Parque Natural Local Vouga Caramulo-Vouzela está a acolher o projeto Mapas Natureza que propõe um conjunto de atividades, abertas ao público, desde caminhadas, música, conversas e
workshops.
Depois de Sicó/Alvaiázere, Serra da Estrela, Serra da Lousã e Geopark Naturtejo, o projeto Mapas Natureza chegou ao concelho vouzelense “para dar eco a uma narrativa do real que, a partir da memória do indivíduo e da vida, se guia pela arte. Pretende-se resgatar o tempo necessário à contemplação, à conversa, à (re)descoberta do outro, com quem partilhamos o património comum que marca o nosso lugar no mundo. Será um trabalho colaborativo para romper fronteiras e alargar vizinhanças”, refere a organização.
Em Vouzela, o programa teve início nesta sexta-feira, dia 3 de setembro, no Parque da Liberdade, com a projeção de documentários “Pessoas-Mapas”, seguida do concerto de Samuel Úria.
Este sábado, dia 4, pelas 16h00, na zona de lazer do Espírito Santo, em Cambra, o programa começa com uma conversa, às 17h00 Coletivo Til (instalação) e às 18h uma co-criação de Ana Bento e a Associação Recreativa e Cultural de Carvalhal de Vermilhas.
O programa termina no domingo, na Lapa da Meruge. Pelas 10h30 tem lugar a atividade “Caminhar com Sentido(s), com a terapeuta Carla Marina Maia Ladeira, às 12h00 um piquenique, às 12h30 Jogos do Helder e às 14h30 Aventuras Mystery Box.
Promovido pelo iNature, o Mapas Natureza é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do CENTRO2020 – Programa Operacional Regional do Centro, e conta com o apoio do Município de Vouzela.

Cultura
Penalva do Castelo: músicos do concelho são homenageados com serenata (com áudio)

A Casa do Povo de Esmolfe vai realizar, este sábado à noite, a partir das 21h30, no Coreto em frente à Igreja da Misericórdia, em Penalva do Castelo, um concerto em jeito de Serenata dedicado aos músicos do concelho.
Raul Castro, presidente da direção, justifica a iniciativa.
A serenata é feita pelos músicos da Casa do Povo de Esmolfe. Um concerto aberto à comunidade.

Cultura
Mangualde: a magia de Zé Mágico vai invadir a cidade (com áudio)

A magia invade, esta noite de sexta-feira (27 de agosto), a cidade de Mangualde. Está agendado para as 21h30, o espetáculo “Le Magicien”, no Jardim do Rossio com Zé Mágico.
Uma iniciativa que regressa na próxima semana e que decorre no âmbito da Programação Cultural em Rede da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões.
A Rádio Dão Digital falou com Zé Mágico sobre o projeto.
Zé Mágico explica o que está previsto para esta noite.
O espetáculo “Le Magicien” está a percorrer diversos concelhos do distrito de Viseu. O mágico considera importante o regresso ao contacto com as pessoas.
O evento marcado para as21H30, no Jardim do Rossio, não necessita de reserva, será por ordem de chegada. 
O espetáculo de magia de Zé Mágico volta a Mangualde no dia 3 de março ao Largo Dr. Couto.

Cultura
Lamego acolhe a 'Romaria de Portugal' até dia 9 de setembro (com áudio)

A partir desta sexta-feira (27 de agosto) e até dia 9 de setembro, a cidade de Lamego é palco da tradicional romaria em honra da Nossa Senhora dos Remédios.
Apesar da pandemia, o certame acontece, ainda que com algumas limitações, como explica Ana Catarina Rocha, vereadora na  autarquia e presidente da Comissão de Festas.
Um dos pontos altos da romaria é a procissão do Triunfo, no dia 8 de setembro, feriado municipal. Pelo segundo ano consecutivo a tradição não vai ser cumprida.

Cultura
Moimenta da Beira: Planalto Festival está de regresso durante seis dias

De 30 de agosto a 4 de setembro, o Planalto, Festival das Artes regressa à vila de Moimenta da Beira. São seis dias de programação nas áreas da dança, do teatro, da música, do cinema, das artes visuais e da performance. O programa inclui ainda, workshops, conversas, aulas, caminhadas culturais, projetos de mediação cultural e de ecologia. “É um programa multidisciplinar que não se centra apenas numa lógica de apresentar uma programação artística e cultural. Queremos sentir o pulso de quem aqui vive, e deixar que essas pulsações alimentem o caminho com que vamos desenhar o futuro deste projeto”, conta Luís André Sá, diretor artístico e de programação.
Este ano, o festival conta com a estreia de dois novos programas. O Neblina, programa de participação artística e de mediação cultural e o Programa de Arte Pública. 
"Ao todo, serão 31 propostas que se desenvolvem sobre uma curadoria em torno do encontro, da sustentabilidade e da paisagem. Um programa que envolve públicos e participantes dos 3 aos 89 anos, criando diálogos intergeracionais que ativem a participação de toda a comunidade", refere a organização.
Do programa desta edição constam nomes como o da coreógrafa Tânia Carvalho, assim como, da dupla Sofia Dias & Vitor Roriz. O diretor artístico revela que “serão certamente dois momentos altos desta edição. Uma oportunidade única para ver ou rever “Síncopa”, um dos projetos mais vigorantes da carreira de Tânia Carvalho, coreografado e dançado pela própria”.
A 31 de agosto, o bailarino Filipe Pereira apresenta “Arranjo Floral”, uma conferência performance. A 1 de setembro, Tiago Cadete, apresenta “Atlântico”, a 2 de Setembro, no Largo do Outeiro, sobre a Serra de Leomil, a pianista Joana Gama apresenta um recital que percorrerá obras de Erik Satie, Hans Otte, entre outros. No dia seguinte, penúltimo dia do festival, "a harpista espanhola Angélica Salvi fará reverberar as cordas da sua harpa num concerto intimista num local muito especial". Também na área da música, a cantautora brasileira Labaq, que atua na última tarde do festival, promete "um concerto emocional e revitalizante". Da programação de cinema fazem parte os filmes “Ana e Maurizio”, de Catarina Mourão, a 31 agosto, “Amor Fati”, de Claúdia Varejão, a 2 setembro, e ainda, Tânia Carvalho com o filme “Um saco e uma pedra – peça de dança para ecrã”, ao início da última tarde de festival. Sobre os frescos da nave central da Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, acontecem duas performances de duas artistas brasileiras. A 30 de agosto, Josefa Pereira apresenta “Hidebehind” e, a 3 de setembro, Bibi Dória, apresenta “É puro glacê”.

Cultura
Lamego: ZigurFest está de regresso (com áudio)

Em Lamego arranca esta quarta-feira (25 de agosto) mais uma edição do ZigurFest. Um evento que alia concertos, exposições, performances entre outras atividades espalhadas por vários pontos da cidade.
O Teatro Ribeiro Conceição, o Castelo, o Museu e a Alameda, são alguns espaços que acolhem as iniciativas que decorrem até ao próximo sábado.
Este ano, o festival volta a ter limitações por causa da pandemia. António Silva, membro da organização considera que é importante a realização do evento.
António Silva destaca algumas presenças na edição deste ano do ZigurFest.
Quanto à participação do público e apesar das limitações as expectativas são altas, já com vários espetáculos esgotados.

 

 

Cultura
Viseu: cinema de Mia Hansen-Love em outubro na Festa do Cinema Francês

A realizadora francesa Mia Hansen-Love estará em destaque na Festa do Cinema Francês, que decorrerá em outubro em várias cidades portuguesas, nomedamente em Viseu, com a antestreia do mais recente filme, "Bergman Island".
Segundo a organização, "Mia Hansen-Love tem vindo a desenvolver uma linguagem cinematográfica marcada pela forte carga emocional e intensa proximidade", escreve a organização da Festa do Cinema Francês, a propósito da cineasta, de quem exibirá quatro filmes: "Bergman Island" (2021), que passou em Cannes, "Maya" (2018), "L'Avenir" (2016) e "Eden" (2014).
A Festa do Cinema Francês, um festival dedicado ao cinema de expressão francesa, cumprirá a 22.ª edição ao longo do mês de outubro e com passagem por nove cidades: Almada, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Lisboa, Oeiras, Porto e Viseu.
Da programação esta quarta feira (25 de agosto) anunciada sabe-se que contará com 19 antestreias nacionais, "numa seleção que circula pela comédia, o drama e o filme de guerra ou histórico".
Entre eles está "Eiffel", de Martin Bourboulon, sobre o engenheiro francês Gustav Eiffel, filme de abertura da Festa do Cinema Francês a 07 de outubro em Lisboa, e também a comédia "Adieu les cons", de Albert Dupontel, que venceu este ano sete Césares, os prémios do cinema francês.
Segundo a organização, o festival chega este ano a mais cidades, comparando com edições anteriores, por causa de uma parceria com a exibidora NOS Cinemas, e que "prevê alargar-se no próximo ano a ainda mais espaços fora dos grandes centros urbanos do litoral".

Cultura
Teatro Viriato, em Viseu, integra a Rede de Teatros e Cineteatros que arranca com 50 equipamentos

O Teatro Viriato integra a Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP) que poderão candidatar-se a um apoio à programação a partir de outubro, anunciou a Direção-Geral das Artes. O projeto vai arrancar com pelo menos 50 equipamentos culturais credenciados. Para além do Teatro Viriato tamabém o Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego, e a ACERT en Tondela fazem parte da lista.
O organismo divulgou, esta terça-feira (24 de agosto), uma lista dos primeiros 50 auditórios, centros culturais, cineteatros, teatros e fóruns em "praticamente todo o território nacional", que obtiveram a credenciação para integrar a RTCP.
Estes 50 equipamentos culturais poderão concorrer a um apoio à programação que chegou a estar aprazado para 27 de setembro, mas já só abrirá a 09 de outubro.
Segundo a DGArtes, "brevemente" será divulgada "uma segunda e última lista de equipamentos credenciados nesta fase inicial de arranque da rede" e que também poderão concorrer ao apoio à programação.
Em julho, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, revelou no parlamento que a linha de apoio à programação terá uma dotação entre cinco milhões e seis milhões de euros.
O regulamento indica que na fase inicial de implementação, os equipamentos culturais nos concelhos de Lisboa e do Porto não podem concorrer ao apoio à programação, para que as verbas cheguem a "realidades territoriais mais carenciadas em termos de recursos, projetos e dinâmicas culturais e artísticas".
Da lista divulgada não faz parte nenhum equipamento cultural destes dois concelhos.
Entre os primeiros 50 equipamentos culturais estão o Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra), o Teatro Viriato (Viseu), o Cine Teatro Sousa Telles (Ourique), a Casa da Criatividade (São João da Madeira), o Auditório de Espinho, o Centro Cultural Raiano (Idanha-a-Nova) e o Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz.
Quanto aos equipamentos culturais dos Açores e da Madeira, nesta primeira lista consta apenas o Teatro Municipal Baltazar Dias (Funchal).
Quando esta fase de arranque da rede estiver concluída, o processo de credenciação "passará a estar aberto em regime de permanência, sem interrupções" para as entidades que queiram aderir no futuro.

Cultura
Teatro musical e artes circenses chegam a Nelas, Mangualde e Penalva do Castelo

O programa “Cultura no Dão” continua durante o mês de setembro em Nelas, Penalva do Castelo e Mangualde com o espetáculo itinerante “Nas Cores da Beira”, uma coprodução da CulturDão e Teatro Hábitos. Com enfoque na cultura e identidade dos territórios, “Nas Cores da Beira” conta com a participação da comunidade local de várias faixas etárias que, pela primeira vez, sobem ao palco e partilham experiências com atores e artistas profissionais.
“Nas Cores da Beira” é o novo espetáculo multidisciplinar e itinerante que percorre os três municípios associados ao projeto de cultura em rede – “Cultura no Dão”. A estreia deste teatro musical e de artes circenses acontece a 31 de agosto na Praça do Município em Nelas e volta à boca de cena em setembro, no dia 2 em Mangualde no Largo Dr. Couto e no dia 4 do mesmo mês em frente à Câmara Municipal de Penalva do Castelo.
Este espetáculo tem a particularidade de chamar a atenção do público devido aos detalhes de cores patentes, não só nos adereços, como também nos figurinos, que contrastam com o preto e branco que pintam o conjunto cénico. Desta forma o espetáculo pretende mostrar que, por vezes, as cores da nossa vida estão naquilo que sentimos, mais do que naquilo que vemos. O elenco composto por atores profissionais, artistas de circo e população local (escolhida num casting realizado em maio).
O espetáculo conta a história da beirã de nome Maria e do lisboeta Ilídio, um jovem casal que, mesmo de terras e estatutos diferentes, vivem uma narrativa de amor sem igual numa aldeia do interior. Entre desencontros, momentos de humor da coscuvilheira da aldeia e os dramas de uma tia de nariz empinado, “Nas Cores da Beira” promete “momentos musicais e viagens pelas paisagens e monumentos da região, numa história que pretende enaltecer a Beira e mostrar as fragilidades e força do amor”, enfatizam João Sá Coelho, responsável pela coreografia e cenografia do espetáculo e Rafael Pina, responsável pela dramaturgia e encenação.

Os espetáculos são gratuitos, mas é necessária a pré-reserva de bilhete

  • Nelas - Reservas 232 942 371 (Posto de Turismo)
  • Mangualde - Reservas 232 619 889 (Biblioteca Municipal) e 232 622 305 (Papelaria Adrião)
  • Penalva do Castelo - Reservas 232 640 020 Câmara Municipal
  • Espetáculo Extra Reserva Canas de Senhorim 232 942 371 (Posto de Turismo)

Cultura
Viseu: coleção de postais sonoros e visuais sobre o ciclo do linho

No próximo sábado, 28 de agosto, o Museu do Linho de Várzea de Calde recebe a apresentação de uma coleção de postais sonoros e visuais sobre o ciclo do linho, concebidos pela Binaural Nodar.
A coleção chama-se "A ancestral vibração do linho" e possui 20 postais correspondentes a cada uma das fases do ciclo (lavrar, semear, arrancar, ripar, aguar, maçar, tascar, sedar, fiar, ensarilhar, cozer, desemborralhar, lavar, embarrelar, corar, dobar, urdir, montar, encher e tecer).
A apresentação decorrerá pelas 15 horas, em formato de performance sonora, nos jardins do Museu do Linho de Várzea de Calde.
A coleção de postais teve desenho gráfico de Liliana Silva e composição sonora de Luís Costa, sendo co-financiada pelo Município de Viseu, através do Programa Viseu Cultura e pela Direção-Geral das Artes.

Cultura
AoMAR a partir de Dom Quixote de La Mancha para ver em Viseu

Está marcada para este sábasdo, dia 21 de agosto, na Incubadora das Indústrias Criativas de Viseu, a apresentação do espetáculo AoMAR, resultado do projeto homónimo do qual fizeram parte uma viagem e duas residências artísticas.
"AoMAR fez renascer uma dupla tão intemporal e universal como a que é composta por D. Quixote e Sancho Pança. Em pleno século XXI – e num contexto especialmente propício a dúvidas e reflexões –, o Cavaleiro da Triste Figura e o seu eterno acompanhante fizeram-se à estrada de Este a Oeste de Portugal: partiram de Almeida e rumaram a Ílhavo. Desde a fronteira terrestre com Espanha até à que nos separa do Atlântico, desde o interior até ao mar", explica a Nicho Associação Cultral.
"Um percurso com ponto de partida e destino definidos, mas com tudo o resto a acontecer de forma imprevisível: sem dinheiro, reservas de hotéis ou restaurantes, e aberto aos encontros e
experiências que a viagem pudesse proporcionar", refere.
Durante as residências artísticas que decorreram em Ílhavo, na Guarda e em Viseu – numa dinâmica de envolvimento com a comunidade e diversas associações locais – foi produzido material audiovisual que se integrou no espetáculo final.
AoMAR é um projeto da Nicho Associação Cultural, inspirado em alguns dos episódios mais emblemáticos do clássico de Cervantes, coproduzido pelo Teatro Municipal da Guarda, pelo 23
Milhas e pelo Museu Marítimo de Ílhavo. A encenação está a cargo de Patrick Murys e a interpretação cabe a Graeme Pulleyn e Ricardo Augusto.
AoMAR é ainda financiado pela DGARTES / Ministério da Cultura e pelo Município de Viseu, através do programa Viseu Cultura. Conta ainda com a parceria da D’ Orfeu e dos Municípios de
Almeida e de Trancoso.

Cultura
Obras de Aquilino Ribeiro dão origem a duas peças de teatro apresentadas este fim-de-semana

Este fim-de-semana (21 e 22 de agosto), o AFTA Grupo Off, apresenta dois espetáculos de teatro: “Andam Faunos pelos Bosques” e “Gentes das Terras do Demo”, ambos construídos a partir das obras de “Mestre” Aquilino Ribeiro.
A primeira peça é representada este sábado, pelas 19h00, em frente da Biblioteca Municipal de Sátão, no âmbito das Festas de S. Bernardo. 
Já no domingo, pelas 20:30, é a freguesia de Mundão, em Viseu, que recebe o grupo de teatro para mostrar à comunidade o espetáculo “Gente das Terras do Demo”. "Esta peça relembra um cenário onde a natureza e, muitas vezes, o diabo ditam as suas leis, onde fidalgos, ciganos, almocreves, estalajadeiros, alcoviteiras e padres são algumas das personagens, que sonham por um futuro melhor”, explica o grupo, acrescentando que se trata de um espetáculo que “transporta o público ao coração da geografia sentimental do autor, às terras onde nasceu e às quais regressou ao longo da sua vida”
Os dois espetáculos criados e encenados por Florbela de Sá Cunha foram produzidos a partir das obras de Aquilino Ribeiro “Andam Faunos pelos Bosques”, “O Malhadinhas” e “Terras do Demo”.

Cultura
Lamego: Senhora dos Remédios conta com programa condicionado pela pandemia

As Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, vão este ano realizar-se com um programa de atividades condicionado pelo contexto de pandemia, mas que permitirá ajudar os agentes económicos e culturais.
Sob o lema “Viver os Remédios”, a romaria realiza-se de 27 de agosto a 09 de setembro.
“Estas festas costumam atrair anualmente milhares de pessoas à cidade de Lamego. Fruto do contexto pandémico que vivemos, o município desenvolveu um plano de desconfinamento de modo a poder mantê-las vivas”, disse a vereadora e presidente da Comissão de Festas, Ana Catarina Rocha.
Cumprindo todas as orientações da Direção-Geral da Saúde, esta edição contará com o regresso de espetáculos adaptados, apostando fortemente nos agentes culturais locais.
“Vamos ter recinto de festa, devidamente organizado mediante as regras, e vamos ter alguns concertos, tendo o palco principal sido deslocado da Avenida Dr. Alfredo Sousa para o parque do CTOE (Centro de Tropas e Operações Especiais) para conseguirmos fazer o controlo de entradas”, explicou.
O objetivo é, segundo a responsável, “respeitar as normas e garantir a segurança e a integridade de todos aqueles que vivem esta festa”.
Haverá também instalações evocativas de momentos marcantes, como a marcha luminosa, a batalha de flores e o cortejo etnográfico.
“Isto para que, apesar de não podermos fazer estes eventos, as pessoas mantenham vivas na memória estas componentes da nossa festa”, justificou Ana Catarina Rocha.
A vereadora avançou que, caso as circunstâncias permitam, realizar-se-ão “as tradicionais partidas de fogo, que os lamecenses e os durienses tanto apreciam, nomeadamente no dia 07 e no dia 09, com a introdução de uma novidade, que é o lançamento de fogo-de-artifício em quatro cantos da cidade”.
“É a romaria possível, é uma homenagem que fazemos à nossa padroeira e a todos aqueles que apreciam a nossa festa. É também um forte apoio aos agentes económicos, ajudando-os na recuperação da sua atividade económica”, sublinhou.
A romaria contará com espaços de diversões, área de restauração, exposição de artesanato e de produtos endógenos.

Cultura
Mangualde: Espetáculo Musical 'Nas Cores da Beira' para ver no Largo Dr. Couto

O Município de Mangualde recebe o espetáculo musical "Nas Cores da Beira", no dia 02 de setembro. O evento tem lugar no Largo Dr. Couto, pelas 21h30.

"É um evento multidisciplinar, que pretende enaltecer as paisagens, costumes e tradições da região", refere a autarquia.

Para além de Mangualde, a iniciativa é apresentada em Nelas (31 de agosto, na Praça do Município) e Penalva do Castelo (04 de setembro, em frente à Câmara), "que se unem num esforço conjunto de ligar em rede os três Municípios no projeto 'Cultura no Dão'", acrescenta.

Devido à pandemia de Covid-19 que atualmente se vive, apesar da entrada gratuita, a lotação do evento é limitada, e os lugares são marcados. Os bilhetes devem ser adquiridos na Biblioteca Municipal ou na Papelaria Adrião.

"Nas Cores da Beira", é um espetáculo musical que pretende enaltecer as paisagens, costumes e tradições da região. Com um elenco composto por atores profissionais, artistas de circo e população local, o espetáculo conta-nos a bela história de Maria e Ilídio, um jovem casal que, mesmo de terras e estatutos diferentes, escrevem uma história de amor sem igual. Com uma pitada de humor da coscuvilheira da aldeia e os dramas de uma tia de nariz empinado, "Nas Cores da Beira" vai conquistar o coração do espectador.

Cultura
Mangualde: Largo Pedro Álvares Cabral recebe 'Máscaras com som'

Durante os próximos sete fins-de-semana, a animação volta às ruas da cidade de Mangualde, depois de vários adiamentos por causa da pandemia. Regressa a iniciativa “Máscaras com Som” promovida pela Câmara Municipal, União de freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta e a Associação Jovens do Castelo.
Na sexta-feira (20 de agosto) à noite, a animação é da responsabilodade do grupo Alpha Music no Largo Pedro Álvares Cabral.
No sábado (21 de agosto) a iniciativa conta com a Banda A4 e domingo sobe ao palco do Largo Pedro Álvares Cabral o grupo Bora Lá.

Cultura
Canto Polifónico chega, este fim-de-semana, a Vouzela

Vouzela, Oliveira de Frades, São Pedro do Sul e Sever do Vouga, vão acolher concertos de canto polifónico feminino.
Os concertos, a realizar este fim-de-semana, 21 e 22 de agosto, e em 11 e 12 de setembro, resultam de oficinas integradas no projeto Cultura Entre Pontes e que reúnem jovens vozes dos quatro concelhos para que não se perca o canto polifónico feminino, que está a ser alvo de uma candidatura a património imaterial da UNESCO.
Os concertos do grupo composto por 40 vozes realizam-se, este sábado, no Parque Severi em Sever do Vouga e no dia 22 no Anfiteatro do Parque da Liberdade em Vouzela. Em setembro, no dia 11, o concerto tem lugar na Escadaria do Monte de Cadafaz, Ribeiradio em Oliveira de Frades e dia 12 atua na Praça do Município em São Pedro do Sul.
Irão juntar-se aos espetáculos associações locais de cada município. Cada uma delas apresenta cerca de três cantadas ou modas, com base no património recolhido por Michel Giacometti, etnomusicólogo francês que desenvolveu na região  um trabalho de preservação e valorização do património imaterial associado ao canto polifónico.

Cultura
Viseu: Grupo Off apresenta Gente das Terras do Demo

O grupo Off apresenta no domingo, no Mundão, em Viseu, o espetáculo teatral "Gente das Terras do Demo", que foi construído a partir de várias obras de Aquilino Ribeiro.
"Andam Faunos pelos Bosques", "O Malhadinhas" e "Terras do Demo" foram as obras trabalhadas para este espetáculo, que cruza as suas personagens para "viverem as aventuras de gentes das terras do Demo, nos inícios do século XX".
"A peça relembra um cenário onde a natureza e, muitas vezes, o diabo ditam as suas leis, onde fidalgos, ciganos, almocreves, estalajadeiros, alcoviteiras e padres são algumas das personagens, que sonham por um futuro melhor", explica o grupo.
Trata-se de um espetáculo que "transporta o público ao coração da geografia sentimental do autor, às terras onde nasceu e às quais regressou ao longo da sua vida", sublinha.

Cultura
Clarinetista da Orquestra POEMa, vence primeiro lugar em concurso promovido pela Inatel

O Município de Mangualde homenageou Joana Neves, clarinetista da Orquestra POEMa e vencedora do primeiro lugar no concurso INATEL/Orquestra Metropolitana de Lisboa.
O prémio concurso INATEL/Orquestra Metropolitana de Lisboa para além de pretender estimular e promover a excelência da formação pedagógica e artística dos alunos da Academia Superior de Orquestra da Metropolitana tem também como objetivo apresentação a solo do intérprete.
O prémio resulta da parceria entre a Associação Música, Educação e Cultura – O Sentido dos Sons / Orquestra metropolitana de Lisboa e a Fundação Inatel que deu origem ao Prémio Inatel – Solistas com a Orquestra Metropolitana de Lisboa que visa dar apoio à formação dos melhores alunos ao nível dos estudos superiores e tem como principal objetivo estimular e premiar a excelência artística dos alunos da Academia Superior de Orquestra.

Cultura
Canto polifónico feminino chega a quatro concelhos da região

Sever do Vouga, Vouzela, Oliveira de Frades e São Pedro do Sul vão, este verão, acolher concertos de canto polifónico feminino, que são o culminar de um esforço desenvolvido para captar vozes jovens que permitam perpetuar esta prática.
Os concertos, a realizar em 21 e 22 de agosto e em 11 e 12 de setembro, resultam de oficinas integradas no projeto Cultura Entre Pontes e que reúnem jovens vozes dos quatro concelhos para que não se perca o canto polifónico feminino, que está a ser alvo de uma candidatura a património imaterial da UNESCO.
Segundo o diretor artístico das oficinas e dos concertos de canto polifónico, Paulo Pereira, "há muito que não se testemunhava a vontade de perpetuar o canto polifónico com esta vitalidade e com um grupo de mulheres tão jovens, com uma média de idades na casa dos 30 anos", sendo estes quatro concertos uma prova disso.
"Há algo de profundamente mágico e particular no canto polifónico que é esta técnica de canto, para alguns algo difícil de compreender, que é precisamente cantar em ‘descante’, em que a afinação em particular soa a algo ‘desafinado’", considera.
Paulo Pereira explica que "parece uma contradição, mas é aqui que reside o caráter diferenciador, único, desta forma de cantar ‘modas’", em que "as vozes projetadas com força vão ao limite agudo da canção e revelam uma concentração quase em transe das cantoras".
"Quem ouve pela primeira vez canto polifónico associa muitas vezes às vozes de outras paragens, da Córsega, às vozes árabes e búlgaras. É uma experiência que nos transcende, hipnotiza", sublinha.
Irão juntar-se aos espetáculos associações locais de cada município. Cada uma delas apresentará cerca de três cantadas ou modas, com base no património recolhido por Michel Giacometti, etnomusicólogo francês que desenvolveu no território um trabalho de preservação e valorização do património imaterial associado ao canto polifónico.
As oficinas, que são ministradas pelas cantoras Carmina Repas Gonçalves, Joana Negrão, Celina da Piedade e Teresa Campos, visam "preservar e reinterpretar o cancioneiro tradicional do território, para que esta importante e identitária prática não se perca no tempo".
O objetivo é o "ensino, disseminação e valorização do canto a três vozes junto da população mais jovem, sendo recuperadas e transcritas para pauta dez cantadas a partir do património musical polifónico dos quatro municípios", nomeadamente Sever do Vouga, no distrito de Aveiro, e Vouzela, Oliveira de Frades e São Pedro do Sul, no distrito de Viseu.

Cultura
Castro Daire: Serra do Montemuro recebe Festival Altitudes (com áudio)

O Festival Altitudes está de regresso à Serra do Montemuro. A partir deste sábado, 14 de agosto, e durante uma semana, há espetáculos todos os dias na aldeia de Campo Benfeito, no concelho de Castro Daire.

O evento conta com oito espetáculos e dois concertos. Paula Teixeira, do Teatro de Montemuro, falou à Dão Digital sobre o festival, onde refere que "(o festival) é pensado em toda a família e realça o facto de as pessoas estarem com saudades de assistir aos eventos cuturais".

Cultura
Cine-Caravana passa por Vouzela, esta sexta-feira

Na noite desta sexta-feira (13 de agosto), a Alameda D. Duarte de Almeida, em Vouzela, recebe uma sessão de cinema ao ar livre com a Cine-Caravana, num projeto em parceria com os CTT - Correios de Portugal.
A Cine-Caravana é uma sala de cinema móvel que desde 28 de julho está a percorrer o país levando cultura e o cinema português a 27 municípios de Portugal.
Em Vouzela, será exibido, pelas 21h30, o filme Recordações da Casa Amarela, de João César Monteiro, obra que o consagrou como um dos cineastas portugueses de maior prestígio, ao vencer o Leão de Prata no Festival de Veneza em 1989.
A sessão é gratuita e limitada a 150 espetadores, sendo que o acesso só é possível através da aquisição de bilhetes que podem ser levantados no local, ou antecipadamente na estação de correios de Vouzela, no Posto de Turismo ou na Câmara Municipal. 

Cultura
Museu Grão Vasco, em Viseu, transmite concertos do CCB

O Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, transmite dois concertos gravados pelo Centro Cultural de Belém (CCB). Este domingo, 15 de agosto, é transmitido o concerto dos Sensible Soccers. No dia 5 de setembro, o público pode ver a Orquestra Metropolitana de Lisboa a atuar.

Os Sensible Soccers estrearam-se em 2011, e desde então já atuaram em Espanha, França, Inglaterra e Holanda, com três discos lançados. Já a Orquestra Metropolitana de Lisboa apresentou a opera 'Cosi fan tutte', de Mozart, em versão concerto.

Os concertos apresentados no Grão Vasco foram gravados em agosto e setembro do ano passado, no CCB, no âmbito da programação 'Verão | O Melhor dos Mundos Possíveis'.

A entrada para os concertos é livre, com início às 21h30.

Cultura
Mangualde: 'Desafios', o espetáculo que une o circo e o teatro para ver esta noite

O Município de Mangualde recebe, este domingo, dia 15 de agosto, o espetáculo de circo/teatro "Desafios", no Largo Dr. Couto, pelas 21h30. Tem duração de 60 minutos.

O evento é um projeto do Trigo Limpo teatro ACERT, em parceria com João Paulo Santos, que une o "novo circo com o teatro, onde é recriado o dia-a-dia da comunidade, mas explorando viver uma pequenez social e mundana, castradora da alegria de viver uni­versalista e livre que anteviu aquando da Revolução de Abril".

Por causa da fase pandémica que vivemos atualmente, a lotação é limitada e os lugares são marcados. A entrada é gratuita, mas é obrigatória aquisição de bilhetes na Biblioteca Municipal ou na Papelaria Adrião.

DESAFIOS

A relação criativa da ACERT com João Paulo Santos e a Companhia O Último Momento teve início em 2005, quando a companhia esteve em residência artística no Novo Ciclo ACERT, em Tondela, na preparação do seu espetáculo Peutêtre. E a partir daí a relação foi-se estreitando ao longo dos anos, entre várias residências artísticas e apresentações.

Em 2016, integrado no projeto Cirkus Lab, construiu-se o espetáculo "Não tens coragem?!", uma produção conjunta de O Último Momento, Trigo Limpo teatro ACERT e Na Xina Lua – Grupo de Teatro da Escola Secundária de Tondela, companhia residente do Novo Ciclo ACERT.

De toda esta vivência, foi ficando sempre uma enorme vontade de voltar a criar um espetáculo em conjunto. E dessa vontade nasceu esta criação, "Desafios", fruto de duas residências artísticas em Tondela, com estreia a 13 de novembro de 2019 no FINTA - Festival Internacional de Teatro ACERT.

Cultura
Lamego comemora 150 anos do nascimento do poeta Fausto Guedes Teixeira

O Município de Lamego apresenta, este sábado (14 de agosto), um concerto evocativo do poeta lamecense Fausto Guedes Teixeira, no Parque Isidoro Guedes. 

O evento insere-se nas comemorações dos 150 anos do nascimento do "poeta do amor", e tem início marcado para as 21h30.

O espetáculo é protagonizado por Ana Laíns, conhecida fadista e cantora de música tradicional.

A entrada é gratuita, mas com inscrição obrigatória no site da Câmara ou na bilheteira do Teatro Ribeiro Conceição. O evento respeita todas as normas e indicações da DGS no combate à pandemia.

Cultura
Mortágua: exposição de pintura para ver até 15 de setembro

O átrio da Câmara Municipal de Mortágua tem patente a exposição de pintura da autoria de Ivone Ramos, natural do concelho.
A exposição reúne trabalhos de pintura a óleo sobre tela e de aguarela sobre papel, que ilustram paisagens de Mortágua e da região, e diversos temas, como a maternidade, as memórias de infância. A água é um elemento dominante nos trabalhos em aguarela, uma técnica que a artista começou a desenvolver mais recentemente, sendo que o óleo continua ser o seu ponto de referência, onde volta sempre.
A artista confidenciou que o tempo da pandemia coincidiu com uma intensa atividade criativa: “aproveitei ao máximo esse tempo, até por estar mais tempo em casa, para pesquisar, explorar materiais, procurar e melhorar técnicas, como a aguarela”.
“Desejo que cada pintura seja como uma viagem para quem a observa, onde o que é importante é a forma como cada um entende o momento que ofereço”, refere a artista, que alimenta o gosto de desenhar desde criança. “Cada dia que passa sinto o mesmo prazer e interesse que tinha quando era criança…entra no meu mundo e tudo é possível”.
Ivone Ramos é Licenciada em Design de Equipamento pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Coimbra. Frequentou o Curso de Pintura da Sociedade Nacional de Belas Artes. É natural de Mortágua, onde viveu a maior parte da sua vida, e atualmente reside e trabalha em Viseu onde é professora de Artes Visuais.
A exposição pode ser visitada até ao dia 15 de setembro.

Cultura
Museu Grão Vasco, em Viseu, assinala Dia da Juventude com visitas guiadas (com áudio)

Para comemorar o Dia Internacional da Juventude, assinalado esta quinta-feira (12 de agosto), o Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, dá a possibilidade aos jovens de realizarem visitas guiadas ao espaço museológico.
A juntar à iniciativa, o Museu também vai estar de portas abertas para visitas livres a jovens dos 12 aos 29 anos, como refere Odete Paiva, a diretora.
Para Odete Paiva, a iniciativa serve para atrair mais público jovem ao museu.
Os museus, monumentos e palácios tutelados pela Direção-Geral do Património Cultural celebram o Dia Internacional da Juventude com entradas gratuitas para jovens entre os 12 e os 29 anos.

Cultura
'Desafios' para ver em Vouzela, S. Pedro do Sul e Mangualde

Esta quarta-feira, sexta-feira e domingo (11, 13 e 15 de agosto) o espetáculo “Desafios”, do Trigo Limpo teatro ACERT, vai realizar três únicas apresentações em: Vouzela, S. Pedro do Sul e Mangualde, integradas na Rede Cultural da CIM Viseu Dão Lafões. Um espetáculo de teatro e novo circo apresentado na rua, junto às Câmaras Municipais das referidas localidades, num palco montado especificamente para o efeito.
"Desafios é o confronto entre o físico e o etéreo, entre o saber e o descobrir, entre o mexer-se e o ficar parado… Um desafio constante de analisar a existência à luz de um quotidiano diferente, em que o mundo se divide entre quem arrisca e quem se mantém, entre os que aceitam os desafios e os que, por medo, continuam a pisar o chão, receosos e inseguros", refere a ACERT.

Vouzela
11 agosto

Alameda Dom Duarte de Almeida às 21:30
 

S. Pedro do Sul
13 agosto
Largo de Camões, Junto à Câmara Municipal às 21:00

 

Mangualde
15 agosto
Largo do Município às 21:30

Cultura
Mortágua: Festival de Artes de Rua decorre até sábado

Até ao próximo sábado, 14 de agosto, o centro da vila de Mortágua é palco de vários eventos de animação de rua, envolvendo diferentes áreas artísticas.
O programa coincide com a semana em que habitualmente se realiza a festa das “Tasquinhas”, que, este ano, mais uma vez, não é possível realizar devido às regras e limitações ainda decorrentes da situação pandémica. À semelhança do que já aconteceu o ano passado, a Câmara Municipal não quer deixar de marcar esta semana festiva, e delineou um programa
alternativo com o objetivo de animar o comércio local e atrair visitantes, cumprindo as normas de saúde e segurança vigentes.
"A aposta é num programa abrangente e diversificado, destacando-se o Festival de Artes de Rua. Além da presença das Estátuas Vivas, que fizeram enorme sucesso em 2020, o evento conta ainda com músicos, malabaristas, caricaturistas, entre outras performances", explica a autarquia. O festival decorre diariamente entre as 15h00 e as 19h00, e os artistas circulam
pelas ruas da vila, animando o comércio local.
O programa inclui ainda uma exposição de pintura de Ivone Ramos, natural de Mortágua, que está patente no espaço-galeria da Câmara Municipal, e o evento “Música na Praça”, com a atuação de bandas locais.
A Praça do Município vai ser palco da atuação das Bandas MUST (dia10), Dang! (dia 11), Day Tay (dia 12), Cordas Partidas (dia 13) e Hopus Band (dia 14).
A semana festiva culmina no sábado com um espetáculo de Stand Up Comedy, protagonizado pela dupla humorista Quim Roscas e Zeca Estacionâncio. O espetáculo terá lugar na Praça do Município, com início marcado para as 22h00.
Este ano, os vários eventos surgem integrados no programa cultural em rede “Praças com Vida”, que junta os municipios de Mortágua, Mealhada e Penacova. "O programa promove a cultura, o património e a valorização turística destes três territórios, convidando à fruição de praças, parques, jardins e centros históricos enquanto locais de encontro e partilha, convertendo-os em autênticos “palcos vivos” para a realização de múltiplos eventos culturais, em diferentes áreas", refere a Câmara Municipal de Mortágua.

Cultura
Mangualde: Serra das Pousadas recebeu concertos e sessões de observação do Universo

O Município de Mangualde promoveu no fim de semana, de 6 a 8 de agosto, o evento “Verão Estrelas”. Realizado pela primeira vez este ano, o evento "realçou a beleza natural da Serra das Pousadas, em Guimarães de Tavares, o ponto mais elevado do concelho de Mangualde, tornando-a palco de três noites memoráveis com artistas locais de grande valor: Zé Júlio Figueiredo, Miguel Rodrigues e Francisco Sales", refere a autarquia. 
A iniciativa incluiu também sessões de observação do Universo através de telescópio, e projetadas em vídeo led, acompanhadas pelas palavras do Professor Ângelo Fernandes, membro da Academia STEM Mangualde, "que encantou o público com as suas explicações sobre o que estava a ser observado. Foram três aulas de astronomia que enriqueceram todos os presentes". Os participantes receberam ainda um kit oferta da União das Freguesias de Tavares que incluía uma chávena alusiva ao evento, onde no final da noite puderam tomar um acolhedor chocolate quente.
O projeto “Verão Estrelas” foi uma iniciativa do Município de Mangualde, promovido no âmbito do Projeto Intermunicipal “Cultura no Dão” cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. A organização esteve a cargo da Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, que contou com a colaboração da União das Freguesias de Tavares e com a parceria da Academi@ STEM Mangualde.

Cultura
LAMEGO: Concerto de Ana Laíns evoca Fausto Guedes Teixeira

O Município de Lamego anunciou hoje num comunicado de imprensa que no próximo sábado, dia 14, pelas 21H30, o Parque Isidoro Guedes acolhe um concerto evocativo do poeta lamecense Fausto Guedes Teixeira.

A iniciativa decorre no âmbito das comemorações dos 150 anos do nascimento do “poeta do amor” e terá como protagonista Ana Laíns, fadista e cantora de música tradicional, natural de Tomar.

Segundo a nota de imprensa, apesar da entrada ser gratuita a reserva do lugar é obrigatória, tendo em conta as limitações impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e, para isso, podem ser levantados os bilhetes no Teatro Ribeiro Conceição ou a através da morada digital: https://www.eventcontrol.pt/cmlamego.

Cultura
Lamego recriou peregrinação a Santiago de Compostela

O Largo da Sé, em Lamego, foi palco no domingo (08 de agosto) de uma cerimónia de lava-pés aos peregrinos que iam a Caminho de Santiago de Compostela. Um momento que culminou uma recriação histórica da peregrinação a Santiago, promovida pelo Município de Lamego. A iniciativa teve início no Convento de Ferreirim, acompanhada ao longo de todo o percurso pelas explicações do historiador Joel Cleto. "Os Caminhos de Santiago também são, hoje em dia, um motor de atividade económica e de promoção dos territórios por onde passam. Lamego ocupa uma posição privilegiada, neste contexto, ao ser cruzada por dois caminhos muito conhecidos: o Caminho do Interior e o Caminho de Torres. Quisemos afirmar Lamego, a este nível, por ser Ano Xacobeo", explicou o Presidente Ângelo Moura no final do evento.
Os Caminhos de Santiago constituem algumas das rotas mais antigas do mundo, percorridas por peregrinos desde o período medieval. Com o passar dos anos, tornaram-se itinerários espirituais e culturais, feitos anualmente por milhares de pessoas. 
A recriação histórica que decorreu em Lamego foi promovida no âmbito da iniciativa "Redes de Património e Caminhos em Ano Xacobeo", financiada pelo FEDER, tendo passado por diversos pontos de interesse histórico, nomeadamente o Convento de Ferreirim, as Igrejas de São Lázaro, Senhora dos Meninos, Senhora dos Aflitos e Desterro, o Teatro Ribeiro Conceição e a Igreja Catedral.

Cultura
Museus nacionais com entradas gratuitas para jovens na quinta-feira

Os museus, monumentos e palácios tutelados pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), entre eles o Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, vão celebrar o Dia Internacional da Juventude na quinta-feira (12 de agosto) com entradas gratuitas para jovens entre os 12 e os 29 anos.

As comemorações desta data são promovidas pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude, às quais a DGPC se associa, abrindo as portas de museus e monumentos aos jovens desta faixa etária com gratuitidade também para atividades inspiradas na alimentação, ambiente e sustentabilidade.

Este ano, a data vai ser usada para assinalar e promover a visão dos jovens sobre o tema "Transformar Sistemas Alimentares: Inovação Juvenil para a Saúde Humana e Planetária", e serão desenvolvidas iniciativas que apelem a adesão da população jovem à reflexão.

"Atualmente, os/as jovens têm um papel crucial na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O mundo tem testemunhado a mobilização, sem precedentes, das pessoas jovens em todo o mundo, o que demonstra o enorme potencial que possuem para responsabilizar decisores", lê-se num texto sobre a iniciativa, colocado na página ´online´ da DGPC.

A "Década de Ação" anunciada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em setembro de 2019, "exige que as populações, incluindo a jovem, gerem um movimento imparável que alavanque as transformações necessárias", acrescenta.

O tema escolhido para 2021 "permite aos/às jovens a oportunidade de integrar as suas vozes, ações e iniciativas, bem como, defender o seu envolvimento pleno, universal e equitativo em esforços para enfrentar os enormes desafios que a humanidade enfrenta", sublinha ainda.

Cultura
Vouzela: Torres Medievais de Alcofra e Vilharigues de portas abertas para os visitantes

Dias Abertos nas Torres Medievais de Alcofra e Vilharigues, no concelho de Vouzela, continuam durante este mês de agosto.

A autarquia vouzelense refere que depois da "grande afluência" de visitantes às Torres Medievais de Alcofra e Vilharigues, no âmbito da iniciativa "dia aberto", que se realizou nos dias 24 e 25 de julho, a Câmara Municipal repete a atividade, durante o mês de agosto.

Assim, todas as quartas e sextas-feiras (dias 11, 13, 18, 20, 25, 27), das 14h às 17h30 e no domingo dia 29, das 14h às 18h, ambos os espaços terão as suas portas abertas e o apoio de um técnico para orientar a visita.

Cultura
Planalto Beirão leva exposição itinerante a Vila Nova de Paiva

Entre esta segunda-feira (9 de agosto) e sexta-feira (13 de agosto), Vila Nova de Paiva recebe uma exposição itinerante sobre  a temática da Economia Circular. Na segunda e terça-feira a exposição está junto à Câmara Municipal e de quarta a sexta-feira, junto ao Parque Urbano de Vila Nova de Paiva.

Promovida pelo Planalto Beirão, esta exposição itinerante de sensibilização desafia a população a explorar a temática da Economia Circular, de forma lúdica e pedagógica, através de inúmeros conteúdos interativos e plataformas multimédia, "adaptadas a miúdos e graúdos".

"Os objetivos passam pela consciencialização para a problemática dos resíduos urbanos em Portugal, especificamente, na região do Planalto Beirão, pelo conhecimento da cadeia de valorização dos resíduos na Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB), das regras de separação e as boas práticas e a transição da economia linear para a economia circular", informa a autarquia de Vila Nova de Paiva.

"A intenção geral é mostrar a Ideia com Futuro que é Reciclar no Planalto Beirão, dando a conhecer a importância e vantagens da Economia Circular, informar sobre o Plano de Ação que a União Europeia adotou, favorecendo uma consciencialização ambiental e a mudança de atitude", acrescenta.

Cultura
Sátão: exposição com temática ambiental passa pela Praia Fluvial do Trabulo

A exposição itinerante de temática ambiental do Planalto Beirão está em Sátão. Esta seguda-feira, dia 2 de agosto, na Praça Paulo VI, em frente ao edifício da Câmara Municipal e, de 03 a 06 de agosto, na Praia Fluvial do Trabulo.
Desafiar a população a explorar a temática da Economia Circular, de forma lúdica e pedagógica, através de inúmeros conteúdos interativos e plataformas multimédia, é o que propõe a exposição itinerante que, ao longo de 18 meses, irá percorrer as ruas dos 19 municípios do Planalto Beirão.
Nesta exposição de sensibilização itinerante, miúdos e graúdos poderão divertir-se com jogos lúdico-pedagógicos, vídeos, apresentações e muitas outras atividades interativas, devidamente adaptadas a cada idade.

Divertimo-nos enquanto:

- Nos consciencializamos para a problemática dos resíduos urbanos em Portugal, especificamente, na região do Planalto Beirão;

- Conhecemos a cadeia de valorização dos resíduos na Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB);

- Relembramos as regras de separação e reforçamos as boas práticas;

- Abordamos a urgente transição da economia linear para a economia circular.

 

Cultura
'Verão Estrelas' permite ouvir música e observar os astros em Guimarães de Tavares

Entre esta sexta-feira e domigo (6 a 8 de agosto), o Município de Mangualde promove o evento “Verão Estrelas”. Uma iniciativa composta por concertos "intimistas que prometem deixar na memória uma noite inesquecível, que irá aliar a bela paisagem natural à astronomia e à música". O evento tem lugar na Serra das Pousadas, em Guimarães de Tavares.
Segundo a autarquia mangualdense, o público "é convidado a observar o universo através de dois telescópios que estarão estrategicamente colocados para observação dos astros, enquanto é proporcionado um momento musical".
A iniciativa tem início esta sexta-feira  com o concerto de José Júlio. Já no sábado, o momento musical é protagonizado por Miguel Rodrigues com o projeto “Empa”. Francisco Sales, com ligações familiares a Penalva do Castelo, é o músico convidado da última noite do evento, a 8 de agosto. Os concertos começam todos os dias pelas 21h30.
O evento é um projeto Cultura no Dão, que será acompanhado por profissionais da Academi@ STEM Mangualde.
A autarquia refere que há transporte disponível a partir do Centro Comercial de Guimarães de Tavares às 21h15 para o local do evento. A lotação é limitada a 60 lugares. A entrada é gratuita, mas com marcação de lugares e aquisição obrigatória de bilhetes na Biblioteca Municipal e Papelaria Adrião, de forma a respeitar as normas emanadas pela DGS. 

Cultura
Biblioteca de Mangualde tem patente uma exposição de pintura que recorda Eurico Cunha

A Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, em Mangualde acolhe a partir desta segunda-feira, 2 de agosto. uma exposição de pintura de homenagem ao mangualdense Eurico José Gomes Cunha. A mostra fica patente até dia 11 de setembro. A iniciativa, de entrada livre, é um tributo prestado pelos amigos do autor, que tiveram a necessidade de homenagear e recordar Eurico Cunha.
A exposiçãp será composta por obras reunidas pelos amigos de Eurico, de forma a criar uma exposição à imagem do artista, uma vez que Eurico Cunha desde cedo ofereceu aos amigos e familiares as suas criações. 
 

Cultura
Lamego: encontros, residências e várias encomendas no ZigurFest deste ano

O festival ZigurFest, em Lamego, volta a programar uma série de concertos e intervenções artísticas no final de agosto na cidade, numa edição com vários encontros, residências e encomendas a artistas portugueses.

O festival, que vai realizar-se de 25 a 28 de agosto, vai acolher concertos de Braima Galissá, Marcelo dos Reis, Yakuza, Luís Pestana, SCOLARI e Fashion Eternal, entre outros, num programa que procura retratar a realidade musical portuguesa, foi hoje anunciado.

Este ano, o ZigurFest conta com “várias encomendas” a artistas e residências artísticas, disse à agência Lusa António Silva, da organização, destacando também uma edição com “muita música improvisada” e com vários concertos em que foi pedido a vários dos projetos que vão a Lamego para prepararem “algo de especial para o festival”. 

“Depois de um ano e meio sem poderem tocar, acho que os concertos têm tudo para serem qualquer coisa de especial”, salientou.

António Silva apontou para uma encomenda da organização, um encontro entre Afta 3000, Wugori e Lyfe, que estarão juntos pela primeira vez no festival e que vão tocar no último dia do programa.

Um filme-concerto dos Folclore Impressionista resultado de uma residência em Lamego, um concerto dos Medusa Unit, numa peça que vai interagir com o espaço, e um cruzamento entre a percussão de João Valinho e a dança de Marta Viana são outras das propostas do festival.

No ZigurFest, também vão estar Boris Chimp 504, Serpente, Don Pie Pie, coletivo vandalismo e os artistas plásticos Luís Plácido Costa e Mariana Simão.

“Acho que vai ser um momento de alguma catarse para muita gente, com a felicidade de voltarmos a estar juntos, de ver os músicos e o público em comunhão”, salientou António Silva.

Durante o festival, também estará disponível uma aplicação interativa para o Som do Espaço - iniciativa em que são convidados artistas para instalações sonoras em espaços da cidade -, em que será possível ouvir as composições, a partir de geolocalização.

O festival, que decorre em diferentes espaços da cidade como o Teatro Ribeiro Conceição, o Castelo ou a Alameda, é gratuito e conta com o apoio da Câmara Municipal de Lamego e da Direção-Geral das Artes.

Cultura
Mata do Fontelo, em Viseu, recebe Festival Karma em setembro

O festival Karma, dedicado à música independente, volta este ano a ter como cenário a Mata do Fontelo, em Viseu, permitindo ao público um encontro entre a natureza e as artes, de 02 a 05 de setembro.

Em 2020, devido à covid-19, a Mata do Fontelo recebeu um evento à medida da realidade então vivida, chamado ironicamente “Karma is not a fest”, lembrou o diretor artístico do festival, Nuno Leocádio, durante a apresentação da programação.

Este ano, o objetivo foi “redefinir o Karma como se fosse a primeira vez”, porque continuam a existir restrições não só por causa da pandemia, mas também da Mata do Fontelo, “que tem tanto de monumental, como de frágil”, justificou.

“Se isto fosse algo prejudicial não o faríamos”, garantiu, acrescentando que este evento, a cada ano, representa a emotividade de saber que a cooperativa continua “a fazer não por fazer”, mas pelas responsabilidades que tem para com os artistas e “quem se alimenta da cultura”.

A programação do Karma inclui concertos de A Azenha, Marlow Digs, Club Makumba, Cabrita, Yakuza, Bardino, Dada Garbeck e Amaterazu.

Serão também apresentadas criações como os Estranhofones, de Samuel Martins Coelho e César Estrela, e o livro de fotografias de concertos de Rafael Farias.

Segundo Nuno Leocádio, irá também realizar-se a Oficina de Criação Musical, com João Pedro Silva, e será apresentada a Escola do Rock de Paredes de Coura.

Uma exposição de fotografia de Rafael Farias e a realização de um filme que é uma experimentação visual e sonora sobre os pressupostos de uma mata centenária, produzido e realizado pelos Supermoon, também fazem parte da programação.

O festival Karma conta com 50 mil euros de apoio financeiro do município de Viseu.

Cultura
Penalva do Castelo: 'Le Magicien' para ver este domingo à noite

O jardim da Câmara Municipal de Penalva do Castelo recebe este domingo (1 de agosto) à noite, pelas 21h00, o espetáculo teatral “Le Magicien". Segundo a autarquia penalvense, o espetáculo não necessita de reserva e será por ordem de chegada.
"Este espetáculo é uma experiência de reflexão e introspeção, sendo por isso uma experiência individual" e para maiores de 12 anos, com a duração de 3 minutos por pessoa.

SINOPSE:
Le Magicien funde magia, storytelling e teatro imersivo, resultando numa experiência distinta para cada participante.
O tempo limite de cada momento é vivido em segredo, na primeira pessoa. Cada um tem a oportunidade de exercer o desejo do livre-arbítrio, mesmo que não conheça antecipadamente as consequências da sua decisão.
Ilusão, realidade ou algo pelo meio, ficará na memória de cada um.
Uma escolha singular, abre portas entre o passado, presente e futuro, que nos pergunta - O que fica para contar?

Ficha Artística:
Conceção e Interpretação - Zé Mágico
Cicerone - Roger Bento
Texto - Leandro Morgado
Figurino - ACERT Tondela
Bengala - Albert Garciagos

Cultura
Mangualde: 'Verão Estrelas' com concertos e observação de astros

O Município de Mangualde vai promover, de 6 a 8 de agosto, o evento “Verão Estrelas”. Uma iniciativa composta por concertos intimistas "que prometem deixar na memória uma noite inesquecível, que irá aliar a bela paisagem natural à astrologia e à música". O evento tem lugar na Serra das Pousadas, em Guimarães de Tavares.
Segundo a autarquia mangualdense, o público "será convidado a observar o universo através de dois telescópios que estarão estrategicamente colocados para observação dos astros, enquanto é proporcionado um momento musical".
A iniciativa tem início na sexta-feira, dia 6 de agosto, e conta com o concerto de José Júlio. Já no segundo dia, 7 de agosto, o momento musical é protagonizado por Miguel Rodrigues com o projeto “Empa”. Francisco Sales é o músico convidado da última noite do evento, a 8 de agosto. Os concertos começam todos os dias pelas 21h30.

O evento é um projeto Cultura no Dão, que será acompanhado por profissionais da Academi@ STEM Mangualde.
A autarquia refere que vai haver transporte disponível a partir do Centro Comercial de Guimarães de Tavares às 21h15 para o local do evento. A lotação é limitada a 60 lugares. A entrada é gratuita, mas com marcação de lugares e aquisição obrigatória de bilhetes na Biblioteca Municipal e Papelaria Adrião, de forma a respeitar as normas emanadas pela DGS. 

Cultura
Sátão: arte Naif para ver na Casa da Cultura

A Casa da Cultura de Sátão apresenta de 02 a 31 de agosto de 2021, a segunda edição da exposição “Imagens de Arte Naif”, uma coletânea de quadros doados ao Município de Sátão, por parte de Hermínio Ferreira.
"A arte Naif carateriza-se por ser um tipo de arte simples desenvolvida por artistas, sem conhecimento de técnicas académicas. O artista expõe as suas próprias experiências de forma simples e espontânea, sem obedecer a regras estereotipadas. Este tipo de arte possui liberdade estética em que os artistas pintam com a alma e utilizam experiências pessoais", explica a autarquia.
A Arte Naif também é denominada de Arte Primitiva Moderna, tendo como precursor e principal artista Henri Rousseau, nascido em 1844 em Paris, pintor especialista em cores e autodidata.
A exposição “Imagens de Arte Naif” fica patente de 02 a 31 de agosto, na Casa da Cultura de Sátão, de segunda a sexta-feira das 9h00 às 17h30 e sábado das 9h00 às 14h00.

Cultura
Sátão: 'Ideias sortidas' para ver no Posto de Turismo

O Posto de Turismo de Sátão recebe a exposição de artesanato “Ideias Sortidas”, da artesã Isabel Soares, de 02 a 31 de agosto de 2021.
Isabel Soares é natural de Viseu, aproveitou o "tempo disponível provocado pela pandemia" e colocou em prática o projeto de
artesanato “Ideias Sortidas”, que consta na elaboração de vasos artesanais e outros artigos relacionados.
A exposição fica patente no Posto de Turismo de Sátão, de segunda a sexta-feira das 09h00 às 17h30 e sábados das 09h00 às 14h00.

Cultura
Museu de Lamego recria vida e obra do poeta Fausto Guedes Teixeira

O Município de Lamego vai apresentar esta sexta-feira, dia 30 de julho, pelas 21h30, no pátio do Museu de Lamego, uma recriação da vida e obra do poeta lamecense Fausto Guedes Teixeira, no âmbito das comemorações do sesquicentenário do nascimento do “poeta do amor”.
Na performance de homenagem, a Filandorra– Teatro do Nordeste “revisitará” a vida e obra de Fausto Guedes Teixeira, desde o seu nascimento, a viagem para o Brasil, os seus amores e o regresso a Lamego de onde “bebeu” inspiração para escrever grande parte da sua obra literária até à sua morte, em 1940.
São nove os momentos da vida do poeta que os atores vão dramatizar com base na obra “Fausto Guedes Teixeira – O Meu Livro – Uma Leitura”, da autoria de Manuela Vaquero. 
Com versão cénica e encenação de David Carvalho, e assistência literária de Manuela Vaquero, a performance “Vida e Obra de Fausto Guedes Teixeira… o poeta do amor” tem interpretações de Inês Medeiros, Anita Pizarro, Bibiana Mota, Débora Ribeiro, Helena Vital, Sofia Duarte, Bruno Teixeira, Luís Filipe, Rui Moura e Silvano Magalhães, e na técnica Pedro Carlos e Carlos Carvalho, em colaboração com a equipa técnica do Teatro Ribeiro Conceição.

Cultura
Município de Vouzela assinala Dia dos Avós

O Município de Vouzela disponibiliza, até à próxima quinta-feira (29 de julho), um espetáculo musical online "Velhos são os Trapos", da companhia de teatro de Coimbra Atrapalharte - Produções Teatrais.

A peça, com 45 minutos de duração, é uma comédia musical que fala da exclusão social e dos problemas da velhice e das suas consequências.

Na sinopse pode ler-se: "Velhos São Os Trapos conta a história de dois amigos Idosos, cujos dias são passados num Centro de Dia, sempre supervisionados pela Enfermeira Severa que os mantém em constante atividade. Mas na sua ausência, os simpáticos seniores revelam-se verdadeiros artistas, desafiando as suas capacidades e limitações. Embevecidos com a beleza da enfermeira, os dois decidem lutar por ela, mas quando descobrem que há uma pessoa na sua vida, não lhes resta alternativa senão o óbvio: têm de assassinar o noivo, num plano claramente infalível... ou será que não?"

A iniciativa serve para assinalar o Dia dos Avós, que se comemora esta segunda-feira (26 de julho).

Cultura
'A Casa' em destaque no Ciclo de Fotografia de Lamego e Vale do Varosa

Este sábado, 24 de julho, é inaugurada a 2.ª edição do Ciclo de Fotografia de Lamego e Vale do Varosa. Com curadoria de Manuela Matos Monteiro e João Lafuente, Embaixadores de fotografia do Museu de Lamego, o ciclo que recentemente recebeu o Prémio de Inovação e Criatividade pela Associação Portuguesa de Museologia, apresenta quatro exposições que tem por tema “A Casa”.
"Com um registo híbrido, o ciclo apresenta exposições nos formatos físico e virtual, distribuídas pelo Museu de Lamego, Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e Torre Fortificada de Ucanha e nos canais web do Museu de Lamego e Mira Forum", refere o Museu de Lamego.

A exposição pode ser visitada até dia 31 de outubro.

Cultura
Penalva do Castelo: Associação Eira promove 'Verão na Eira' (com áudio)

Durante os meses de julho, agosto e setembro, a Eira, Associação do concelho de Penalva do Castelo (Luzinde) promove o evento cultural  “Verão n’A Eira”. 
Até setembro estão previstas sessões de cinema em várias aldeias e concertos de música.
Carlos Pina, um dos responsáveis pela associação fala da iniciativa cultural.

Cultura
Dia aberto nos núcleos museológicos de Alcofra e Vilharigues a 24 e 25 de julho

Este fim de semana, 24 e 25 de julho, os núcleos museológicos das Torres Medievais de Alcofra e Vilharigues, no concelho de Vouzela, estão abertos ao público durante o período da tarde.
Entre as 14h00 e as 18h00, ambos os espaços têm as portas abertas e o apoio de um técnico para orientar a visita. A iniciativa "Dia aberto" é "uma forma de atrair mais visitantes aos monumentos do concelho", revela a autarquia.
A iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia de Alcofra e da União de Freguesias de Vouzela e Paços de Vilharigues.

Cultura
Museu de Lamego recebe concertos 'Por Lugares Nunca Dantes Visitados' com Orquestra Nacional Moderna

Este fim de semana, 24 e 25 de julho, o Museu de Lamego e os Monumentos do Vale do Varosa (Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e Mosteiro de São João de Tarouca) recebem um conjunto de concertos promovidos pela Orquestra Nacional Moderna, no âmbito do projeto "Por lugares nunca dantes visitados".

A iniciativa procura levar a música a territórios do norte do país, privilegiando lugares do interior, de modo a promover “o reencontro com a simplicidade das paisagens e das gentes locais”.

Programa:
Sábado

Museu de Lamego
16h00 – Ensaio aberto
18h00 – Concerto

Domingo
Mosteiro de Santa Maria de Salzedas
15h00 – Concerto

Mosteiro de São João de Tarouca
19h00 – Concerto

Cultura
Grupo Origo atua, este sábado, na Igreja de São Martinho de Mouros, em Resende

Este sábado, 24 de julho, pelas 21h30, a digressão “Monumentum” do Origo Ensemble pela Rota do Românico passa pela Igreja de São Martinho de Mouros, em Resende.
O espetáculo “Monumentum” é essencialmente vocal, com repertório sacro de cariz medieval, bizantino e renascentista, incluindo pequenos apontamentos sobre a narrativa das peças, os compositores e outras curiosidades da história da música.

Ensemble vocal feminino, as Origo nasceram em 2011, tendo como objetivo o estudo, a interpretação e a divulgação da música antiga. A sua formação atual conta com Ana Margarida Laranjeira, Patrícia Ramos, Raquel de Lima, Sofia Macaia e Sónia André.

A Rota do Românico reúne, atualmente, 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende).

As principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística.

Cultura
Viseu: 'Que Jazz É Este?' decorre até domingo

O festival "Que Jazz É Este?" está de regresso a Viseu, entre esta quarta-feira e domingo (21 e 25 de julho). A organização, que conta com o apoio do Município de Viseu, com o departamento da Proteção Civil e da PSP, promete cinco dias, com sete espaços para a apresentação de 16 concertos.

A edição deste ano conta ainda com concertos ao domicílio, um workshop de jazz, conversas, oficinas e 20 horas de rádio, "num festival que pauta pela diversidade nas estéticas e linguagens musicais", refere a organização.

Devido à pandemia, os concertos que estavam agendados para o Parque Aquilino Ribeiro passam para o jardim da Casa do Miradouro, com acesso restrito ao público que efetuou reserva previamente. Também o concerto previsto com o coletivo Gira Sol Azul, e convidado especial Tony Momrelle, foi adiado, com data a anunciar, sendo que Carlos Peninha Quarteto passa a atuar nesse horário de quinta-feira, às 21h00. O duo Elisa Rodrigues e Feodor Bívol atua às 19h00 do mesmo dia.

O Jazz ao Domicílio tem como principal objetivo levar a música às pessoas, e, este ano, o jazz chega aos jardins do Hospital Psiquiátrico de Viseu, ao Internato Vítor Fontes, Lar de S. Caetano e Centro de Deficientes Profundos de St. Estevão pelo grupo de alunos da Escola Profissional da Serra da Estrela e Combo Jazz Gira Sol Azul.

O "Que Jazz É Este?" apresenta ainda um ciclo de conversas "que visam ser um espaço de partilha e reflexão, sobre algumas questões importantes relacionadas com a gestão de carreira dos artistas", refere a organização.

Os concertos que sofrem uma maior limitação de lugares, são transmitidos via streaming no site do festival, "de forma a poderem ter maior alcance de público", finalizam.

Cultura
Museu da Misericórdia de Viseu apresenta a exposição interativa 'Caminhos de Santiago'

O Museu da Misericórdia de Viseu inaugura esta quarta-feira, 21 de julho, uma exposição com fotografias de Caminhos de Santiago em Portugal, esculturas de arte sacra de antigos peregrinos, como a Rainha Santa Isabel, e um espaço dedicado às crianças e ao ambiente.

“É uma exposição sensitiva, porque é possível ouvir sons do ambiente, como água a correr, passarinhos e vozes reais de peregrinos. É também muito rica, com conteúdos diversificados e muito interativa com o público”, revelou à agência Lusa o diretor do Museu.

Henrique Almeida acrescentou que as pessoas são desafiadas a “participar de diversas formas” e, a título de exemplo, disse que “as fotografias não têm legendas, só números, para que cada um dos visitantes possa escrever no quadro a sua própria legenda pela forma como a fotografia comunicou com ele”.

Assim, “Peregrinar… nos Caminhos de Santiago” apresenta uma mostra de 40 fotografias de António Soares Mendes feitas em diversos caminhos portugueses” e, em destaque, precisou, “está uma parte do caminho do interior, entre Viseu e Lamego”.

Um caminho que liga duas igrejas do estilo barroco, o da Misericórdia em Viseu e o da Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, e, por isso, está em “destaque e o público é convidado a descobrir mais sobre estas duas igrejas”.

Além das fotografias estão também patentes “esculturas de arte sacra”, como, por exemplo, o São Teotónio, padroeiro da Diocese de Viseu, e a Rainha Santa Isabel, isto, porque “são representações dos peregrinos do clero e da realeza e há também um peregrino a simbolizar o povo”.

Henrique Almeida adiantou que o Museu da Misericórdia tem ainda “vídeos, jogos de palavras” e um espaço dedicado aos mais pequenos, onde “estão expostos desenhos que foram recuperados de uns trabalhos feitos há dois anos, sobre as obras da Misericórdia, que são 14, sete espirituais e sete corporais”.

Uma mostra que acontece “num ano tão especial para os peregrinos” e que “valoriza não só a cidade de Viseu para quem visitar a exposição, como também a história da própria Misericórdia”.

Até fevereiro de 2022, haverá também diversas iniciativas, como conferências relacionadas com os Caminhos de Santiago, nas “suas múltiplas abordagens”.

A exposição conta com a parceria do Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu, que “cedeu algumas das obras de arte sacra” e tem o Alto Patrocínio do Presidente da República.

Cultura
Viseu: 'Fósseis, Fragmentos Pós-Arqueológicos' é a nova exposição patente na Quinta da Cruz

Desde este sábado, dia 17 de julho, a Quinta da Cruz, Centro de Arte Contemporânea de Viseu tem patente uma nova exposição temporária. Da autoria de João Dias, intitula-se "Fósseis - Fragmentos Pós-Arqueológicos” e é resultado de uma colaboração com o Polo Arqueológico de Viseu António Almeida Henriques.
Segundo a Câmara Municipal de Viseu, "as obras apresentadas refletem o olhar do autor sobre o meio natural e traduzem uma recolha e um método de catalogação das paisagens, que se materializa na criação de elementos escultóricos". 
A exposição configura, a primeira apresentação pública de uma linguagem desenvolvida pelo artista ao longo dos últimos anos. "Através dela, introduz-se um processo inovador, adaptado a partir das tecnologias de fotogrametria, maquetagem e impressão 3D, para a representação de pormenores de espaços físicos concretos, existentes na região de Viseu, quer de referência patrimonial e arqueológica, quer de referenciação pessoal do autor" refere a autarquia.
Assim, de forma interativa, e através da utilização de conceitos de media-art sobrepostos à criação, o visitante pode explorar as diferentes narrativas ficcionais que ali se reúnem, recorrendo à realidade aumentada.
"Esta exibição, que se caracteriza pela forte ligação entre as obras de arte, a arqueologia e a natureza, contará ainda com uma extensão localizada nos Jardins da Casa do Miradouro, que será aberta ao público em data a anunciar", conclui.

Cultura
Mangualde: 'Voltas da lua' apresenta, este sábado, a cantora Fátima Fonseca (com áudio)

“Voltas da Lua” é o evento que entre este sábado (17 de julho) e segunda-feira (19 de julho) tem como cenário o jardim da Biblioteca Municipal de Mangualde. São noites de animação e cultura ao luar que contam com alguns espetáculos.
Este sábado. à noite, sobe ao palco a luso-brasileira, com raízes familiares no Sátão, Fátima Fonseca. Através da Dão Digital fez um convite para que compareçam em segurança.
Já no domingo (18 de julho), à noite, acontece o espetáculo “Mentira a Quanto Obrigas”, do Teatro de Montemuro. UZHOMS vão animar a última noite do evento, 19 de julho. Os espetáculos começam todos os dias pelas 21h30. O evento poderá ser acompanhado em direto na página do Facebook do Município de Mangualde ou no YouTube da Biblioteca Municipal.

Cultura
Oliveira de Frades recebe, no domingo, 'Filarmonias'

O concelho de Oliveira de Frades recebe este domingo a segunda edição do "Filarmonias". São três concertos na região de Lafões (S. Pedro do Sul, Oliveira de Frades e Vouzela) que integram o projeto Lafões - Terras de Cultura.

Os concertos são realizados pelas bandas filarmónicas dos três municípios, com o objetivo de promover o trabalho desenvolvido.

O segundo concerto está agendado este domingo, dia 18 julho, às 18h00, no Largo da Feira, em Oliveira de Frades. Ao palco sobe a Filarmónica Verdi Cambrense e a Banda de Música de Oliveira de Frades. A entrada é gratuita, mas devido à situação pandémica, é obrigatória a reserva na Biblioteca Municipal de Oliveira de Frades.

Cultura
'As Cortes de Lamego' regressam este fim de semana

O Município de Lamego regressa ao passado, este fim de semana, com "As Cortes de Lamego". O evento, organizado pela Câmara Municipal, decorre no âmbito da feira medieval e apresenta dois espetáculos multimédia, com entrada gratuita.

Segundo a autarquia, o evento "aposta na dinamização do turismo e do comércio local, já que possibilitará também que vários mercadores e artesãos possam dar a conhecer a sua atividade e os seus produtos".

"Devido à situação pandémica, a edição deste ano decorre em moldes diferentes", explica Ângelo Moura, presidente da Câmara Municipal de Lamego."Assume apenas a forma de espetáculo, mas sempre com o objetivo de afirmar Lamego como destino turístico e cultural, contribuindo para a dinamização social e económica do concelho, e o estímulo da economia local, em especial das zonas históricas da cidade", acrescenta.

"As Cortes de Lamego" decorrem na Praça do Comércio e no Bairro do Castelo, às 21h00, nas noites de sábado e domingo. Os espetáculos têm duração de uma hora, "em que a encenação apresentada associa história à modernidade, com recurso a luzes, cores, projeção de imagens e pirotecnia", refere a autarquia.

O acesso é controlado e limitado, e os interessados devem levantar os bilhetes na Loja de Turismo de Lamego.

Cultura
Mangualde homenageou o músico José dos Santos Pinto

O Município de Mangualde homenageou o músico José dos Santos Pinto durante a tertúlia-concerto comentado que teve lugar na Igreja Matriz de Lobelhe do Mato.
Cumprindo todas as regras de segurança emanadas pela Direção Geral da Saúde – DGS, cerca de 25 pessoas marcaram presença na iniciativa e assistiram à tertúlia–concerto moderada por Ana Margarida Cardoso. O momento cultural contou ainda com a presença do oboísta Luís Francisco Vieira, antigo aluno de Santos Pinto, que partilhou com o público algumas das memórias com o músico.
Tiago Coimbra no oboé e Joana Moreira no piano, protagonizaram o momento musical composto pelo seguinte repertório: José S. Pinto – Sonate dans l’Spirit Classique, para oboé e piano; Tomás Borba – Rosas Bravas: Melodia do Pastor (para oboé); Marcello/Bach – Adagio em Ré menor; José S. Pinto – Segunda Sonata, para oboé e piano.
A ação aconteceu no âmbito do projeto Reviver José Santos Pinto, cujo intuito é recordar o trabalho do músico e homenageá-lo. Constava ainda na programação deste projeto um Concerto Sinfónico com a Orquestra Poema, mas que acabou por ser cancelado.
O projeto Reviver Santos Pinto é da autoria de Ana Margarida Cardoso, que escreveu o livro “José dos Santos Pinto: retrato de um músico profissional durante o Estado Novo”, e do oboísta Tiago Coimbra. Através desta parceria pretendem recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público com o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira. Este instrumento faz parte do espólio constante na Sociedade Filarmónica Lobelhense, foi restaurado e é único no mundo, uma vez que a sua dedilhação foi patenteada pelo músico.

 

Cultura
Museu Nacional Grão Vasco mais acessível e aberto à comunidade no futuro

A diretora do Museu Nacional Grão Vasco (MNGV), em Viseu, Odete Paiva, disse hoje à agência Lusa que, neste novo mandato de três anos, quer tornar o museu mais aberto à comunidade.
“O meu projeto é ter um museu para a comunidade, muito aberto para a comunidade e com atividades e exposições temporárias, com um conjunto de propostas culturais que possam atrair a comunidade local e não só”, afirmou Odete Paiva.
A diretora, que está à frente do museu desde 2018, ganhou este ano um concurso internacional que a coloca à frente da instituição por mais três anos, e à agência Lusa lembrou que “o Grão Vasco é quase o único museu deslocado do eixo do litoral”.
“Ou seja, temos uma área de influência muito vasta e a comunidade de que falo tem mais de 100 quilómetros de raio, digamos assim, e que se sente atraída por aquilo que aqui se passa e por isso queremos trabalhar para atrair essa comunidade”, explicou.
Além disso, o plano passa por “trabalhar com as escolas, com o Plano Nacional das Artes, com parcerias, com diferentes organismos culturais” e, a título de exemplo, falou nos atuais parceiros como o Teatro Viriato ou o Cine Clube de Viseu com quem tem havido “projetos muito interessantes e inovadores”.
“Mas também [queremos] trabalhar uma outra área de inclusão, sermos cada vez mais inclusivos e acessíveis e isto tem a ver também com um trabalho que estávamos a desenvolver, agora com a pandemia torna-se muito mais difícil, porque são públicos muito mais especiais que requerem um trabalho especial”, disse.
Neste sentido, Odete Paiva explicou que “o museu é todo ele, fisicamente, acessível ao público”, mas agora o trabalho é para o tornar “acessível numa maneira intelectual, cultural e até mesmo económica”.
“O museu tem de ser acessível nas suas diferentes componentes de acessibilidade e não só na questão do elevador ou das rampas, porque isso há muito que está resolvido. Estas outras acessibilidades são para nós um foco muito importante”, reconheceu.
A diretora não escondeu uma outra aposta para o futuro que passa pela “valorização das obras e coleções” e, para isso, o MNGV está a projetar “exposições temporárias com obras das reservas, valorizando, enquanto se estuda e cuida, o que está nas salas permanentes”.

Cultura
Mangualde aposta em 'Voltas da Lua'

 O Município de Mangualde vai promover noites de animação e cultura ao luar, com o evento “VOLTAS DA LUA”: um conjunto de espetáculos intimistas, que terão lugar de 17 a 19 de julho, no jardim da Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves.
O evento tem início no dia 17 de julho com o concerto de Fátima Fonseca. Já o segundo dia, 18 de julho, conta com o espetáculo "Mentira a quanto obrigaas" do Teatro de Montemuro. UZHOMS vão animar a última noite do evento, no dia 19 de julho. Osm espetáculos começam todos os dias pelas 21h30. O evento pode ser acompanhado em direto na página do facebook do municipio de Mangualde ou no youtube da Biblioteca municipal.
A lotação é limitada e os lugares são marcados, de forma a respeitar as normas emanadas pela DGS. A entrada é gratuita, mas com aquisição obrigatória de bilhetes na Biblioteca Municipal e/ou na Papelaria Adrião.
 

Cultura
Tondela: exposição de artes plásticas no Museu Terras de Besteiros

O Museu Terras de Besteiros acolhe, a partir deste sábado, dia 10 de julho, uma mostra temporária de artes plásticas intitulada “10 objetos nómadas”, da autoria de José Mateus.
Atualmente a viver no concelho de Tondela, o artista propõe uma exposição de objetos que começaram a ser criados e construídos em 2010, depois do artista ter regressado do Porto, onde viveu durante quatro anos e estudou Arte e Design, na Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto.
Iniciaram-se em Pontével, no Ribatejo, continuaram em Fátima e Viseu, e a série completou-se já no Covelo (Tondela), onde reside atualmente.
Esta mostra poderá ser visitada até ao dia 09 de outubro deste ano.

Cultura
Museu de Lamego recebe exposição (im)provável

O Museu de Lamego recebe uma mostra de trabalhos realizados por alunos do 5.º ano do Agrupamento de Escolas Latino Coelho, no âmbito de um projeto de várias disciplinas.
“A exposição [im]provável resulta do trabalho realizado em contexto de sala de aula, no âmbito das disciplinas de Português, História, Educação Visual e Tecnológica, Ciências da Natureza e Educação Musical, pelos alunos do 5.º ano D”, daquele agrupamento de escolas em Lamego.
De acordo com uma nota de imprensa, a mostra, de entrada gratuita, que foi inaugurada este sábado e está patente até dia 18 de julho, chega ao Museu de Lamego depois das estórias [im]prováveis, das conversas [im]prováveis e das visitas [im]prováveis.
“Num desdobramento da segunda edição do concurso escolar de escrita criativa Estórias [im]prováveis, promovido entre o Museu de Lamego e a Rede de Bibliotecas de Lamego, a Exposição [im]provável resulta do trabalho realizado em contexto de sala de aula”, refere o documento.
Os alunos “participaram no concurso de escrita criativa, com textos literários em prosa ou em verso, inspirados nas obras do museu, e nas visitas [im]prováveis, nas quais foram protagonistas”, acrescenta.
“Ao longo de vários meses o Museu de Lamego e as suas coleções foram tema de um projeto educativo, que esteve na origem da produção de vídeos, e-books, bandas desenhadas, postais pop-up, sopas de letras e crucigramas, agora reunidos na exposição [im]provável”.

Cultura
Mentira a quanto obrigas do Teatro de Montemuro para ver em Vouzela e Oliveira de Frades

A vila de Vouzela recebe este sábado, dia 10 de julho, pelas 21h30, no Largo Conde de Ferreira, a peça de teatro "Mentira a quanto obrigas", do Teatro de Montemuro.
A iniciativa realiza-se no âmbito da Programação Cultural em Rede Viseu Dão Lafões promovida pela Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões em articulação com diversas autarquias.
Com encenação de Paulo Duarte e texto de José Carretas, esta é uma criação que conta a história de dois irmãos pastores que tinham tudo para ser felizes. Só lhes faltava uma coisa: rede no telemóvel. É aí que surge então uma mentira original, contada pelo pai e "mais e maiores mentiras nasceram".
A peça de teatro destina-se a maiores de 6 anos e tem uma duração de 60 minutos.
"Este é um espetáculo de rua que decorrerá de acordo com as normas da Direção Geral de Saúde", refere a Câmara Municipal de Vouzela.

No domingo, dia 11 de julho", a peça "Mentira a quanto obrigas" segue para o concelho de Oliveira de Frades. 

Cultura
Mangualde: exposição de pintura para recordar Eurico Cunha

A Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, em Mangualde vai receber uma exposição de pintura de homenagem ao mangualdense Eurico José Gomes Cunha. A mostra fica patente entre os dias 2 de agosto a 11 de setembro. A iniciativa, de entrada livre, é um tributo prestado pelos amigos do autor, que tiveram a necessidade de homenagear e recordar Eurico Cunha.
A exposiçãp será composta por obras reunidas pelos amigos de Eurico, de forma a criar uma exposição à imagem do artista, uma vez que Eurico Cunha desde cedo ofereceu aos amigos e familiares as suas criações. 
Biografia
Nascido a 16 de março de 1984, viveu e cresceu na cidade de Mangualde, onde frequentou o agrupamento de Artes na Escola Felismina Alcântara. Embora dado às artes desde cedo, aí demonstrou ser um destemido experimentalista, desenvolvendo as suas capacidades técnicas através da exploração de várias formas de expressão. Eurico Cunha revelava um imenso interesse pela pintura, escultura e fotomontagem, onde a arte do retrato sempre foi mais proeminente. Embora o seu trajeto artístico nunca tenha sido interrompido, somente aos 23 anos ingressou no curso de Artes Plásticas e Multimédia na Escola Superior de Educação de Viseu, onde desenvolveu interesse por design de comunicação e vídeo.

 

Cultura
Mais de 40 iniciativas culturais marcam a Região Dão Lafões até setembro

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões apresentou esta terça-feira (06 de julho) mais de 40 eventos culturais nos 14 municípios, a acontecerem entre julho e setembro, no âmbito da Rede Cultural, num investimento superior a 250 mil euros.
“Esta programação da Rede Cultural Viseu Dão Lafões é resultado de um trabalho de colaboração entre a CIM e os agentes culturais e artísticos da região e das propostas que chegaram”, na sequência de uma “convocatória aberta”, e “em articulação com os 14 municípios”, disse Nuno Martinho, secretário executivo da CIM.
Nuno Martinho, que falava na sessão de apresentação da programação para este verão, sublinhou ainda que “todos os espetáculos irão cumprir todas as regras sanitárias e medidas da Direção Geral da Saúde (DGS)”, sendo a sua realização avaliada concelho a concelho.
A programação deste verão da rede cultural, cofinanciada por fundos comunitários, através do programa operacional Centro 2020, conta com um investimento superior a 250 mil euros e envolve cinco entidades culturais.
Zé Mágico é quem dá o pontapé de saída com o espetáculo “Le Magicien”, em 09 de julho, em Santa Comba Dão, seguindo depois para mais 11 concelhos da CIM Viseu Dão Lafões.
O Teatro Montemuro apresenta-se em 10 de julho, em Vouzela, com “Mentira a quanto obrigas” e depois viaja para mais sete concelhos, até ao final de setembro, e a Contracanto - Associação Cultural estará em quatro concelhos, começando em Penalva do Castelo, em agosto, com o espetáculo “Só queria que me saísse… Dão!”.
A ACERT apresenta “Desafios”, no mês de agosto, em Vouzela, São Pedro do Sul e Mangualde e a AMAD - Associação de Música e Artes do Dão, com “Bandas Filarmónicas Lab”, levará música a cinco concelhos, no mês de setembro.
Nuno Martinho destacou ainda o facto de os espetáculos “serem pensados e trabalhados para acontecerem maioritariamente ao ar livre, cerca de 90% deles, apesar de serem controlados os acessos e a obrigatoriedade da higienização” individual e não se limitam às sedes dos concelhos – “alguns acontecem em diferentes freguesias”.
A CIM Viseu Dão Lafões é constituída por 14 municípios, um do distrito da Guarda, Aguiar da Beira, e os restantes do distrito de Viseu: Carregal do Sal, Castro Daire, Mangualde, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, São Pedro do Sul, Santa Comba Dão, Sátão, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela. 

Cultura
Pandemia leva a alteração de horários dos Jardins Efémeros

Devido ao aumento do número de casos de infetados por COVID-19, a organização dos Jardins Efémeros procedeu à alteração dos horários de alguns concertos. Assim, esta segunda-feira, dia 05 de julho, o concerto da Odete fica marcado para as 21h45 no Parque Aquilino Ribeiro seguindo-se de She Pleasures Herself, curadoria Fora de Rebanho às 22h45.
Na quinta-feira, dia 08 de julho, João Pais Filipe apresenta-se em  concerto, às 21h30 no Parque Aquilino Ribeiro.
O espetaculo de Bendik Giske, na sexta-feira, dia 09 de julho, fica marcado para as 20h30 e, no mesmo dia, Os Sereias, às 21h30 no Parque Aquilino Ribeiro.
No sábado, dia 10 de julho, a programação dos Jardins Efémeros começa com Gala Drop às 18h00 no Parque Aquilino Ribeiro, seguindo-se Ece Canli às 19h00. No mesmo dia, Suso Saiz e André Gonçalves às 20h30 e Rui Reininho, a fechar a noite no Parque da cidade, às 21h30.
Segundo a organização dos Joardins Efémeros, a equipa técnica, a equipa artística, os formadores e todos os outros membros desta equipa "estão a ser testados diariamente (PCR) numa unidade móvel de saúde instalada no Parque Aquilino Ribeiro para o efeito".

 

Cultura
Nelas recebe 'Andorinhas' pela Rede Cultural do Alto Mondego

A segunda edição da Rede Cultural do Alto Mondego arranca este sábado, dia 3 de julho, em Nelas. Os protagonistas são as associações culturais e a comunidade local. No total, sobem
ao palco 22 pessoas de Nelas e de Mangualde para a criação intiutlada “Andorinhas”.
"A criação artística que teve como ponto de partida a realidade do território, refere a organização acrescentando que os espectadores "podem contar com uma performance completamente fora de caixa e muito inovadora". Será “um teatro em cima de fitas” em que os participantes "terão muitas histórias para contar, numa homenagem ao Mondego e num apelo às memórias".
O espetáculo, marcado para as 21h30, é ao ar livre, junto à Praça do Município de Nelas, "assegurando-se todas as medidas de segurança indicadas pelas DGS".
Este é o primeiro de sete espetáculos previstos, nos concelhos de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia.

Cultura
Viseu: Jardins Efémeros decorrem até 11 de julho

Entre este sábado e 11 de julho decorre, em Viseu, mais uma edição dos Jardins Efémeros. O evento que regressa três anos depois tem como lema “A Palavra e as Linguagens”. Ao longo dos  próximos dias estão agendadas atividades criadas para os diversos públicos e oito categorias.
“Artes Visuais, Arquitetura, Som, Cinema, Pólis, Oficinas, Mercados e Teatro & Dança" são as categorias.
Pela primeira vez em Portugal, em concertos a solo, vão estaar Lyra Pramuk, HeatherLeigh, Bendik Giske e Deena Abdelwahed, que sobem aos palcos do Parque Aquilino Ribeiro e do Teatro Viriato. Também passa pelo Jardins Efémeros, este ano, Rui Reininho onde apresentará o álbum '20.000 Éguas Submarinas'.
O Teatro Viriato é palco de espetáculos híbridos como Territoire Éphémères, da compositora, bailarina Dasha Rush, com a colaboração do bailarino Valentin Tszin e com o artista digital Alex Guevara. As quatro apresentações culminarão com a peça híbrida "NKSI", sob a direção de Gil Mac.
Na área das Artes Visuais marcam presebça João Louro, João Pais Filipe e Marco Franco e Joana Pestana, entre outros artistas.
Nuno Veiga, Fitas Magnéticas, Galadrop e Marco Franco são outras presenças de artistas portugueses que vão apresentar em Viseu novos trabalhos.
Na área do cinema, a investigadora Isabel Nogueira programou quatro sessões ao ar livre.
Os Jardins Efémeros são financiados pelo município de Viseu em 100 mil euros e pela Direção Geral das Artes em cerca de 70 mil euros.


 

Cultura
Nona edição da 'Sementeira' decorre no Centro histórico de Viseu

A nona edição da Sementeira arrancou na sexta-feira (2 de julho) no centro histórico de Viseu e conta , até dia 11 de julho, com espetáculos de dança, música, teatro, conversas e uma exposição coletiva que reúne trabalhos de 22 artistas.

“Graças à resposta que obtivemos ao nosso chamamento, que tal como em outros anos, este ano também foi muito boa, vamos conseguir ter uma exposição coletiva que reúne trabalhos de 22 artistas, por acaso, todos de Portugal”, explicou Carolina Gomes da organização.

A mostra está visível no número seis da Rua das Ameias, junto à Sé de Viseu e conta, no mesmo espaço, com fotografia, pintura, escultura e algumas obras com técnicas mistas de artistas repetentes, mas também de estreantes.

Uma das estreias “é o fotógrafo Pedro Gomes Almeida, que apresenta a série de retratos intitulada ‘Entre as margens do Ser’, de pessoas trans, recentemente distinguida com uma menção honrosa na categoria de Retrato no Prémio Estação Imagem”.

Entre os artistas que estão de volta a Viseu, a responsável destacou ainda o mangualdense Sérgio Amaral, desenhista e pintor, escultor e ceramista, que “desenvolve pesquisas experimentais e ensaia novos materiais como o ferro e o barro e tem feito o seu percurso na escultura, na modelagem e na cerâmica, com especial interesse pelo barro negro”.

“Temos trabalhos muito diferenciados, alguns misturam técnica de costura, vamos ter mesmo um vestido de um designer, temos também, por exemplo, uma parede inteira com uma composição e colagens, ou seja, é mesmo uma exposição muito heterogénea”, revelou.

Além da exposição coletiva, “há também música, dança, teatro e há dias em que há duas atividades, graças à resposta que foi muito rica. E as habituais conversas, com muita cultura, pensamento crítico e vontade de construção política”.

“O Dj Feizer vai estar pela primeira vez na Sementeira, como também, por exemplo, Habibah da Lua, que é dança do ventre, e com teatro está o Visiunarte, que já se inscreveu noutros anos, mas nunca foi possível conciliar agendas e este ano conseguimos”, destacou.

Carolina Gomes disse ainda que todas as atividades “irão cumprir com as regras” da Direção-geral da Saúde (DGS) e que “todos os dias haverá uma avaliação para a eventual necessidade de alterar alguma coisa ou alguma atividade”.

Cultura
Casa da Ribeira, em Viseu, acolhe a instalação 'Sofá em Mi Maior'

A estreia do novo projeto da Associação Amarelo Silvestre "SOFÁ em Mi Maior" acontece este sábado, dia 26 de Junho, no Museu - Casa da Ribeira, em Viseu.
É um "projecto teatral para 6 sofás falantes, disponível numa instalação interativa de 26 de junho a 25 de julho, numa criação de Rafaela Santos e Lígia Soares, com música original de João Lucas e cenografia de Carolina Reis", explica a associação.

"Esta instalação teve como ponto de partida dezenas de entrevistas feitas a mulheres de várias freguesias de Viseu, a partir das quais, criámos peças teatrais sonoras para estes sofás", acrescenta.

"Desafiamos os visitantes a descobrirem os universos sonoros que habitam estes seis sofás, de forma a experienciar ambientes imersivos distintos, proporcionando um deambular por memórias embrionárias, pela consciência do papel procrastinador que o sofá por vezes pode adquirir, por um plano de massagens como repositório de energias e planos, por tentativas de sedução do próprio sofá ou ainda pela hipótese deste ter sido palco de um episódio de violência, etc", explica a associação Amarelo Silvestre.

Cultura
Grupo Afta apresenta 'Cal do amor e outras enfermidades' no Museu Nacional Grão Vasco 

O Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, é este sábado (26 de junho) palco da peça "Cal do amor e outras enfermidades". Um trabalho da AFTA - Associação de Fomento de Teatro Amador a partir da obra Cal de José Luís Peixoto. A iniciativa acontece pelas 19h00.

"Cal do amor e outras enfermidades"  é uma peça de teatro onde "oito atores encarnam diferentes personagens, umas mais presentes que outras, mas todas elas relacionadas entre si através da amizade, através de laços familiares ou relações amorosas, ancorados num espaço rural e na vivência e memória dos idosos", refere a organização. A AFTA acrescenta ainda que fala do tempo e da solidão, da placidez aparente, carregada de uma tensão provocada pela espera. "Uma espera que também é a da morte, da tomada de consciência, mas também de rejuvenescimento provocado pelo amor e pela aceitação tranquila de que é tempo de deixar ir o corpo", conta.
No centro da ação, está Olga, uma mulher vítima da doença de Alzheimer e das consequentes alterações no seu comportamento, na sua personalidade e na realização das suas atividades de vida diária.

"Cal do amor e outras enfermidades" é um evento incluído na programação dos Passeios pela Literatura 3, projeto financiado pelo Município de Viseu, através do Programa Viseu Cultura 2021.

Cultura
"Mentira a Quanto Obrigas" para ver no Sátão (com áudio)

O Teatro do Montemuro vai estrear o novo espetáculo "Mentira a Quanto Obrigas". A estreia acontece em frente à Câmara Municipal de Sátão sexta-feira, dia 25 de junho, pelas 21h30.
O encenador, Paulo Duarte, fala da peça que até agosto vai pisar vários palcos do distrito de Viseu e não só.

Dia 18 de julho chega a Mangualde e no dia 28 de julho a Penalva do Castelo.

Cultura
Cavalhadas de Vildemoinhos assinalam semana dedicada a São João

As Cavalhadas de Vildemoinhos 2021 arrancaram esta segunda feira (21 de junho). O evento apresenta na sua programação o Cumprimento da Promessa, integrando uma homenagem ao presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, que morreu em abril. Também decorre a semana do São João, com o projeto "Vildemoinhos, aldeia jardim".

Devido à pandemia da Covid-19, as Cavalhadas não vão ter, novamente, a aglomeração habitualmente presente nos cortejos, que todos os anos atraía milhares de pessoas às ruas da localidade e da cidade de Viseu. Assim, na quinta feira (24 de junho), realiza-se o "cumprimento da promessa a São João Batista. Os cavalos e os mordomos deslocam-se a São João da Carreira, para cumprir três voltas à capela", diz Anabela Abreu, responsável pela comunicação das Cavalhadas de Vildemoinhos.

"Também há uma paragem no Rossio, para homenagear não só Viseu, cidade jardim, como também Almeida Henriques. No Rossio vai estar uma peça alusiva à cidade, que foi construída este ano", acrescenta.

No regresso a Vildemoinhos, os cavaleiros são recebidos com a iniciativa "Vildemoinhos, aldeia jardim". A aldeia está decorada desde a rotunda Carlos Lopes, com rendas, "que muitos dos amigos das Cavalhadas nos doaram", refere Anabela Abreu. A decoração conta, também, com croché, flores papel, flores naturais, colchas e uma passadeira de flores.

De segunda feira a domingo (21 a 27 de junho), a "Semana do São João" tem barraquinhas com febras e sardinhas espalhadas pela aldeia de Vildemoinhos. Segundo a organização das Cavalhadas, todas as medidas de segurança, previstas na lei, vão ser cumpridas e respeitadas. "É possível viver este São João, sempre de uma forma diferente, de uma forma segura, mas em que o espiríto continua a existir e que não baixamos os braços", finaliza Anabela Abreu, reponsável pela comunicação das Cavalhadas de Vildemoinhos.

Ao longo da semana há animação musical itinerante com bombos, ranchos e tunas, que percorrerão as ruas de Vildemoinhos.

Cultura
Cartaz Cultura no Dão propõe vários eventos em Mangualde, Penalva do Castelo e Nelas

No âmbito do projeto em rede que une três municípios intitulado “Cultura no Dão”, os meses de junho e julho arrancam com propostas diversificadas como ir a uma sessão de cinema drive in no sopé de um monte, assistir a uma performance artística multidisciplinar que une associações locais, percorrer os trilhos da pré-história da pastorícia, entre outros. Estes são alguns dos eventos que marcam o arranque do verão cultural em Penalva do Castelo, Nelas e Mangualde.

O primeiro evento do cartaz Cultura no Dão que deu início à temporada de verão aconteceu com a transmissão do concerto do guitarrista jazz Francisco Sales, dia 13 de junho, às 18 horas no Facebook do Município de Penalva do Castelo. Em Nelas, este domingo (20 de junho), é possível percorrer os trilhos da pré-história da pastorícia e entender como estas comunidades viviam. O encontro está marcado para as 09h00 na Orca do Folhadal, em Nelas, sítio arqueológico que revelou etapas distintas do Neolítico regional. Já o Município de Mangualde recebe a 25 e 26 de junho, pelas 21h30, sessões de cinema em drive in no sopé do monte da Sra. do Castelo. No dia 27 de junho, pelas 15 horas é possivel assistir no facebook do Município de Penalva do Castelo ao concerto a solo de José Eduardo Magalhães.

A 14 de Julho, no largo Dr. Couto, em Mangualde, é possível assistir à estreia do espetáculo multidisciplinar “Nas Cores da Beira”, projeto artístico a cargo da CulturDão e do Teatro Hábitos. Posteriormente será apresentado em itinerância nos Municípios de Nelas e Penalva do Castelo. No mesmo local, no dia 16 de julho, será a vez dos sons da dança e eletrónica do quarteto Basilda fazerem-se ouvir. 

O programa “Cultura no Dão” pressupõe a itinerância e o intercâmbio cultural de eventos nos Municípios de Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo. Tem como intuito contribuir para apoiar os agentes culturais e estimular a dinâmica económica, bem como valorizar o património artístico-cultural da região, a sua identidade e comunidades, reforçando a atratividade do território e o incremento do seu valor turístico.

 O programa é promovido pelos Municípios de Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo e cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Cultura
'Mentira a quanto obrigas' pelo Teatro do Montemuro no Sátão

Os Paços do Concelho de Sátão vão servir de palco para a peça de teatro “Mentira a quanto obrigas”, do Teatro do Montemuro, no dia 25 de junho, sexta-feira, às 21h30.
Com encenação de Paulo Duarte e texto de José Carretas esta é uma encenação que conta a história de dois irmãos pastores. "Francisco e António que tinham tudo para ser felizes: o ar puro, a natureza, a frugalidade, as vacas e o amor das ninfas das fontes. Só não tinham rede no telemóvel. Surgiu então uma mentira original, contada pelo pai e mais e maiores mentiras nasceram", conta a autarquia do Sátão.
A peça de teatro é destinada a maiores de 6 anos, tem uma duração de 60 minutos e irá, segundo a autarquia satense, decorrer de acordo com as normas da Direção Geral de Saúde.

Cultura
'La Grande Famille' exibida em sessão online

O Cine Clube e o Politécnico de Viseu apresentam, esta terça-feira (22 de junho), La Grande Famille, documentário de Nuno Beirão Vieira e João Pedro Marnoto.

La Grande Famille acompanha as histórias de vários jovens que escolhem a vida nómada, tendo como principal fonte de rendimento os trabalhos agrícolas sazonais, vivendo ao abrigo da grande família que escolheram e à margem da sociedade que rejeitaram. Festas secretas, substâncias ilícitas, recuperação de detritos, regresso às origens hippies e outros rituais vividos revelam-nos, dia a dia, a vida de uma das grandes subculturas da Europa.

A sessão começa às 21h00, e conta com uma conversa em direto com os realizadores Nuno Beirão Vieira, psicólogo de formação, e João Pedro Marnoto, cujo trabalho na fotografia e no cinema tem vindo a reflectir sobre as questões da identidade. A moderação está a cargo de Emília Coutinho, docente da ESSV-PV, coordenadora do Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes do Politécnico de Viseu, investigadora e integrante de várias redes de extensão à comunidade.

A sessão faz parte do ciclo Mundos Desenhados, que, segundo o Cine Clube, inclui filmes que (re)imaginam o mundo por perspectivas inesperadas. A sessão online de La Grande Famille é a última apresentada este ano letivo.

Cultura
Cinema DRIVE IN volta a Mangualde

Nos dias 25 e 26 de junho, Mangualde volta a acolher o Cinema DRIVE IN, com as sessões gratuitas. Esta iniciativa tem lugar no sopé do Monte da Sra. do Castelo, junto ao parque onde ocorre a feira quinzenal.

Segundo a autarquia, as sessões têm lotação limitada, para salvaguardar a saúde pública. Os bilhetes devem ser levantados na Biblioteca Municipal, na papelaria Adrião, ou mediante reserva pelo telefone 232 619 889.

No dia 25 de junho, o Cinema DRIVE IN apresenta a animação “O Segredo das Bolachas”, uma sessão que tem como público-alvo os jovens e adultos com idade a partir dos 6 anos. Já o segundo dia, 26 de junho, será apresentado o filme de thriller/ação “O Último Golpe”, que tem como público-alvo os jovens e adultos com idade a partir dos 14 anos. Ambas as sessões terão início às 21h30.

O Cinema DRIVE IN enquadra-se no projeto “Cultura no Dão” cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e conta com o apoio e participação da Associação Juvenil Jovens do Castelo de Mangualde.

Cultura
'Uma Nova Experiência' para ver em Sátão

A Casa da Cultura de Sátão tem patente “Uma Nova Experiência”, uma exposição de quadros em óleo sobre tela, do autor Hermínio. A mostra decorre até ao dia 30 de junho de 2021.

Hermínio Chaves é natural da freguesia de Ferreira de Aves, tem 51 anos e é militar da GNR. Segundo a autarquia de Satão, "desde  cedo mostrou aptidão e gosto pela pintura a lápis de carvão. Foi no ano de 2001 que experimentou esta técnica, adquirindo o material necessário e colocando mãos à obra".

A Exposição pode ser visitada na Casa da Cultura, de segunda-a-sexta feira das 09h00 às 17h30 e sábados das 09h00 às 14h00.

Cultura
Projeto de Viseu lança 'Novos Argumentos' para curtas-metragens

"Novos Argumentos" é um livro do projeto "short age", com oito contos, de oito autores, e bandas sonoras, que são a base para a realização, ou imaginação, de curtas-metragens, com Viseu como ponto de partida. As ilustrações são feitas por Susa Monteiro.

A ideia surgiu durante o primeiro confinamento, em 2020, quando foi interrompida a exibição de ciclos de 'curtas' que era feita regularmente, dentro do projeto Short Cutz, iniciado em 2013.

Foi criada, em abril do ano passado, a plataforma 'shortage.online', e entre maio e dezembro, foi lançado um conto por mês.

Guilherme Gomes, Rui M. Ribeiro e Ana Seia de Matos assinam por Viseu e a estes juntam-se Joana Bértholo, Luís Campos, Jerónimo Rocha, Vera Casaca, Francisco Pereira Coutinho e Miguel Clara Vasconcelos.

Samuel Martins Coelho, Bruno Pinto, Ricardo Santos Rocha, L Filipe dos Santos, Teresa Gentil, Dennis Xavier, Gustavo Dinis e Leonardo Outeiro dão som aos oito contos que agora se reúnem em livro, que podem ser ouvidos através do leitor de código 'QR' do telemóvel.

Com este lançamento, estão disponíveis 150 livros à venda, através da plataforma. Raquel Costa e Rita Simões fazem uma leitura encenada de contos, na Incubadora do Centro Histórico de Viseu, pelas 17h00 de sábado (12 de junho).

Cultura
Fernando Pessoa sobe ao palco em Viseu

Fernando Pessoa é homenageado este sábado (12 de junho) em Viseu, no Claustro Superior da Sé de Viseu.

O grupo Off apresenta PESSOA, um concerto-poético, guiado pelo músico José Pedro Pinto, numa viagem sonora entre a música e a palavra, a partir do universo literário de Fernando Pessoa.

Criado por Florbela de Sá Cunha, o concerto conta com Ana Raquel Romão, Carlos Cruchinho, Daniela Sofia, Diogo Pais, Gabriela Coutinho, João Almiro, Rafael Lopes, Roberto Fernandes como interpretes.

Com início às 20h30, o evento tem duração de 90 minutos.

Cultura
"Diálogos" voltam ao concelho de Viseu

Ao longo dos meses de Junho, Agosto e Setembro vão ser apresentados ao público os resultados das residências artísticas que fazem parte do projeto Diálogos. Uma iniciativa que a Nicho Associação Cultural repete depois da primeira edição do ano passado, e através da qual "desenvolve uma das linhas de trabalho que, ao longo dos seus 13 anos de atividade, mais tem fomentado: um modelo de criação assente na reciprocidade e partilha entre artistas e a comunidade, entre artistas e públicos".
Diálogos consta de três residências artísticas levadas a cabo nas freguesias mais afastadas da sede do concelho de Viseu, sendo que na edição deste ano participam Calde, Côta (que
repetem a experiência de 2020) e Ribafeita (que participa pela primeira vez), e as suas respetivas coletividades. 
O programa completa-se ainda com uma exposição sobre cada um dos três processos criativos, posterior às apresentações, assim como com a possibilidade de conversar com os
intervenientes depois dos últimos espetáculos no mês de Setembro. Esta última residência conta ainda com a particularidade de consistir na fusão do resultado das duas primeiras, nas quais participam, respetivamente, as duplas de artistas Leonor Barata/Vítor Freitas e Gabriel Gomes/Romulus Neagu.

Calendário:
Diálogo no 1
Residência artística: 3 semanas; Leonor Barata / Vítor Freitas
Apresentações:
• 10/06, Levada dos Espanhóis (Calde)
• 13/06, 19h, Casa da Ribeira (Viseu)
• Horário e local a designar em Côta
• Horário e local a designar em Ribafeita

Diálogo no 2
Residência artística: 3 semanas; Gabriel Gomes / Romulus Neagu
Apresentações:
• 07/08, a designar (Côta)
• 08/08, a designar (Ribafeita)
• 09/08, a designar (Calde)
• 10/08, a designar (Viseu)

Diálogo no 3
Residência artística: 2 semanas; Leonor Barata / Vítor Freitas / Gabriel Gomes /
Romulus Neagu
Coordenação artística: Graeme Pulleyn
Apresentações:
• 25/09 e 26/09, a designar (Ribafeita)

Cultura
Viseu: Jardins Efémeros voltam à cidade

A nona edição dos Jardins Efémeros, realiza-se entre 03 e 11 de julho, em Viseu, e tem como base “A Palavra e as Linguagens”.

A programação tem como categorias “Artes Visuais, Arquitetura, Som, Cinema, Pólis, Oficinas, Mercados e Teatro & Dança", e são "adaptadas ao tema deste ano", anunciou a diretora e criadora do projeto, Sandra Oliveira.

Os destaques deste ano vão para os concertos a solo de Lyra Pramuk, HeatherLeigh, Bendik Giske e Deena Abdelwahed, que atuam pela primeira vez em Portugal. Os artistas estarão distribuídos pelos palcos do Parque Ribeiro e do Teatro Viriato. Mas os visitantes também poderão experienciar cinema ao ar livre, o 'Mercado Indo Eu' ou a peça híbrida "NKSI".

O concerto de encerramento desta edição conta com Rui Reininho, que vai apresentar o seu novo albúm '20.000 Éguas Submarinas'.

Organizados pela Pausa Possível – Associação Cultural e de Desenvolvimento, os Jardins Efémeros são financiados pelo município de Viseu em 100 mil euros e pela Direção Geral das Artes em 60,9 mil euros.

Cultura
Cineclube de Viseu apresenta cinema online

O Cine Clube e o Instituto Politécnico de Viseu continuam a apresentar sessões de cinema comentado em streaming. Eis o Admirável Mundo em Rede, documentário de Werner Herzog, é a próxima sessão, disponível a partir de terça-feira, 08 junho, através da plataforma Filmin Portugal, e contará com a apresentação virtual do realizador, documentarista e editor Flávio Ferreira

Neste trabalho, o aclamado realizador Werner Herzog [autor de Aguirre (1972), Fitzcarraldo (1982), Grizzly Man (2005)...] acompanha o mundo virtual desde as suas origens até às consequências mais longínquas. A partir de entrevistas com pioneiros da internet e visionários do seu futuro, Herzog explora a paisagem digital com a mesma insaciável curiosidade e desejo de imagens que dedicou a destinos terrestres tão díspares como a Amazónia, o Deserto do Sara, ou o Pólo Sul.

O filme estará disponível para visualização em streaming entre os dias 8 a 14 de Junho. A sessão contará com a apresentação de Flávio Ferreira, cineasta, editor e realizador cujos trabalhos foram já apresentados em mais de 80 festivais e mostras de cinema nacionais e internacionais. Em 2017, fez um workshop em Cuba com Werner Herzog, onde desenvolveu a curta documental Norley y Norlen, vencedora do prémio FAMU para melhor filme dos Verdes Anos no Doclisboa.

O acesso ao filme é gratuito e aberto à comunidade. O número de lugares virtuais disponíveis é limitado, e as inscrições podem ser feitas através do geral@cineclubeviseu.pt.

Cultura
Viseu Acolhe Exposição Itinerante “O Futuro é Amanhã!"

A exposição itinerante “O futuro é amanhã!” está patente na Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea de Viseu. 
A iniciativa procura dar resposta à necessidade de consolidar e divulgar os resultados patentes no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do território de Viseu, Dão e Lafões, estando enquadrada no projeto “O futuro é amanhã!”, cujo principal objetivo é motivar a reflexão, debate e divulgação da problemática das alterações climáticas. Este projeto abrange todos os alunos dos 14 municípios que compõem a CIM Viseu Dão Lafões, assim como professores e famílias.  

 Aliando a promoção do sucesso educativo às alterações climáticas, o projeto "o futuro é amanhã!" apresenta-se enquanto espaço privilegiado, diferenciado e inovador de acesso ao conhecimento, assente em estratégias de intervenção baseadas na experiência e na reflexão sobre os fenómenos decorrentes das alterações climáticas, criando um espírito de conhecimento pela experiência e visualização. A mostra está aberta à comunidade em geral.  

A exposição pretende funcionar enquanto facilitador da descoberta da temática das alterações climáticas, partindo de questões simples e de desafios para mobilizar e captar a comunidade escolar na adoção de atitudes e comportamentos que atenuem e mitiguem os impactos negativos das alterações climáticas no território. 

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho “rsta exposição itinerante afigura-se como uma mais-valia na sensibilização da população para a adaptação às alterações climáticas na Região Viseu Dão Lafões”. 

“Atendendo aos eventos climatéricos a que temos assistido, a CIM adotou uma estratégia com vista a desenvolver uma literacia ambiental capaz de introduzir os conceitos de adaptação às alterações climáticas no nosso território, sendo que os alunos e a comunidade educativo assumem um papel estratégico na mudança de paradigma,” concluiu o Secretário Executivo. 

A Exposição Itinerante "O Futuro é Amanhã!" pode ser visitada até ao próximo dia 11 de junho. 

Cultura
Festival de cinema Vistacurta regressa em outubro

O Vistacurta, Festival de Cinema promovido pelo Cine Clube de Viseu, volta a Viseu e 12 a 16 de Outubro. A programação será divulgada dentro de algumas semanas, e terá as mesmas características das edições anteriores, com autores nacionais e internacionais, masterclasses de cinema, competição de curtas-metragens, concertos e sessões para escolas.
Até final de junho, os realizadores podem submeter filmes para as competições do Festival, que têm prémios definidos no montante de três mil euros para as duas melhores curtas-metragens. Além da Competição Local dedicada a trabalhos de autores do distrito de Viseu, ou rodados na região, serão aceites na Competição Nacional os filmes que perspetivam a temática da interioridade do país. As obras selecionadas serão exibidas em Viseu, entre 12 e 16 de Outubro.

O VISTACURTA é uma proposta de encontros à volta do cinema e da região, organizada pelo Cine Clube de Viseu como prolongamento amplo e festivo da sua programação regular. Desde a primeira edição, já teve como convidados José Luís Guerin, Margarida Cardoso, Edgar Pêra, Manuel Mozos ou João Canijo.

O projecto conta com o apoio do Município de Viseu, através do programa VISEU CULTURA.

Cultura
O lançamento do livro A VIDA NUM ROTEIRO - com aúdio

O lançamento do livro A VIDA NUM ROTEIRO aconteceu na Biblioteca Municipal Alexandre Alves, em Mangualde. Ouça a entrevista ao autor Pedro Coelho.

Cultura
Rede Alto Mondego volta a apostar na Cultura itinerante e inclusiva

A itinerância das criações artísticas em espaços e equipamentos de elevado valor patrimonial volta a ser uma aposta dos quatro Municípios que compõem a iniciativa “Alto Mondego Rede Cultural”. Ao todo serão 24 espetáculos de várias artes performativas e 8 murais de arte urbana que irão, até setembro de 2022, percorrer vários espaços emblemáticos dos municípios de Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde e Nelas. Dada a atual situação epidemiológica, as performances decorrerão, maioritariamente, em espaços ao ar livre com reconhecido valor histórico-patrimonial e cultural.

Quer seja numa ponte romana, junto a um monumento megalítico, num anfiteatro natural, num balneário de umas termas seculares ou num castelo, o projeto “Alto Mondego Rede Cultural” contará com uma programação cultural diversificada e que visa essencialmente dinamizar os territórios com eventos culturais criados por associações culturais locais, com o intuito de impulsionar a economia local, mas também de promover as artes e as criações artísticas no território, projetar a sua imagem e a região e ainda exponenciar novos fluxos turísticos.

SESSÕES DE CAPACITAÇÃO “ALTO MONDEGO REDE CULTURAL”

No âmbito deste projeto é importante destacar o trabalho desenvolvido pelas associações locais que, após uma primeira fase de capacitação, irão desenvolver os espetáculos a apresentar no território, de forma itinerante. O envolvimento das associações locais apresenta vários benefícios, isto é, atende às necessidades dos agentes culturais locais, que infelizmente viram as suas atividades canceladas devido à pandemia, e gerem dinâmicas para que se criem raízes futuras.

As sessões de capacitação serão desenvolvidas com as associações culturais dos 4 Municípios através da cooperação entre estas e capacitadores nas áreas do slackline, da arte urbana, da música e da dança. É importante realçar que esta é uma oportunidade para as associações culturais envolvidas, apresentarem os seus trabalhos a outros públicos e até criarem ligações e parcerias com outras associações culturais, de forma a contribuir para a valorização da autenticidade dos produtos culturais e patrimoniais endógenos.

Capacitação – Slackline e Arte Urbana

As sessões de capacitação de slackline (corda bamba) e arte urbana decorrerão entre junho e agosto deste ano.  O slackline é um desporto que consiste na prática de equilíbrio sobre uma linha dinâmica, esticada entre dois pontos fixos. O praticante pode caminhar sobre ela ou fazer manobras e truques, dinâmicos ou estáticos.  As sessões de slackline serão orientadas pelo atleta profissional Rui Mimoso, campeão nacional. Dos mais experientes slackliners portugueses, conta com dezenas de competições internacionais e cerca de uma centena de shows e workshops, não só em Portugal, como por todo o mundo.

O principal objetivo desta capacitação é dar conhecimentos técnicos para a prática da modalidade como ferramenta artística. Capacitar os participantes com um know-how que lhes permita montar, usar e praticar slackline com todos os equipamentos de forma segura e variada. “Em relação ao rendimento desportivo dos participantes, espero que consigam no final da capacitação terem as capacidades básicas da modalidade, caminhar e aguentarem posições estáticas em equilíbrio sobre a fita de slackline” afirma o capacitador Rui Mimoso.

Capacitação – Arte Urbana

Em simultâneo, decorre a capacitação na área da arte urbana, onde serão criados 4 murais, um em cada Município, resultado do trabalho entre as associações, a comunidade e o artista plástico Desy. Será desenvolvido um workshop de arte urbana, com revisitação da História da Arte Urbana pelo mundo, técnicas, estilos e conceitos sobre a "arte do século XXI". O resultado desta capacitação será a representação através do graffiti da história do Alto Mondego’ Rede Cultural. Serão criados 4 murais que representam a identidade da Rede, dividida em 4 “atos”. O principal objetivo, é que os visitantes necessitem de visitar os 4 territórios parceiros, para entenderem a história desta Rede.

Capacitação – Música

As sessões de capacitação na área da música acontecem em 2022, entre os meses de janeiro e maio. Desta vez, entram em cena Bitocas e Artur Fernandes, que juntamente com as associações locais, irão apresentar 8 espetáculos pelo território do Alto Mondego’ Rede Cultural. Nestes espetáculos participarão diversificadas formações instrumentais e/ou corais, de acordo com as tradições e realidades locais.

Dar-se-á ênfase à criação a partir do espólio tradicional do território, à conceção de eventos artísticos sem interações prévias, performance orientada para novos conceitos, direção artística, gestão de recursos humanos e dinâmicas de ensaio.

Numa perspetiva ambiental os aspetos relacionados com a planificação e maquetagem, cenografia ou figurinos e gestão de recursos técnicos terão o cuidado de reutilizar materiais disponíveis.

Capacitação – Dança

O Projeto encerra com a capacitação na área da dança, entre maio e setembro de 2022. Marta Silva irá trabalhar juntamente com as associações locais nos variados temas que abrangem a dança (movimento, corpo) e que resulta em 8 espetáculos artísticos itinerantes.

Esta capacitação visa o desenvolvimento e qualificação artística das organizações culturais locais, a partilha e construção de conhecimentos e de novas técnicas artísticas no desenvolvimento do processo criativo, tendo como pano de fundo a relação entre as artes performativas e o património humano e físico do contexto local. Incentivar e consolidar o trabalho em rede e interseccional, potenciando o papel fundamental da cultura nos processos de desenvolvimento e participação comunitária e coesão social.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Cultura
Tabuaço nos prémios Sophia 2021

A Margem, curta-metragem realizada em Tabuaço, com o apoio da autarquia é candidata ao Prémio Sophia, da Academia Portuguesa de Cinema, na categoria de Melhor Curta-metragem de Ficção.

A par de A Margem, o município apoiou ainda a produção e realização de Transfugo, curta-metragem também de Rodrigo Tavares, ambas com a participação do TEATRAÇO – Teatro Amador de Tabuaço. Com as duas produções, Tabuaço esteve em exibição por todo o mundo, desde a Europa, à América e China.

Desde a sua realização, ambas as produções arrecadaram mais de 30 distinções e menções honrosas em festivais de cinema por todo o mundo. Entre prémios e nomeações, destacamos o Prémio de Melhor Curta-metragem em Língua Portuguesa para Transfugo no Portugal International Film Festival, Melhor Actor (Beto Coville) e Melhor Curta no Hong Kong Indie Film Festival ou o Prémio de Melhor Atriz (Nucha Martins), Melhor Ator (Beto Coville) e Melhor Ator Secundário (António Évora) no Rio International Awards, no Brasil.

Com a Margem, Tabuaço esteve igualmente em destaque com o Prémio de Melhor Atriz (Luísa Ortigoso) no Best Shorts Competition, no CinEuphoria Awards e, entre muitos outros, no Independent Shorts Awards International Film Festival onde arrecadou também o prémio de Melhor Drama, Melhor Diretor (Rodrigo Tavares) e Melhor Ator (Beto Coville).

Já no Indie Short Fest, A Margem foi a vencedora na categoria de Melhor Curta de Ação tendo ainda a nomeação para Melhor Curta em Língua estrangeira.

A mais recente indicação vem da Academia Portuguesa de Cinema que aponta A Margem como pretendente ao Prémio de Melhor Curta-Metragem de Ficção nos Prémios Sophia, o maior e o mais prestigiado evento cinematográfico que anualmente reconhecem o que de melhor se faz em Portugal na 7ª arte.

A 10ª edição dos Prémios Sophia acontece em Lisboa, a 19 de Setembro de 2021.

Cultura
Tondela: "Diário de uma Pandemia" até 18 de junho

A cidade de Tondela acolhe, até ao próximo dia 18 de junho, a exposição de fotografia "Diário de uma Pandemia", que retrata a vida quotidiana em Portugal em tempos de pandemia.

Patente em três espaços nobres da cidade de Tondela - Museu Terras de Besteiros, Biblioteca Municipal e ACERT, "Diário de uma Pandemia" propõe trabalhos de mais de 130 fotógrafos, fotojornalistas, videógrafos e documentaristas.

Esta exposição temporária, organizada pela ACERT e CC11, em parceria do Município de Tondela, esteve patente em Lisboa, sendo Tondela a primeira cidade a receber esta mostra itinerante.

Cultura
Mangualde promove programa cultural

É já nos próximos meses que a Câmara Municipal de Mangualde promove um conjunto de eventos culturais para todos os mangualdenses. As atividades são de diversas tipologias e decorrem durante os meses de maio, junho, julho e agosto em diferentes pontos da cidade e do concelho. Estes eventos decorrerão de acordo com todas as recomendações e regras da DGS, de forma a garantir a segurança de todos os envolvidos. Algumas destas atividades enquadram-se no Projeto intermunicipal “Cultura no Dão” financiado pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020.

APRESENTAÇÃO DE LIVROS NOS DIAS 13 E 21 DE MAIO, NA BIBLIOTECA MUNICIPAL

No âmbito do Mês do Autor Português serão apresentados, na Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, os livros “Viver com alegria” de Maria Fernanda Silva, no dia 13 de maio e “A vida num roteiro” de Pedro Coelho, no dia 21 de maio. Ambas as apresentações têm início às 18h00.

CONCERTO DEDICADO À MÃE NO DIA 23 DE MAIO, NA IGREJA DO COMPLEXO PAROQUIAL

A orquestra POEMa protagonizará um concerto dedicado a todas as Mães, no dia 23 de maio, às 16h00, na Igreja do Complexo Paroquial de Mangualde. Esta iniciativa contará ainda com a participação do Coro Misto do Conservatório Regional de Música de Viseu.

 DRIVE-IN NOS DIAS 25 E 26 DE JUNHO, NA SOPÉ DO MONTE DA SRA. DO CASTELO

A iniciativa desenvolve-se com a parceria da Associação Juvenil Jovens do Castelo que ajudará a garantir o cumprimento das regras recomendadas pela DGS. A atividade será gratuita, terá lugar no sopé do Monte da Sra. do Castelo e será realizada nos dias 25 e 26 de junho de 2021. Ambas as sessões terão início às 21h30.

“EM QUARTO CRESCENTE” ENTRE OS DIAS 14 A 17 DE JULHO, NO LARDO DR. COUTO

Evento cultural em formato de Café-Concerto com livros, leituras, cinema, teatro, música e dança que decorre entre 14 e 17 de julho, no Largo Dr. Couto, a partir das 21h30. 

“ITINERÂNCIAS DA LUA” ENTRE OS DIAS 18 A 20 DE JULHO, EM CHÃS DE TAVARES

O mesmo formato do “Em Quarto crescente” nas noites de 18 a 20 de julho em Guimarães de Tavares, a partir das 21h30. 

“VERÃO ESTRELAS” NOS DIAS 6, 7 E 8 DE AGOSTO, NA SERRA DAS POUSADAS

Os Mangualdenses têm a possibilidade de deslumbrar-se com as estrelas, nos dias 6, 7 e 8 de agosto, na Serra das Pousadas em Guimarães de Tavares, a partir das 21h30.

 

 

Cultura
CVR Dão desenvolve estudo sobre análise sensorial

A Comissão Vitivinícola Regional do Dão anuncia a publicação de um estudo na prestigiada revista internacional “Ciência e Técnica Vitivinícola”, que vem permitir o cálculo da estimativa da incerteza de medição, associada ao resultado de Análise Sensorial.

O presente estudo vem permitir dar cumprimento integral aos requisitos da norma NP EN ISO/IEC 17025:2018 pela qual a Câmara de Provadores se encontra acreditada, pois que possibilita, de forma inovadora, a apresentação e a estimativa da incerteza nos ensaios sensoriais.

Note-se que este referencial normativo prevê a necessidade de aplicação do conceito de incerteza de medição na avaliação da conformidade e na quantificação do risco associado a decisões, sejam decorrentes da análise sensorial ou de qualquer outro tipo de análise laboratorial.

“As medições de provadores treinados são consideradas medições objetivas, em oposição às medições subjetivas de pesquisas, onde uma avaliação de gosto ou preferência por um produto em relação a outro é medida. O conceito de incerteza de medição desempenha uma importância fundamental na análise sensorial - assim como em todas as outras áreas de interpretação de dados. É meu desejo que este artigo possa trazer conhecimento acrescido, ajuda e inspiração para que outras entidades possam levar a incerteza de medição em consideração no trabalho que realizam”, explica Manuel Maria Pinto, autor do artigo, Consultor e Perito Técnico na área de análise sensorial pertencente à bolsa de auditores do Instituto Português da Acreditação (IPAC).

Como consequência destes requisitos, as entidades devem demonstrar a qualidade dos resultados que produzem e, em particular, a sua adequação aos fins a que se destinam, contribuindo para um maior grau de confiança nos mesmos.

Os resultados e os respetivos valores de incerteza vêm permitir avaliar o desempenho do painel de provadores e estabelecer o nível de risco (falsa aceitação e falsa rejeição e pressupostos estatísticos) associado à regra de decisão utilizada na emissão de declarações de conformidade. Os agentes económicos da Comissão Vitivinícola Regional do Dão beneficiam, assim, de um assinalável progresso nos níveis de credibilidade associados aos resultados e às decisões da análise sensorial deles decorrentes. Sem este recurso, os resultados de avaliação sensorial não podiam ser inequivocamente comparados, seja entre si, seja na comparação com valores de referência fornecidos numa especificação ou numa norma.

Com este avanço a CVR do Dão assume uma posição de referência no panorama vitivinícola e posiciona-se na vanguarda do que demais evoluído se faz em todo o Mundo no domínio da Análise Sensorial e avaliação de conformidade dos seus produtos.

As conclusões do estudo podem ser lidas aqui. De referir, ainda, que a “Ciência e Técnica Vitivinícola” é uma das principais revistas internacionais que noticia os desenvolvimentos e avanços em vários campos da ciência e das tecnologias.

Cultura
Carregal do Sal: Espaço DINA inaugurado a 18 de maio

O Espaço DINA, criado no Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria, de
Carregal do Sal, vai ser inaugurado a 18 de maio, às 15horas.
A data, criteriosamente escolhida por ser esse o Dia Internacional dos Museus,
marca uma nova página na instituição museológica que, desta forma homenageia, uma
filha da terra que elevou o nome do seu Concelho e de Portugal – DINA.
A cerimónia conta com a presença da Diretora Regional da Cultura do Centro e
familiares mais próximos da cantora carregalense.
Por motivos que se prendem com a salvaguarda e segurança de todos perante a
situação pandémica global, a cerimónia será transmitida em direto no facebook da
Câmara Municipal em https://www.facebook.com/CMCarregal.
Acompanhe a cerimónia! No dia 18 de maio, às 15h, assista à inauguração do
novo espaço do Museu Municipal de Carregal do Sal – Espaço DINA!