Política

Política
PSD questionou Governo sobre alegado crime de poluição no Estabelecimento Prisional de Viseu

O deputado do PSD eleito pelo Círculo Eleitoral de Viseu, Guilherme Almeida, defendeu na Assembleia da República (AR) que “a instalação prisional de Viseu precisa de elevados investimentos, para ampliação e qualificação da infraestrutura”.
Durante a intervenção, na presença da Ministra da Justiça, o parlamentar recordou a visita da ministra ao Estabelecimento Prisional de São José e a garantia de que o projeto de requalificação do estabelecimento “seria para continuar".
No entanto, Guilherme Almeida, recordou a necessidade de um investimento global de cerca de 10 milhões de euros para as obras, que serão executadas em cinco fases, e questionou a ministra sobre “como será financiado e quando é que o Governo pretende concluir este projeto”. “Não consigo encontrar verbas nesta proposta de Orçamento de Estado para esta ambição”, acrescentou.
Além disso, Guilherme Almeida referiu que, recentemente, “ficámos a saber pela CNN que o Ministério Público abriu um inquérito por um alegado crime de poluição, com impacto grave na saúde pública, com origem neste Estabelecimento Prisional”. Segundo a notícia há suspeitas de que, por ordem do diretor do estabelecimento prisional, foi depositado na horta da prisão um composto de amianto resultante da demolição de um anexo.
Desta forma, o deputado questionou a ministra sobre se já ordenou a abertura de um inquérito para averiguar o caso. “A senhora ministra está em condições de nos explicar o que se passa com este caso? Não nos podemos refugiar no trabalho do Ministério Público e continuar a contaminar os lençóis freáticos e a consumir os produtos hortícolas. É urgente conhecer desenvolvimentos sobre esta matéria e resolver o problema ambiental”, referiu.
Por fim, aproveitou também para saber se o Ministério da Justiça pretende atender ao pedido de passagem do edifício da antiga cadeia do centro da cidade de Viseu, agora devoluto, para propriedade da Câmara Municipal de Viseu, para ser possível à autarquia criar mais um museu da cidade.

Política
Tondela: José António Jesus renuncia ao mandato de presidente da Câmara

José António Jesus, eleito pelo PSD, decidiu renunciar ao mandato de presidente da Câmara de Tondela, depois de o Tribunal da Relação de Coimbra ter confirmado a perda de mandato, na passada quarta-feira (09 de  novembro). O tribunal confirmou a perda de mandato, apesar de ter reduzido a pena de prisão, suspensa na execução, de cinco anos para dois anos e dez meses.
“Esta é a comunicação que jamais pensei fazer, mas que, por imperativo de consciência, se me impõe”, referiu José António Jesus, em comunicado.
“A decisão do Tribunal da Relação de Coimbra, apesar de ainda não ter transitado em julgado, leva-me a tomar a iniciativa de renúncia ao mandato, pondo fim a meses de incerteza e de profunda angústia”, justificou José António Jesus.
O processo pelo qual foi condenado diz respeito à apropriação de dinheiro público, ao ter recebido pagamentos indevidos por deslocações em viaturas próprias, quando na verdade fez as viagens em viaturas do município.
“Nunca será demais relembrar que o mesmo resultou de questões meramente procedimentais, de simples desconformidades no preenchimento de boletins de deslocações e jamais de qualquer ato pensado, premeditado, intencional, em que visasse apropriar-me de um cêntimo que fosse”, garantiu.
Segundo José António Jesus, quando teve conhecimento da situação, fez o acerto de valores, “tendo reembolsado o município voluntariamente e muito antes da dedução de qualquer acusação, como ficou provado no processo”.
O ex-presidente da Câmara de Tondela (distrito de Viseu) disse ainda ter “a consciência leve e tranquila”, porque sempre foi movido por “um profundo respeito democrático, enformado pelos valores da justiça, equidade e igualdade”.

Política
PSD: Montenegro quer mais câmaras no distrito de Viseu e mais deputados na AR (com áudio)

O presidente do PSD, Luís Montenegro, disse, este fim-de-semana (13 de novembnro), que o novo presidente da distrital de Viseu do partido tem pela frente duas tarefas de maior relevo.
O líder social-democrata referiu-se ao aumento do número de autarquias eleitas pelos PSD e de deputados no parlamento. Luís Montenegro, líder do PSD, esteve na tomada de posse do novo presidente da distrital de Viseu do partido, Carlos Silva.

Política
Deputado do PSD questiona governo sobre acesso às novas tecnologias no distrito de Viseu

O deputado do PSD, eleito por  Viseu, Guilherme Almeida, manifestou-se preocupado, na Assembleia da República, sobre o que considera ser a falta de acesso às novas tecnologias, redes e plataformas digitais nas freguesias do distrito de Viseu. Segundo o deputado do PSD, “este acesso é essencial para fixar as pessoas nos territórios e para atrair novos investimentos”.
“O tempo passa e no distrito de Viseu continuamos a ter muitas freguesias sem cobertura de rede para telemóveis e sem acesso à internet, muitas escolas sem rede de banda larga e muitas empresas sem capacidade de pagar 25 mil euros por uma ligação à internet”, referiu o parlamentar.
Para o deputado social democrata, “disponibilizar uma boa rede digital, com uma boa cobertura de rede móvel, de fibra ótica e de banda larga, para toda a população, é fundamental, tanto para melhorar o acesso aos serviços e para estimular o teletrabalho, como para potenciar a inovação empresarial e a internacionalização dos territórios".
Guilherme Almeida defende que a existência de uma boa infraestrutura digital é condição para melhorar a governação, a democracia participativa, a eficiência dos serviços e o funcionamento das cidades, nas suas múltiplas áreas de atuação como a mobilidade, o ambiente e a energia.
O deputado questionou o Secretário de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa sobre como é que o Governo pretende resolver "os graves problemas da cobertura do sinal de rede no distrito de Viseu e quando é que será possível alcançar uma cobertura integral de rede de fibra ótica no interior do país".

Política
Viseu: PS volta a eleger José Rui Cruz para a Federação Distrital

José Rui Cruz foi reeleito para continuar a liderar a Federação Distrital de Viseu do Partido Socialista (PS). As eleições decorreram este fim-de-semana.
José Rui Cruz era o único candidato à estrutura, sendo reeleito para os próximos dois anos com 94% dos votos. Votaram no distrito de Viseu 1081 militantes.

Política
Concelhias do PS, no distrito de Viseu, elegeram os representantes até 2024 (com áudio)

Durante o fim-de-semana decorreram as eleições para as concelhias do Partido Socialista no distrito de Viseu. para os próximos dois anos.
Apesar de quatro estruturas terem sido reativadas com a eleição dos órgãos políticos, no distrito ainda há três concelhos, em 24, que vão continuar sem equipa eleita, como refere José Rui Cruz, presidente da Federação Distrital de Viseu do PS.
Segundo o líder socialista no distrito de Viseu surgiram, nestas eleições, novos nomes para as concelhias, mas outras ainda se mantêm. Cerca de 70% dos militantes com capacidade eleitoral na Federação de Viseu, exerceram o direito de voto nas respetivas estruturas concelhias.
Foram reativadas as concelhias de Oliveira de Frades, São João da Pesqueira, Tarouca e Vouzela. 
No concelho de Mangualde, João Pedro Cruz é o nome que substitui Rui Costa, em Penalva do Castelo é Marlene Lopes, em Nelas Pedro Borges, no Sátão Gonçalo Magalhães e em Viseu continua a liderar a concelhia do PS Lúcia Silva.

Carregal do Sal - António Santos
Castro Daire - Horácio Ribeiro
Cinfães - Armando Mourisco
Lamego - Nuno Sequeira
Moimenta da Beira - Carlos Bento
Mortágua - Jorge Santos
Oliveira de Frades - Dinis Fernandes
Penedono - Sónia Lopes
Resende - Jorge Caetano
Santa Comba Dão - Jorge Amaral
S. João da Pesqueira - Ana Filipa Balça
São Pedro do Sul - Rui Almeida
Tarouca - Vitor Lucena
Tondela - Rui Santos
Vouzela - Catarina Meneses

Política
Carlos Santiago é o novo líder da distrital de Viseu do PSD

Carlos Silva Santiago é o novo presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Viseu. O presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe foi o único candidato e que agora substitui Pedro Alves.
Nas redes sociais, o novo presidente agradece “pela eleição para este mandato na liderança de tão importante órgão do nosso partido”.
“O vosso apoio e confiança são fundamentais para levarmos por diante um projeto de sucesso e projeção do nosso distrito e do nosso PSD”, refere.
Carlos Santiago diz que conta com todos “sem exceção, para enfrentarmos os grandes desafios que temos pela frente. E cada um de vós, em cada um dos 24 concelhos do nosso distrito, sereis parceiros ativos na mudança que o nosso país precisa”.
“Vamos trabalhar para que o PSD seja o partido do presente e do futuro. Com união, com trabalho em rede e com enorme solidariedade vamos fazer a diferença e demonstrar a grandeza do nosso distrito e do nosso PSD”, concluiu.

Política
Cotrim Figueiredo (IL) critica 'isolamento mental' do Interior (com áudio)

O presidente da Iniciativa Liberal (IL) considera que o isolamento no interior do país é também mental.
Durante a passagem, no fim-de-semana, pelo distrito de Viseu, João Cotrim Figueiredo defendeu que a descentralização de competências deve ser acompanhada da descentralização das decisões.

Política
PSD: Carlos Santiago é candidato à distrital de Viseu (com áudio)

Carlos Santiago, presidente da Câmara Municipal de Sernancelhe, e presidente da Comunidade Intermunicipal do Douro é candidato à distrital de Viseu do PSD. A candidatura foi apresentada este domingo (25 de setembro).
Fazer com que o partido cresça no distrito é um dos objetivos de Carlos Santiago que realça a experiência que tem na vida política, como contou à Dão Digital.
As eleições para a Comissão Política Distrital de Viseu estão marcadas para dia 08 de outubro. O candidato Carlos Silva tem como lema de candidatura “Afirmação e Confiança”.

Política
'Rotas Liberais' da Iniciativa Liberal passam pelo distrito de Viseu (com áudio)

O distrito de Viseu recebe entre este sábado e segunda-feira (24 a 26 de setembro) as Rotas Liberais, uma ação nacional da Iniciativa Liberal (IL).
O líder do partido, João Cotrim Figueiredo vai passar por diversas localidades para conhecer a realidade do distrito, como refere Bernardete Santos, do Grupo de Coordenação Local do Núcleo Territorial de Viseu.
Alguns dos momentos com o líder da Iniciativa LIberal acontecem em Viseu, Lamego, Armamar e Nelas.

Política
Distrito de Viseu é o ponto de partida do 'Sentir Portugal' de Luis Montenegro (PSD)

O presidente do PSD inicia esta segunda-feira em Viseu o programa “Sentir Portugal”, que o leva, ao longo dos próximos dois anos, a passar uma semana por mês em cada um dos distritos do país.
Luís Montenegro explicou que o périplo irá incluir deslocações à Madeira e aos Açores e também a algumas comunidades portuguesas na Europa e Fora da Europa, embora neste caso em moldes diferentes.
O programa, que prevê presença nos 24 concelhos do distrito de Viseu, além de visitas a feiras e mercados, não faltarão encontros institucionais, nomeadamente com o meio académico, meio empresarial, uma visita ao Centro Hospitalar Tondela-Viseu, autarcas e até com os bispos das dioceses de Lamego e de Viseu.

Política
'IP3, a autoestrada esquecida' é a moção setorial que PSD vai apresentar em congresso do partido

O PSD de Coimbra vai apresentar ao 40.º Congresso dos sociais-democratas, que se realiza no Porto de 01 a 03 de julho, uma moção a propor que o partido continue a exigir uma ligação por autoestrada entre Coimbra e Viseu.
“Quando foram apresentadas [pelo anterior Governo do PS] as obras de requalificação do IP3, no troço entre Coimbra e Viseu, foi dado a entender, de forma errada e intencionalmente, que este seria transformado numa autoestrada, a qual apresentaria como grande vantagem o facto de não vir a ser portajada”, recorda a moção setorial.
Contudo, para os sociais-democratas do distrito de Coimbra, “este tipo de comunicação ardilosa do PS, felizmente, não conseguiu perdurar no tempo”.
“A maior parte dos utentes desta via puderam constatar com a evolução da obra que, no troço mais crítico, entre Penacova e Mortágua, as intervenções não passaram de meras obras de conservação”, segundo o documento, a que a Lusa teve acesso.
“Propomos que o PSD continue ativamente a pugnar pela execução da ligação entre Coimbra e Viseu por autoestrada”, lê-se na moção, intitulada “IP3 – a autoestrada esquecida!”, cujo prazo de entrega para discussão pelo Congresso termina no dia 27 deste mês.
“O IP3 não oferece qualidade, nem segurança, para o tráfego de pesados e ligeiros”, salientou à Lusa o presidente da Comissão Política Distrital de Coimbra do PSD, Paulo Leitão.

 

 

 

 

Política
Viseu: Jerónimo de Sousa passa, este sábado, em Viseu para a 12ª Assembleia do PCP (com áudio)

A Organização Regional de Viseu do PCP realiza, este sábado (28 de maio), a 12ª Assembleia com o lema “Reforçar o Partido, Recrutar, Organizar e Lutar”.
A iniciativa decorre durante a tarde no Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). 
Segundo Filipe Costa, da Organização Regional do PCP vai ser feito um balanço do trabalho realizado nos últimos quatro anos e é eleita a nova direcção.
A sessão de encerramento da Assembleia da Organização Regional de Viseu do PCP está marcada para as 18h00 e conta com intervenção do secretário-geral do Partido, Jerónimo de Sousa.

Política
UGT Viseu realiza 4º congresso. Manuel Teodósio sai da liderança da estrutura (com áudio)

A UGT Viseu está a assinalar os 12 anos de atividade. O aniversário fica marcado pelo 4º congresso eletivo que tem lugar na manhã de sábado (28 de maio).
Manuel Teodósio, que lidera a estrutura há 12 anos, deixa o cargo para dar lugar a Rui Moreira. Antes de sair, Manuel Teodósio faz um balanço do trabalho desenvolvido em defesa dos trabalhadores.
Manuel Teodósio deixa a presidência da UGT Viseu, depois de 12 anos. A liderança da estrutura passa para Rui Moreira que toma posse no 4º congresso marcado para este sábado.

Política
Mangualde: oposição aprova contas de 2021 por estar no executivo cerca de três meses (com áudio)

A oposição PSD-CDS e CHEGA na autarquia de Mangualde aprovaram as contas municipais de 2021 pelo facto de terem estado no executivo cerca de três meses, uma vez que a tomada de posse aconteceu em outubro.
Esta é a justificação que deu o elemento eleito pela CHEGA, António Silva que votou favoravelmente. A mesma justificação tem o vereador eleito pela coligação PSD/CDS-PP que optou pela abstenção. Joaquim Patrício aponta ainda o facto de o  resultado líquido positivo ser de aproximadamente 196 mil euros. Um valor inferior ao de 2020.

Política
JSD do distrito de Viseu vê sete elementos eleitos para órgãos nacionais

Sete elementos da JSD do distrito de Viseu foram eleitos para os órgãos nacionais da estrutura política. Aconteceu durante o 27.º Congresso Nacional da JSD.
Fábio Duarte, da JSD Lamego, fará parte da Mesa do Congresso. Daniel Bandeira, da JSD Tondela, e Patrícia Diogo Almeida, da JSD Mangualde, integraram a Comissão Política Nacional.
Melissa Pinto, da JSD de São Pedro do Sul, Mário Teles, da JSD Moimenta da Beira, Adolfo César Pereira, da JSD Viseu e Mariana Alvim, da JSD Armamar, serão conselheiros nacionais para o biénio 2022-2024.
No congresso onde Alexandre Poço foi reeleito Presidente da Comissão Política Nacional, Tiago Santos, Presidente da Comissão Política Distrital de Viseu, aproveitou para frisar que um militante do interior é tão importante quanto um militante do litoral, realçando, ainda, a importância dos territórios do interior.

Política
João Azevedo mantém-se no secretariado nacional do Partido Socialista (com áudio)

O deputado socialista eleito por Viseu, João Azevedo, volta a integrar o secretariado nacional do PS, que entrou em vigor durante o fim-de-semana. O também vereador na autarquia de Viseu é o único nome do distrito que se mantém no órgão do partido.
Em declarações à Dão Digital, João Azevedo diz que é uma honra integrar o secretariado nacional do PS. 
O Secretariado Nacional é o órgão executivo da Comissão Política Nacional.
Da lista, que conta com João Torres como secretário-geral Adjunto, para além de João Azevedo fazem também parte Ana Catarina Mendes, Eduardo Vítor Rodrigues, Ana Mendes Godinho, Fernando Medina, Isabel Moreira, Francisco André, Isilda Gomes, Jamila Madeira, José Luís Carneiro, Júlia Rodrigues, Luís Antunes, Luís Patrão, Mariana Vieira da Silva, Pedro do Carmo, Pedro Cegonho, Susana Amador, Pedro Marques, Pedro Nuno Santos, Vera Braz, Porfírio Silva e Sérgio Monte.

Política
João Paulo Rebelo é o coordenador distrital dos deputados do PS eleitos por Viseu

Durante esta legislatura (2022/2026), João Paulo Rebelo, vai ser o coordenador distrital dos deputados do PS eleitos por Viseu.
A decisão foi unânime entre os quatro parlamentares viseenses. João Paulo Rebelo não foi reconduzido no cargo de secretário de Estado do Desporto e Juventude para o novo Governo de António Costa. Foi eleito a 30 de janeiro deste ano, um dos quatro deputados para representar o distrito na Assembleia da República.
Outro deputado socialista, José Rui Cruz, continua como presidente da federação distrital do PS. João Azevedo, é também membro do secretariado nacional do Partido Socialista e Lúcia Araújo Silva, presidente da comissão política concelhia de Viseu do PS.

Política
Viseu: oito deputadados (PS e PSD) ocupam lugares na Assembleia da República

Os oito deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Viseu ocupam os respetivos lugares na Assembleia da República, esta terça-feira (29 de março). Quatro deputados foram eleitos pelo Partido Socialista (PS) e outros quatro pelo Partido Social Democrata (PSD). As eleições decorreram no dia 30 de janeiro.
Pelo PS, o distrito de Viseu continua a ser representado por João Azevedo, José Rui Cruz, Lúcia Silva e João Paulo Rebelo, que deixa de ser secretário de Estado da Juventude e do Desporto.
Do lado do PSD, o distrito de Viseu conta no Parlamento com caras novas. Hugo Carvalho, Guilherme Almeida, Cristiana Ferreira e Hugo Maravilha.
Os parlamentares ocupam esta terça-feira os lugares na Assembleia da República e o novo governo socialista toma posse na quarta-feira (30 de março).

Política
Viseu: Iniciativa Liberal tem nova coordenação (com áudio)

A Iniciativa Liberal de Viseu tem um novo grupo de Coordenação Local para os próximos dois anos. Saiu Fernando Figueiredo para dar lugar a Sérgio Figueiredo, que foi o cabeça de lista por Viseu nas últimas eleições legislativas que aconteceram em janeiro.
À Dão Digital, Sérgio Figueiredo disse que um dos objetivos passa por alargar os núcleos a outros concelhos do distrito.
Segundo Sérgio Figueiredo, as filiações na Iniciativa Liberal têm vindo a aumentar na região.

Política
Manifesto de apelo à paz aprovado na Assembleia Distrital de Viseu do PSD (com áudio)

A Assembleia Distrital de Viseu do PSD aprovou por unanimidade um manifesto de apelo à paz. O Presidente da Comissão Política Distrital do Partido Social Democrata, Pedro Alves, realça o trabalho de solidariedade que tem sido feito por todo o distrito.
Segundo o lider distrital do PSD Viseu, as sanções à Rússia devem ser reforçadas.

Política
PCP realiza ações no distrito de Viseu para denunciar aumento do custo de vida (com áudio)

Contra o aumento do custo de vida e a diminuição do poder de compra, o Partido Comunista Português (PCP) está a promover, ao longo desta quinta-feira (24 de fevereiro), diversas atividades pelo país e pelo distrito de Viseu. 
O objetivo passa por alertar a comunidade para a situação que, segundo Filipe Costa, coordenador do PCP Viseu, afeta todo o país, mas se acentua nas regiões do Interior.
Esta manhã, as ações decorreram em Lamego, sendo que durante a tarde acontecem em Viseu, Tondela e Mangualde.

Política
Filiados do PAN em Viseu querem um Congresso extraordinário eletivo

A Assembleia Distrital do PAN Viseu é a favor da realização de um Congresso Extraordinário Eletivo, considerando a "situação de crise interna no partido e a necessária relegitimação da
direção do partido".
A porta-voz da comissão política distrital do PAN Viseu, Carolina Almeida, afirma que a realização de um congresso é absolutamente essencial e defende que as reuniões de auscultação por parte da CPP (Comissão Política Permanente) são uma ingerência. Reunião que acontece em Viseu no próximo sábado, dia 26 de fevereiro, tendo acontecido já em outros distritos do país.
“À semelhança do que está a acontecer noutras comissões distritais, a Comissão Política Distrital do PAN Viseu também não está a ser envolvida nesta auscultação de filiados. Assistimos a um processo que está a decorrer sem transparência e sem o envolvimento formal das estruturas locais. É um absoluto desrespeito pelas comissões políticas distritais e concelhias e pelos comissários eleitos que trabalham diariamente em prol do PAN nas várias regiões do país. Estão a ignorar a existência das estruturas locais, num processo que não consta nos regulamentos do partido. São  reuniões informais, sem atas formais ou convocatórias com a antecedência prevista”, refere Carolina Almeida.
"Os filiados são convocados com três ou quatro dias de antecedência, alguns são contactados telefonicamente de forma discricionária, não sendo sequer conhecida a forma como este agendamento é feito, uma vez que os órgãos locais não são envolvidos no processo", acrescenta.
 

Política
Mangualde: militante da JSD vê moção aprovada em Conselho Nacional (com áudio)

Militante da JSD, natural de Mangualde viu aprovada por unanimidade uma moção que apresentou no último Conselho Nacional da Juventude Social Democrata (JSD).
O encontro teve lugar no passado fim-de-semana em S. João da Pesqueira, a norte do distrito de Viseu.
José Tavares falou à Dão Digital e justificou a moção intitulada “O Interior é que conta”. José Tavares realça também algumas medidas propostas na moçãoapesentada.

Política
Legislativas: o Chega é terceira força política em Viseu e no país (com áudio)

À semelhança do país, o Chega é também a terceira força política no distrito de Viseu. Nestas legislativas obteve na região 7,79% dos votos dos eleitores.
Por pouco não conseguiu eleger um deputado pelo círculo eleitoral de Viseu. O cabeça de lista, João Tilly, aponta as razões.
João Tilly espera que nas próximas legislativas, o distrito de Viseu consiga eleger um deputado do Chega.

Política
Legislativas: Distrital de Viseu do PSD fala em 'resultado muito preocupante'

O presidente da distrital de Viseu do PSD disse à agência Lusa que o resultado do partido “é muito preocupante”, que deve ser feita uma “reflexão profunda” para planificar o futuro e admitiu esperar que “isto tenha sido apenas um acidente”.
“É um resultado muito preocupante. Estávamos a sair de uma vitória nas eleições autárquicas, com uma recuperação da implementação do partido, a recuperar a maioria das câmaras do distrito, com mais mandatos nas assembleias municipais e de freguesia e, de repente, há uma interrupção”, considerou Pedro Alves.
O responsável defendeu à agência Lusa que, neste sentido, “o partido tem de fazer uma reflexão profunda sobre tudo o que aconteceu e, para futuro, planificar e planear de modo a dar continuidade ao trabalho que foi feito anteriormente e que isto tenha sido apenas um acidente e para o qual é preciso rapidamente encontrar soluções”.Nos 24 concelhos do distrito de Viseu, o PS ganhou em 17, incluindo a capital de distrito, que é presidida pelo social-democrata Fernando Ruas.
O PSD saiu vitorioso nos concelhos de Armamar, Castro Daire, Oliveira de Frades, Sátão, Sernancelhe, Tarouca e Vila Nova de Paiva.
Além de Hugo Carvalho, o PSD terá na Assembleia da República a representar o distrito de Viseu António Guilherme Almeida, Cristiana Ferreira e Hugo Maravilha.
Questionado sobre as causas que levaram a esta derrota, o presidente da distrital não quis “personalizar a questão” sobre o apoio que deu nas diretas ou de ter deixado de fazer parte da lista, mas lembrou que “é hábito dentro do partido haver transições naturais com alguma continuidade de trabalho feito, mas foi uma opção do presidente” do partido.
Apesar de considerar que “não terá sido razão suficiente”, assumiu que “a verdade é que há uma opção estratégica que consistiu numa renovação completa do distrito e o resultado também está à vista”.
“É essa reflexão que o partido tem de fazer internamente, perceber que a definição e o posicionamento estratégicos feitos ao longo destes anos resultaram nestes números e temos todos de perceber bem se foi uma questão de escolha de equipas, por uma questão de mensagem ou outra”, apontou.
Neste sentido, defendeu que “essa reflexão tem de ser feita em conjunto, com cada um a assumir as suas responsabilidades em todo este processo de organização estratégica e de posicionamento e depois fazer as opções e o partido terá certamente condições para se reabilitar e reorganizar”.
“Tenho a minha avaliação e reflexão que irei fazer em primeira mão à minha comissão política e aos órgãos do partido”, reagiu, quando questionado sobre a sua posição.

Política
Legislativas: os quatro deputados do PSD eleitos no distrito de Viseu

O Partido Social Democarta (PSD) conseguiu eleger, pelo círculo eleitoral de Viseu, quatro deputados para a Assembleia da República (AM). Hugo Carvalho, Guilherme Almeida, Cristiana Ferreira e Hugo Maravilha.

Política
Legislativas: os quatro deputados do PS eleitos no distrito de Viseu

O Partido Socialista (PS) conseguiu eleger, pelo círculo eleitoral de Viseu, quatro deputados para a Assembleia da República (AM). João Azevedo, Lúcia Silva, José Rui Cruz e João Paulo Rebelo.

Política
Legislativas: CDS-PP Viseu volta a ficar de fora do Parlamento (com áudio)

O CDS, no distrito de Viseu, voltou a não conseguir eleger deputados para a Assembleia da República. Obteve 2,05% dos votos.
À semelhança de 2019 os centristas perderam terreno na região. Quanto à fraca expressão nestas legislativas, o cabeça de lista, Manuel Marques, atribui a culpa à distrital do partido.
Manuel Marques diz que se sentiu abandonado pela distrital, ainda assim realça, como positivo, a sexta posição no distrito.
O centrista, natural de Nelas, defende a renovação do CDS-PP.

Política
Legislativas: João Azevedo (PS) realça 'melhor resultado de sempre' no distrito de Viseu (com áudio)

O distrito de Viseu vai, nos próximos quatro anos, continuar a estar representado na Assembleia da República (AR) por oito deputados. Quatro do PSD e quatro do PS. 
João Azevedo, eleito pelos socialistas, que foi o cabeça de lista por Viseu, no discurso ao final da noite eleitoral, mostrava-se satisfeito pela eleição de António Costa e dos quatro parlamentares no distrito.
João Azevedo não esqueceu o socialista Jorge Coelho, que morreu em abril do ano passado.

Política
Legislativas: Hugo Carvalho (PSD) atribui vitória de Costa ao voto 'útil' no PS (com áudio)

O PSD conseguiu manter os quatro deputados pelo círculo eleitoral de Viseu na Assembleia da República para os próximos quatro anos.
Hugo Carvalho, eleito pelos social-democratas, que foi o cabeça de lista por Viseu, considera que o distrito foi o reflexo do país no que diz respeito ao "voto útil" no PS.
O eleito deputado diz que o distrito fica bem representado com quatro eleitos para o PSD e PS, mas admite que o resultado podia ter sido diferente.

Política
Legislativas: distrito de Viseu virou rosa e dá vitória a António Costa (PS)

O Partido Socilaista venceu no distrito de Viseu nas eleições legislativas deste domingo, dia 30 de janeiro. Dos 340 342 eleitores inscritos, votaram 184 444 eleitores, o que se traduz em 54,19%.
O PS obteve 41,55% da votação, ou seja 76634 votos. O PSD recebeu 67 858 votos, o que corresponde a 36,79%.
O Chega surge na terceira posição com 7,79 % das escolhas dos votantes do distrito de Viseu.
No distrito viseense houve 2144 votos em branco e 1907 nulos.
O PS venceu nos concelhos de Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Penedono, Tabuaço, S. João da Pesqueira, Resende, Moimenta da Beira, Lamego, Cinfães, S. Pedro do Sul, Vouzela e Tondela.
O PSD venceu nos concelhos de Sátão, Castro Daire, Vila Nova de Paiva, Sernancelhe, Tarouca, Oliveira de Frades e Armamar.
Na Assembleia da República, o PS consegue quatro deputados pelo círculo eleitoral de Viseu e o PSD vai contar também com quatro parlamentares. João Azevedo, Lúcia Silva, José Rui Cruz e João Paulo Rebelo pelo PS e Hugo Carvalho, Guilherme Almeida, Cristiana Ferreira e Hugo Maravilha pelo Partido Social Democrata.

Política
Legislativas: Partido Socialista vence no concelho de Mangualde

O Partido Socialista venceu no concelho de Mangualde. A contagem dos votos já está concluída nas 12 freguesias que compõem o concelho.
Dos 17839 eleitores inscritos, votaram 9112 eleitores, o que se traduz em 51,08%.
O PS obteve 45,34% da votação, ou seja 4131 votos. O PSD recebeu 2874 votos, o que corresponde a 31,54%.
O Chega surge na terceira posição com 9,26% das escolhas dos votantes de Mangualde.
No concelho mangualdense houve 121 votos em branco e 110 nulos.

Política
Legislativas: Partido Socialista vence no concelho de Nelas

O Partido Socialista venceu no concelho de Nelas. 
A contagem dos votos já está concluída nas sete freguesias que compõem o concelho de Nelas.
Dos 12496 eleitores inscritos, votaram 6582 eleitores, o que se traduz em 52,67%.
O PS obteve 43,92 % da votação, ou seja 2891 votos. O PSD recebeu 1951 votos, 29,64%.
O Chega surge na terceira posição com 8,49% das escolhas dos votantes de Nelas.
No concelho de Nelas houve 80 votos em branco e 84 nulos.

Política
Legislativas: PSD vence no Sátão

O PSD venceu no concelho de Sátão. A contagem dos votos já está concluída nas nove freguesias que compõem o concelho de Sátão.
Dos 12655 eleitores inscritos, votaram 5874, o que se traduz em 46,42%.
O PSD obteve 40,72% da votação, ou seja 2392 votos. O PS conseguiu 2109 votos, 35,90 %.
O Chega surge na terceira posição com 10,47 % das escolhas dos eleitores de Sátão.
No concelho de Sátão houve 56 votos em branco e 61 nulos.

Política
Legislativas: dados provisórios dão vitória a António Costa (PS)

As projeções dos resultados eleitorais divulgadas pelas televisões portuguesas dão a vitória ao PS nas eleições legislativas deste domingo (30 de janeiro), com entre 36,6% e 42,6% dos votos, seguindo-se o PSD, com entre 26,7% e 32,7%.
De acordo com as projeções, o Chega tem entre 3,8% e 8,5% enquanto a Iniciativa Liberal (IL) entre 3,5% e 8,5%. Bloco de Esquerda pode ter de 2,4% a 7% e a CDU de 2,5% a 6,8%.
O intervalo de projeções para o CDS-PP vão de 0,1% a 3,6%, enquanto para o PAN a variação é de 0,2% a 3,7%. Para o Livre, as projeções variam entre 0,2% e 3,7%.

Política
Legislativas: Partido Socialista vence em Penalva do Castelo

O Partido Socialista venceu no concelho de Penalva do Castelo. A contagem dos votos já está concluída nas 11 freguesias que compõem o concelho penalvense.
Dos 7430 inscritos votaram 4078 eleitores, o que se traduz em 54,89%.
O PS obteve 49,98% da votação, ou seja 2038 votos. O PSD 1312 votos, 32,17%.
O Chega surge na terceira posição com 6,42% das escolhas dos penalvenses.
Em Penalva do Castelo houve 42 votos em branco e 47 nulos.

Política
Legislativas: candidatura do PS, por Viseu, termina campanha eleitoral em Mangualde (com áudio)

Esta sexta-feira (28 de janeiro), o último dia de campanha eleitoral, os candidatos socialistas pelo círculo eleitoral de Viseu, às legislativas do próximo domingo, passaram por Mangualde.
O cabeça de lista, João Azevedo, disse à Dão Digital que está confiante, depois de percorrer todo o distrito, na vitória de António Costa. O candidato do PS à Assembleia da República refere que a equipa socialista é experiente e com um trabalho reconhecido.
João Azevedo espera que a região volte, no domingo, a confiar no Partido Socialista.
A equipa liderada por João Azevedo termina a campanha eleitoral com um comício esta noite, em Mangualde.

Política
Legislativas: Iniciativa Liberal defende, em Mangualde, mais poder local (com áudio)

Os candidatos da Iniciativa Liberal (IL) às legislativas de domingo (30 de janeiro) passaram esta quinta-feira (27 de janeiro) por Mangualde.
O contacto com a população foi feito no centro da cidade e no recinto da feira quinzenal, onde o cabeça de lista por Viseu, Sérgio Figueiredo, defendeu a descentralização do poder político para o poder local.
O candidato quer ver o IP3, que liga Viseu a Coimbra, transformado em autoestrada e a ligação do IC12 à A25 concluída.
É a segunda vez que a Iniciativa Liberal apresenta candidatos por Viseu à Assembleia da República. Sérgio Figueiredo diz que a campanha tem sido positiva.

Política
Legislativas: BE quer urgências em Mangualde e melhor rede telefónica no Centro de Saúde (com áudio)

A candidatura do Bloco de Esquerda (BE) pelo círculo eleitoral de Viseu passou pelo Centro de Saúde de Mangualde.
A cabeça de lista, Manuela Antunes, lamenta que a população local não tenha acesso à urgência, que encerrou há quase dois anos.
A candidata à Assembleia da República (AR) fala ainda da avaria do serviço telefónico no Centro de Saúde de Mangualde, que segundo Manuela Antunes afeta os utentes.

Política
Legislativas: Hugo Carvalho (PSD), candidato por Viseu, testa positivo à Covid-19

Hugo Carvalho, cabeça de lista do PSD pelo Círculo Eleitoral de Viseu, testou positivo à covid-19, esta quarta-feira (26 de janeiro). A informação foi avançada pela candidatura social democrata.
"Hugo Carvalho tem realizado, diariamente, desde o início do período de campanha às Eleições Legislativas 2022, autotestes regulares, uma das várias medidas de prevenção que a campanha tem adotado", refere em comunicado. 
"Hugo Carvalho realizou o seu controlo com autoteste e acusou positivo à infeção por SARS-CoV-2, tendo o cabeça de lista do PSD ido fazer, de imediato, um teste antigénio que comprovou o resultado positivo", explica acrescentando que "toda a restante estrutura de campanha do PSD, no círculo eleitoral, teve também imediatamente instruções para que todas as pessoas realizassem teste".
Tendo já votado antecipadamente, em mobilidade, no passado domingo, Hugo Carvalho "cumprirá o período de isolamento, conforme as normas da Direção-Geral de Saúde. Numa situação a que temos aprendido a adaptar-nos nos últimos dois anos, a partir de hoje participará por videoconferência nas ações de campanha já previstas ou que se venham a realizar à distância", diz a nota da candidatura do PSD pelo círculo eleitoral de Viseu.

Política
Legislativas: candidatos da CDU por Viseu reúnem com Bispo de Lamego

Uma delegação da CDU que integrou a candidata dOs Verdes, Isabel Souto, e Alexandre Hoffmann, primeiro candidato da CDU, pelo círculo eleitoral de Viseu, às próximas eleições legislativas de 30 de janeiro, reuniU com o Bispo de Lamego D. António Couto.
Segundo a coligação, foram trocadas opiniões sobre a realidade social que se vive na área de influência da Diocese de Lamego. Os candidatos da CDU referem que a Igreja substitui "não raras vezes a obrigação do Estado na promoção dos cuidados nos lares e preocupações sociais, nomeadamente através das suas IPSS manifestamente sub financiadas". "D. António Couto reconheceu a ponte entre a cristandade e o projeto político da CDU na defesa dos mais pobres e desfavorecidos e na valorização da vida humana", acrescenta.
A CDU sublinha que segundo o Observatório Nacional de Luta Contra a Pobreza, o distrito de Viseu "é um dos mais empobrecidos, com taxas de pobreza e exclusão social acima da média nacional. Uma em cada quatro pessoas do distrito vive no limiar da pobreza, questão que afeta crianças, mulheres e idosos, merecendo, por isso, toda a atenção da candidatura CDU", diz.

Política
Legislativas: CDS-PP mostra-se contra a regionalização

O presidente do CDS-PP salientou na segunda-feira (24 de janeiro) que o partido é “contra a regionalização” porque o modelo “cria tachos e tachinhos” e aumenta a despesa pública e apontou que o objetivo dos centristas é “descentralizar a sério”.
“O CDS é contra a regionalização, e eu convido todos os partidos, já que estamos em véspera de eleições, a dizer qual é que é a sua posição sobre a regionalização em Portugal”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos.
O líder do CDS-PP falava num jantar-comício, em Viseu, da campanha eleitoral para as legislativas de domingo.
Rodrigues dos Santos justificou que a regionalização “divide o que é bom”, a “ideia de Estado nação, Portugal unido e coeso” e “multiplica o que é mau”.
“Este modelo que querem impor aumenta a classe política, cria tachos e tachinhos para os partidos do sistema do bloco central, cria mais corrupção, mais dívida, mais impostos, mais despesa pública e o país fica rigorosamente como está”, criticou.
Na ótica do presidente do CDS-PP, “isto como está não pode ficar mais”, porque Portugal “está altamente desigual com assimetrias preocupantes”, o interior “tem perdido nos últimos 20 anos milhares e milhares de pessoas e a solução que o CDS propõe não é mais Estado, é um Estado com qualidade e uma administração de proximidade”.
“Nós queremos descentralizar a sério, descentralizando serviços da administração central do Estado em delegações distritais. Não queremos cinco regiões, temos 18 distritos, queremos serviços da administração central em delegações distritais com uma política de proximidade em áreas que são fundamentais”, explicou.
Com esta medida, o partido quer “fixar pessoas” e “responsabilizar a administração do Estado pela política de desenvolvimento territorial”.
“E queremos acabar com esta apropriação indevida de fundos comunitários na administração central em Lisboa, porque Portugal não é Lisboa e o resto não é paisagem, não há portugueses de primeira nem portugueses de segunda”, criticou.
No seu discurso, o presidente centrista referiu ainda a proposta que consta no compromisso eleitoral do CDS-PP sobre a reforma do sistema eleitoral e que passa por “criar círculos uninominais e plurinominais e um círculo nacional de compensação”.
O CDS quer “alterar a geometria da distribuição dos mandatos por círculos” para que o “interior eleja mais deputados, tenha mais peso na Assembleia da República, tenha mais voz, para que os assuntos do interior sejam discutidos, para obrigar a Assembleia da República a legislar e a encontrar soluções para dois terços do território”.
E salientou que “o CDS tem soluções, tem propostas” e não “defende tonterias”, não é um “partido de Lisboa e do Porto”, nem de “só onde existe praia”.
“Perguntem a esses partidozinhos da moda onde é que se candidataram nas eleições autárquicas”, acrescentou Rodrigues dos Santos, referindo que foram “zero” nos distritos do interior.

Política
Viseu: CDU esteve junto de crianças e pais para realçar direitos

A CDU escolheu o parque de Santiago, em Viseu, para dar destaque aos direitos das crianças e dos pais. "O peso das creches nos orçamentos familiares, os baixos salários, a desregulação dos horários e a precariedade laboral levaram (e levam) a que muitas famílias não tenham os filhos que desejam - ou que não os tivessem tido de todo. Ter filhos não pode ser visto como um capricho, mas sim como um direito e até como um factor de desenvolvimento nacional", refere a coligação.
Durante a manhã de domingo (23 de janerio), crianças e pais foram convidados a participar em jogos tradicionais como o lencinho e a corrida de sacos ou de pneus, entre muitos outros.
"Foi uma oportunidade para divulgar as propostas CDU para o distrito e que passam nomeadamente por criar uma rede pública e gratuita de creches para todas as crianças, aumentar o abono de família e pré-natal e garantindo a sua universalização", refere acrescentando que propõe ainda "o desenvolvimento de mecanismos de incentivo à natalidade e incrementar o apoio à maternidade e paternidade".
Em complemento a estas medidas a CDU defende a criação de um programa de incentivos à fixação de jovens no distrito, com apoios extraordinários, bem como a promoção do emprego com direitos como medidas imprescindíveis à promoção dos direitos da juventude e à garantia dos direitos das crianças e dos pais.

Política
Legislativas: Costa apela a mobilização de militantes para levar indecisos a votar

O secretário-geral do PS apelou este sábado, dia 22 de janeiro, em Viseu, a que os militantes socialistas não “descansem nem um segundo” para “chamar a votar todos aqueles que ainda estão indecisos”, sustentando que uma vitória do PS é uma “vitória de todos os portugueses”.
“Peço a todos e a todas que não descansem nem um segundo ao longo da próxima semana. Temos que chamar a votar todos aqueles que ainda estão indecisos, e a quem temos de esclarecer e explicar, e explicar, e explicar, o que é que está em causa nestas eleições”, referiu António Costa num comício na cidade viseense.
O líder socialista apelou a uma mobilização junto de familiares, colegas, vizinhos e desconhecidos para “garantir uma grande vitória do PS” nas próximas eleições legislativas.
“Porque a vitória do PS é a vitória dos pensionistas que têm direito a um aumento extraordinário das pensões, a vitória do PS é a vitória das famílias que têm direito a ver reduzido já o IRS, é a vitória de todas as empresas que querem ver já terminado o pagamento especial por conta, é a vitória de todos aqueles que querem um SNS tendencialmente gratuito, é a vitória daqueles que querem defender e não deixam ceder na existência de um sistema de Segurança Social público para todas e todos os portugueses”, frisou.
O também primeiro-ministro indicou assim que uma vitória socialista é “uma vitória de todas e de todos os portugueses”.
Num discurso maioritariamente composto por críticas ao PSD, António Costa defendeu que “há uma escolha fundamental a fazer nestas eleições”: “É se continuamos a avançar com o PS ou se voltamos a recuar com o PSD”, frisou.
Comparando o trajeto do seu Governo, que começou em 2015, e o do Governo do PSD e CDS, liderado por Pedro Passos Coelho, entre 2011 e 2015, António Costa frisou que, quando iniciou a governação, “a taxa de desemprego era de 12,8%”.
“Hoje, mesmo depois de termos atravessado e de estarmos a atravessar uma pandemia brutal, a taxa de desemprego já está nos 6,4%, metade daquela que estava em 2015 quando nós chegámos ao Governo”, sublinhou.
Continuando com a comparação, o líder socialista abordou ainda o crescimento económico para referir que, em 2015, a economia cresceu 1,8%, enquanto que, entre 2016 e 2019, “passou a crescer em média 2,8% e, mais importante, voltou a crescer acima e mais rápido que o conjunto da União Europeia e, em especial, o conjunto da zona euro”.
“Falam muito de rendimentos, mas a verdade é só uma: nos quatro anos de governação do PSD/CDS, o salário mínimo nacional durante esses quatro anos subiu 20 euros. (…) Este ano, de 2021 para 2022, só neste ano subiu quarenta euros. (…) Ao longo destes seis anos, subiu dez vezes mais do que subiu durante o tempo do PSD e do CDS: subiu 200 euros”, disse.

Política
Legislativas: as mulheres estiveram em destaque, em Viseu, na campanha da CDU

 A CDU realizou uma instalação e uma Tribuna Pública, para divulgar os compromissos que assume com as mulheres do Distrito de Viseu. Uma tribuna pública acompanhada de 24 pares de sapatos e cinco gaiolas, "retrato e denúncia da situação das mulheres no nosso distrito", refere a força política.
"Em cada par o rosto de uma mulher, um retrato possível das mulheres reais que vivem em Viseu e para quem a igualdade não é mais que a intenção inscrita na lei, mas ainda não concretizada na vida. Cinco gaiolas, símbolo do encarceramento em que vivem mulheres reais do distrito de Viseu, aprisionadas nas redes do tráfico ou no medo dos agressores, vítimas das múltiplas formas de violência, em que os baixos salários assumem particular destaque", diz um nota de imprensa da CDU.
A ação foi complementada com a distribuição de um documento dirigido às mulheres nas fábricas com mão de obra maioritariamente feminina e uma reunião com o Movimento Democrático de Mulheres, para além da publicação de vídeos de mulheres apoiantes nas redes sociais e divulgação dos compromissos que a CDU assume com as mulheres do distrito.

Política
Viseu: Bloco de Esquerda (BE) pinta bancos LGBTQIA+ no Parque Aquilino Ribeiro

 A candidatura do Bloco de Esquerda (BE) pelo círculo eleitoral de Viseu pintou dois bancos com as cores da bandeira LGBTQIA+ junto ao Rossio, no parque Aquilino Ribeiro.
#BancodoAmor é uma iniciativa que tem o objetivo "de alertar para o crescente ódio que alguma direita tem promovido e outra tem branqueado", refere o BE, acrescentando que "também em Viseu têm existido ataques LGBTQIA+ fóbicos há vários anos, demonstrando o conservadorismo e descriminação enraizados na região".
O Bloco de Esquerda lembra que o distrito de Viseu teve a sua primeira manifestação pública, de abrangência nacional, de denúncia contra os ataques homofóbicos a pessoas LGBTQIA+, em 2005. "Mas foi preciso esperar 13 anos para surgir um movimento mobilizador cívico que realizasse a primeira marcha de Viseu pelos direitos LGBTQIA+. O movimento interseccional tem-se manifestado nas ruas da cidade desde então, sempre com o apoio do Bloco", refere.
A iniciativa, que consiste na pintura de um banco de jardim com as cores da bandeira LGBTQIA+, "pretende ir para além do ato simbólico em si e fomentar o sentimento de pertença das pessoas LGBTQIA+ à vida em sociedade". 
Até ao momento a iniciativa #bancodoamor foi realizada em Viseu, Braga, Guimarães, Coimbra, Santarém e Faro.

Política
Legislativas: Em Viseu, o líder do Chega criticou o PSD

O líder do Chega, André Ventura, afirmou na quarta-feira (19 de janeiro), em Viseu, que os portugueses “não se devem esquecer” do aumento de impostos e cortes nas pensões durante o período da ‘troika’, pelo Governo PSD/CDS-PP, liderado por Passos Coelho.
“O PS tem responsabilidade nisto [nível de impostos sobre o rendimento], mas antes houve uma governação do PSD que aumentou impostos, diminuiu pensões e que os portugueses não se devem esquecer disso quando votarem no dia 30”, salientou Ventura.
André Ventura falava no final de uma arruada pelo centro histórico de Viseu.
“No consumo pagamos uma brutalidade [de impostos], no rendimento pagamos uma brutalidade, e até no imposto sucessório pagamos uma brutalidade. Rui Rio tem que explicar porque é que o PSD deixou o país com esta enorme carga fiscal, porque isto não é só responsabilidade do PS”, apontou, considerando que os sociais-democratas têm uma “grande responsabilidade” no estado do país, “em matéria de impostos, saúde e pensões”.
Questionado sobre a constante mudança de postura face aos potenciais parceiros de direita – entre um discurso conciliador e uma postura crítica -, André Ventura referiu que o Chega não ficará calado.
 

Política
Legislativas: Líder do PSD mostra-se, em Viseu, contra o facilitismo na governação

O presidente do PSD, Rui Rio, disse na quarta-feira (19 de janeiro), durante uma ação de campanha em Viseu, que a diferença entre o êxito e o fracasso está em “larga medida” no rigor em contraponto com o facilitismo na governação do país e, em particular, na educação.
“Temos que ter um ensino humanizado, de ajudar os estudantes, mas o ajudar nunca é facilitar, porque facilitar é dar cabo do futuro deles e isso é uma linha transversal a toda a governação e, em particular, da educação é relevante porque é o futuro desses e o futuro do país de certa forma”, afirmou o líder social-democrata durante a iniciativa “Conversas Centrais”, em Viseu, que foi dedicada à Educação e Demografia.
Rui Rio fez questão de apontar uma linha que será transversal à governação PSD “e que é o contraponto entre o rigor e o facilitismo”.
“A tendência do PS é sempre uma tendência de facilitismo em tudo, transversalmente na governação. A troika quando aqui veio, por responsabilidade do PS mais não é do que filha, aquela política é filha do somatório de facilitismos para trás, porque se tivéssemos tido rigor para trás não tínhamos atingido os níveis de endividamento que atingimos e nunca na vida Portugal teria tido a troika”, frisou e acrescentou que “se queremos ser um país desenvolvido, um país que pelo menos chegue à media europeia nos seus principais indicadores tem que olhar para os países de sucesso e fazer igual e, nos países com mais sucesso, o que predomina é o rigor e o profissionalismo e não é o facilitismo”.
Reforçou que “a diferença entre o êxito e o fracasso está em larga medida no rigor versus facilitismo em tudo” e “então na educação é absolutamente vital”.

Política
Legislativas: Rita Barreto (Nós Cidadãos) quer medidas favoráveis à região do Interior (com áudio)

Quando faltam menos de duas semanas para as eleições legislativas, ouvimos a candidata do Nós Cidadãos pelo distrito de Viseu.
Rita Barreto é uma das mais novas candidatas, tem 21 anos, pretende mostrar que os jovens também devem ter voz na política.
De entre as várias ideias, Rita Barreto defende mais medidas favoráveis à região do Interior.

Política
Legislativas: PSD apresentou a lista candidata à Assembleia da República pelo distrito de Viseu

A lista de candidatos do Partido Social Democrata (PSD) pelo Círculo Eleitoral de Viseu foi apresentada no domingo, dia 16 de janeiro. Sob o lema “Novos Horizontes para Viseu”, a mesma é encabeçada por Hugo Carvalho, seguida de Guilherme Almeida, Cristina Ferreira, Hugo Maravilha, Domingos Nascimento, Raquel Pinto, Ana Cristina Pais, Paulo Bito, Sofia Mesquita, José Luís Abrantes, Cláudia Jesus Damião, Idália Ribeiro e Arlindo Cunha.
Segundo Hugo Carvalho, “só há dois votos em Viseu para sair da falta de soluções. Nos outros para ficar tudo igual ou no PSD que é único voto que as pessoas podem fazer para transformar Portugal”.
Pedro Alves, presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Viseu, referiu também que “o PSD e Rui Rio são a verdadeira alternativa para governar Portugal e os portugueses”.
O eurodeputado Paulo Rangel, que marcou presença na sessão de apresentação, acusou o Partido Socialista de ter criado “muitos dos problemas que existem no distrito de Viseu, fruto de políticas nacionais mal orientadas”. Disse ainda que Hugo Carvalho "é um jovem que tem as qualidades e o conhecimento necessário para defender o distrito de Viseu na Assembleia da República”.
Segundo Pedro Alves, o Governo Socialista adiou vários investimentos públicos essenciais para a região do interior, ao longo dos últimos anos, como “a ferrovia, o centro oncológico, as urgências do Centro Hospitalar Tondela-Viseu e a EN229”.
O eurodeputado Paulo Rangel aproveitou também para dizer que António Costa “desperdiçou os últimos seis anos e colocou Portugal na cauda da Europa”. “O nosso país foi ultrapassado por vários países europeus. Portugal está cada vez pior porque as políticas do Governo de António Costa são falhadas”, acrescentou o eurodeputado.
“Rui Rio é o líder capaz para transformar Portugal”, disse Paulo Rangel ao reforçar a ideia de que só o líder do PSD tem a coragem necessária para criar as reformas de que o país e os territórios precisam. Hugo Carvalho fechou a sessão referindo que pretende ser “uma voz da região no Parlamento, em vez de uma voz do Governo na região”.

Política
Legislativas: João Tilly (Chega) quer mais população na região do Interior (com áudio)

No âmbito das eleições legislativas ouvimos o primeiro candidato do Chega por Viseu, às eleições legislativas de 30 de janeiro.
É a segunda vez que João Tilly dá a cara pelo distrito. À Dão Digital explicou os motivos que o levaram a aceitar o convite do presidente do partido.
De entre ass diversas temáticas que preocupam o Chega, o candidato por Viseu defende medidas de descriminação positiva para que a população escolha a região do interior para viver.

Política
Legislativas: Cotrim Figueiredo diz que Rio será bom primeiro-ministro com a Iniciativa Liberal

O presidente da Iniciativa Liberal (IL) voltou a “piscar o olho” ao PSD dizendo que o líder social-democrata, Rui Rio, seria um bom primeiro-ministro, mas se tivesse a seu lado a IL para o manter “ambicioso”.
“Já tive ocasião de o dizer. Eu acho que tem condições [Rui Rio] para ser um bom primeiro-ministro se puder contar com a Iniciativa Liberal para o manter ambicioso e corajoso perante as reformas que são precisas fazer”, reafirmou João Cotrim Figueiredo, numa ação em Viseu.
Para Cotrim Figueiredo, a IL imprimiria o “ímpeto reformista” que em “boa parte” o PSD perdeu.
Além disso, a Iniciativa Liberal iria trazer “energia, dinamismo, imaginação e juventude” à liderança social-democrata, considerou.
Após uma reunião na AIRV - Associação Empresarial da Região de Viseu, onde esteve acompanhado do cabeça de lista pelo distrito, Sérgio Figueiredo, o presidente da IL revelou que uma das preocupações que lhe foi transmitida assenta na falta de mão-de-obra. E, apontando as culpas ao PS, João Cotrim Figueiredo considerou que o país está a deixar emigrar os jovens, nomeadamente os mais qualificados, por não lhe oferecer as devidas oportunidades.
“O país permite que muitos dos seus jovens, dos seus melhores jovens, emigrem e depois tem falta dessa mão-de-obra qualificada, isto não faz sentido absolutamente nenhum”, reforçou.
Além da falta de mão-de-obra, o liberal apontou os “muitos entraves” ao investimento, nomeadamente na parte fiscal.
No contacto com comerciantes, além de queixas de quebras nas vendas, ouviu também que “presentemente a sua voz para Portugal é essencial e veio na altura certa”.

Política
Legislativas: Catarina Martins (BE) quer luta 'contra o crime económico e a corrupção'

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, prometeu um “contrato para o país que combata a economia do privilégio e da desigualdade”, defendendo “contas certas” do trabalho e “contra o crime económico e a corrupção”.
No primeiro dia de campanha, o BE escolheu Viseu para fazer um comício inteiramente dedicado ao interior e no qual discursaram antes os cabeças de lista do partido pelos círculos eleitorais da Guarda, Castelo Branco, Bragança, Vila Real e Viseu, bem como o líder parlamentar, Pedro Filipe Soares.
“Nestas eleições dizemos ao que vimos. Vimos por um contrato para o país que combata a economia do privilégio e da desigualdade e que possa construir um país mais justo, a começar pelo acesso à saúde e pelo salário e pela pensão, pelos direitos do trabalho”, comprometeu-se Catarina Martins.
O BE, segundo a sua líder, confronta “a porta giratória e a economia do privilégio” e deixou uma “garantia aos poderosos que vampirizam Portugal”.
“Estamos aqui para um país de contas certas, em que a riqueza é justamente distribuída e em que ninguém tem direito a destruir a economia para ganhar tanto enquanto deixa quem trabalha com quase nada”, afirmou.
A expressão das “contas certas” entrou de novo no discurso dos bloquistas, mas desta vez “as contas certas do trabalho, as contas certas contra o crime económico e contra a corrupção, as contas certas que constroem a justiça” em Portugal.
“E, essa garantia, sabem que o BE a pode dar como mais nenhum partido neste país”, disse.
Tal como tem sido tónica em todos os discursos e declarações, a meta eleitoral de ser a terceira força política não foi esquecida nesta intervenção em Viseu.
“Um Bloco de Esquerda forte, uma terceira força política determinante neste país é a derrota da direita e do seu projeto económico, é também a derrota dos interesses económicos que vivem da porta giratória e que fazem do crime económico e da corrupção a forma do seu enriquecimento, é também vencer a extrema-direita e o preconceito”, defendeu.
Os bloquistas, nas palavras de Catarina Martins, não faltarão “ao contrato para o país” nem a “uma força decisiva de Governo que faça com que em Portugal se ande de cabeça erguida” e respeite quem “aqui trabalha”.

Política
Legislativas: Sérgio Figueiredo (Iniciativa Liberal) quer mais descentralização do poder (com áudio)

No âmbito das eleições legislativas ouvimos o cabeça de lista da candidatura da Iniciativa Liberal pelo distrito de Viseu. O atoeleitoral acontece a 30 de janeiro.
Sérgio Figueiredo explicou à Dão Digital porque aceitou o desafio.
Entre as várias ideias que defende para o distrito de Viseu, Sérgio Figueiredo destaca a descentralização do poder.

Política
Legislativas: Norberto Albuquerque (Partido da Terra) quer barragens na região de Viseu (com áudio)

No âmbito das eleições legislstivas de 30 de janeiro, a Rádio Dão Digital ouviu o candidato do Partido da Terra, por Viseu.
Norberto Albuquerque vive no concelho de Mangualde e aceita ser candidato pela segunda vez, em defesa do ambiente.
Em defesa do ambiente vai reivindicar mais barragens para a região, caso seja eleito para a Assembleia da República.

Política
Legislativas: Tânia Campos (Volt) quer maior aposta na ferrovia no distrito de Viseu (com áudio)

No âmbito das eleições legislativas de 30 de janeiro, a Dão Digital ouviu a candidata do partido Volt pelo distrito de Viseu. Tânia Campos contou porque aceitou o desafio de se estrear na política como candidata a deputada.
De entre as várias ideias que pretende defender sobre o distrito de Viseu, a candidata à Assembleia da República realça a necessidade de melhores acessibilidades e o reforço da linha férrea para um melhor desenvolvimento da região.

Política
Legislativas: João Azevedo (PS) apresentou prioridades para a região de Viseu

A pouco mais de 15 dias das eleições legislativas (30 de janeiro), o Partido Socialista (PS) apresentou os candidatos e o programa eleitoral para o distrito de Viseu. Lista que é encabeçada por João Azevedo.
Os primeiros quatro lugares são ocupados também por Lúcia Silva, José Rui Cruz e João Paulo Rebelo.
De entre as prioridades para o distrito de Viseu, o PS defende a mobilidade quer ferroviária e rodoviária com destaque para o IP3, a saúde nomeadamente as obras nas urgências do Hospital de Viseu, o Centro Oncológico e a parte da psiquiatria, a área social, a agricultura, educação, entre outras.
Criar um estatuto especial para a região de Viseu é também um dos objetivos da candidatura do Partido Socialista à Assembleia da República, liderada por João Azevedo.
A candidatura socialista por Viseu tem como mandatário Marco Almeida.

Política
Legislativas: Vitor Ramalho (Ergue-te) quer melhores acessibilidades e zonas industriais (com áudio)

No âmbito das eleições legislativas de 30 de ajneiro, ouvimos o candidato do Ergue-te pelo distrito de Viseu.
Vitor Ramalho, em declarações à Rádio Dão Digital, comprometeu-se a reunir com as forças vivas de cada concelho, caso seja eleito para a Assembleia da República.
O candidato do Ergue-te considera que o distrito de Viseu precisa de melhores acessibilidades e zonas industriais. Vitor Ramalho defende mais incentivos aos empresários, entre outras ideias.

Política
Legislativas: Manuel Marques (CDS-PP) quer defender o Interior e o setor primário (com áudio)

A pouco mais de três semanas da eleições legislativas, ouvimos o cabeça de lista do CDS-PP pelo distrito de Viseu. O ato eleitoral acontece no dia 30 de janeiro.
Manuel Marques disse à Rádio Dão Digital que aceitou o desafio em defesa do interior.
O candidato do CDS-PP considera que a saúde no distrito também precisa de ser reforçada, assim como a agricultura.

Política
Legislativas: Hugo Carvalho (PSD) apresentou candidatura (com áudio)

A candidatura do cabeça de lista do PSD por Viseu às legislativas de 30 de janeiro foi apresentada esta segunda-feira (03 de janeiro). Hugo Carvalho é o nome escolhido pelo líder do Partido Social Democrata.
À Dão Digital, Hugo Carvalho, contou porque aceitou o desafio.
O candidato do PSD refere que é necessário abranger outros temas que afetam o distrito, para além do IP3 e do hospital de Viseu.
A acompanhar Hugo Carvalho estão nomes como Guilherme Almeida, Cristiana Ferreira, Hugo Maravilha, Domingos Nascimento, entre outros.

Política
Legislativas: João Azevedo (PS) volta a liderar lista por Viseu (com áudio)

João Azevedo volta a liderar a lista de candidatos do Partido Socialista (PS) para a Assembleia da República, pelo distrito de Viseu, no âmbito das eleições legislativas.
À Dão Digital disse que é um orgulho e uma responsabilidade voltar a ser o cabeça de lista por Viseu.
O candidato socialista refere que se for eleito vai continuar o trabalho que tem desenvolvido no Parlamento nas diversas áreas.
A lista que João Azevedo lidera é composta também pelos repetentes deputados Lucia Silva e José Rui Cruz. Na lista por Viseu está também João Paulo Rebelo.
O mandatário distrital da lista por Viseu é Marco Almeida, atual presidente da Câmara de Mangualde.

Política
Legislativas: Carolina Almeida (PAN) avança por Viseu (com áudio)

Carolina Almeida volta a ser o nome escolhido pelo PAN (Pessoas, Animais e Natureza) para liderar a lista de candidatos a deputados para a Assembleia da República, pelo círculo eleitoral de Viseu, nas eleições legislativas agendadas para o dia 30 de janeiro.
Carolina Almeida nasceu em Viseu em 1982. É psicóloga. Foi uma das fundadoras do Núcleo do PAN em Viseu, em 2017.
Em 2019, integrou a lista candidata pelo PAN às Eleições Europeias, em representação de Viseu. E, no mesmo ano, foi a cabeça de lista pelo PAN às Eleições Legislativas, pelo círculo eleitoral de Viseu. É a porta-voz da Comissão Política Distrital de Viseu e integra a Comissão Política Nacional do PAN desde Julho de 2021.
À Rádio Dão Digital, Carolina Almeida disse que é com responsabilidade que assume o desafio.
A candidata a deputada por Viseu realça alguns temas que pretende defender caso seja eleita para a Assembleia da República.

Política
Legislativas: Hugo Carvalho (PSD) avança por Viseu

Hugo Carvalho será o cabeça de lista do PSD por Viseu nas eleições legislativas de 30 de janeiro.
O deputado, desde 2019, foi número um pelo Porto há dois anos e vai assim liderar a lista pelo círculo de Viseu. Hugo Carvalho é engenheiro, tem 31 anos, e foi presidente do Conselho Nacional de Juventude (CNJ).
Atualmente é membro da Assembleia Municipal de Viseu.

Política
Legislativas: Alexandre Hoffmann (CDU) avança por Viseu (com áudio)

Alexandre Hoffmann é o cabeça de lista por Viseu, pela CDU, às legislativas de 30 de janeiro. À Dão Digital disse receber com agrado a confiança da coligação (PCP-PEV).
O candidato da CDU realça algumas preocupações pelas quais pretende lutar caso seja eleito para a Assembleia da República.

Política
Legislativas: Manuela Antunes (BE) lidera lista por Viseu

A Mesa Nacional do Bloco de Esquerda (BE) aprovou Manuela Antunes para encabeçar a lista do distrito de Viseu do Bloco de Esquerda, no âmbito das eleiçõees legislstivas agendadas para o dia 30 de janeiro de 2022.
Em segundo lugar surge o nome de Manuel Coelho, de Tarouca, e em terceiro a independente Inês Coelho, de Mangualde.
Manuela Antunes refere que é cabeça de lista do Bloco no distrito de Viseu com "uma lista plural que reúne pessoas de vários setores de atividade profissional de todo o distrito que querem fazer a diferença, que se comprometem a apresentar e defender propostas concretas que coloquem as pessoas e o seu território no centro de decisão, promovendo o desenvolvimento e a fixação de pessoas no distrito e na região, através da criação de empregos e de um maior investimento na habitação e nos transportes públicos". "Não queremos trabalho precário. Não queremos portagens onde não existe transporte público. Queremos mais justiça social. Queremos um distrito que coloque a emergência climática no centro de todas as decisões. Queremos estar nos centros de decisão“, acrescenta Manuela Antunes.
Manuel Coelho diz que aceitou o convite para integrar esta lista "com o intuito de contribuir para esclarecer o distrito de Viseu da necessidade da viragem à Esquerda para aprofundarmos as políticas social, nomeadamente para termos um Serviço Nacional de Saúde (SNS) que sirva o distrito, uma política ambiental virada para a urgência climática, da necessidade de uma política de transporte público que sirva todas as populações. Sobretudo na construção de um distrito para todas as pessoas, onde não seja necessário sair, quando o que se quer é ficar”.
Também Inês Coelho explica que integra a candidatura porque "o Bloco de Esquerda, é o único partido em Portugal cujas lutas e compromissos são interseccionais e no qual todas e todos contam. Erradicar as desigualdades e discriminações, salvar o SNS, proteger os trabalhadores e as trabalhadoras da precariedade, lutar pela igualdade, inclusão e justiça social é o que me faz dar a cara por este projeto".

Política
Congresso do Chega, em Viseu, arranca esta sexta-feira com propostas de alterações estatutárias

O Congresso do Chega arranca esta sexta-feira (26 de novembro) em Viseu, com André Ventura a anunciar que irá propor alterações na organização e nos órgãos do partido, apesar de pretender que a reunião magna seja de “união” e de “mobilização”.
Em declarações à Lusa, o líder do Chega antecipou o Congresso do partido, que se reúne entre sexta-feira e domingo em Viseu, afirmando esperar que seja uma reunião “pacificadora”, capaz de “mobilizar e unir o partido para as legislativas”.
“Nessa perspetiva, espero que seja o Congresso de maior união de todos os que já tivemos – este já vai ser o quarto congresso do partido – e espero que seja a mobilização de forças definitiva para as legislativas, deixando um pouco de lado as dinâmicas e as tensões internas que o partido tem, naturalmente, e que seja capaz de, neste momento, focar-se no essencial, que são as eleições de dia 30 de janeiro”, frisou.
Convocado depois de o Tribunal Constitucional ter considerado que as alterações estatutárias introduzidas no Congresso de Évora, em setembro de 2020, foram ilegais, a reunião magna deste fim de semana irá ratificar as alterações em questão, mas também introduzir novas mudanças “relativas aos órgãos, à organização do partido e a algumas questões de natureza mais técnica”.
“Mas não se prevê nenhuma alteração de fundo da orgânica do partido, pelo menos nas propostas na Direção, não sei se nas propostas dos congressistas vamos ter alguma alteração”, frisou André Ventura, afirmando esperar que “seja um congresso com o mínimo de alterações possíveis”.
O líder do Chega salientou ainda que irá apresentar listas próprias para a Direção, Jurisdição e Mesa do partido, apesar de serem "pontuais", mostrando-se também confiante de que a mudança de nomes não irá criar tensões internas no partido.
“Estou a procurar nomes agregadores e de pessoas que possam, dentro do possível, integrar, compreender e aceitar as várias tendências do partido, (…) nomes que não criem mais fratura, que não aprofundem divisões, mas que promovam consensos”, frisou, informando ainda que a Direção Nacional vai ser “maioritariamente de continuidade”.
Além das propostas de André Ventura, deram também entrada, até ao momento, duas moções de alterações estatutárias, segundo consta no site do partido.
Uma proposta visa que a duração dos mandatos das estruturas locais, regionais e distritais do partido sejam de dois anos, contrariamente aos quatro anos atuais, e a outra que os conselhos de jurisdição distrital passem também a ter “competências para a instauração, instrução, elaboração e análise dos processos disciplinares que se insiram na sua área de jurisdição”.
O Congresso arranca na sexta-feira às 20h00 na Expocenter de Viseu, com o encerramento dos trabalhos previsto para domingo às 17h00.

Política
Mangualde: JS com eleições a 30 de outubro. Renato Albuquerque avança com recandidatura (com áudio)

A Juventude Socialista (JS) de Mangualde vai a eleições no final deste mês de outubro. Recandidata-se ao cargo Renato Albuquerque que se apresenta como candidato único. Para os próximos dois anos a aposta é na formação política e no reforço da militância. À Dão Digital, Renato Albuquerque justifica a recandidatura.
As eleições estão marcadas para dia 30 de outubro.

Política
Viseu: vereadores do PS criticam executivo, liderado pelo PSD, por não alterar o dia das reuniões

O PS lamenta que o executivo da câmara de Viseu, liderado por Fernando Ruas (PSD), não tenha alterado o dia das reuniões de forma a permitir a presença do vereador João Azevedo, que é também deputado na Assembleia da República.
Na primeira reunião do executivo, realizada na segunda-feira (18 de outubro), os vereadores do PS, "perante a proposta constante no regimento de realização das reuniões à quinta-feira, facto que impossibilitaria a presença do vereador João Azevedo, solicitaram alteração para outros dias da semana".
Em comunicado, os socialistas contam que "a pretensão foi rejeitada, com base na justificação de que 'os serviços técnicos teriam, para esse dia, melhor organização'", uma argumentação que "mais não é do que uma tentativa de obstaculizar a plena participação democrática e política".
No seu entender, "com esta posição, o executivo camarário está a limitar o envolvimento nas dinâmicas executivas do principal candidato da oposição, que mereceu a confiança de 20 mil eleitores".
Entre as alterações propostas, "todas chumbadas pela maioria PSD", estava também a de "todas as reuniões serem abertas ao público, para que os munícipes possam ter um conhecimento mais profundo da gestão do concelho", assim como a sua gravação, acrescentam.

Política
Nelas: Joaquim Amaral já tomou posse para a presidência da autarquia (com áudio)

O novo presidente da Câmara Municipal de Nelas tomou posse esta tarde de segunda-feira (18 de outubro). Joaquim Amaral foi eleito, no dia 26 de setemnbro, pela coligação PSD/CDS-PP.
Nas próximas semanas, Joaquim Amaral pretende realizar uma avaliação às contas da autarquia, entre outras medidas. 
Ao longo dos próximos quatro anos de mandato, o autarca de Nelas espera contar com o apoio dos munícipes no desempenho das novas funções.

Política
Sátão: novo executivo, liderado por Alexandre Vaz, tomou posse (com áudio)

Alexandre Vaz, eleito a 26 de setembro pelo PSD, regressou esta sexta-feira (15 de outubro) à presidência da Câmara Municipal de Sátão, depois de um interregno de quatro anos por limitação de mandatos. A tomada de posse do novo executivo decorreu esta manhã.
O novo presidente assumiu à Dão Digital, que prevê muito trabalho ao longo do mandato. Alexandre Vaz substitui o também social democrata Paulo Santos.
 

Política
Sátão: o balanço do presidente da Câmara na hora da saída

A tomada de posse do novo executivo municipal de Sátão tem lugar na sexta-feira (15 de outubro). O atual presidente do município, Paulo Santos, entrega a presidência ao social democrata Alexandre Vaz, que regressa quatro anos depois. Na hora da saída, Paulo Santos faz o balanço do mandato. O autarca realça que muito foi feito, mas admite que ainda há muito para fazer no concelho.
Paulo Santos destaca algumas intervenções realizadas no último mandato.

Política
Mangualde: Marco Almeida (PS) já ocupa a cadeira maior do município (com áudio)

O executivo socialista de Mangualde liderado por Marco Almeida tomou posse esta quarta-feira (13 de outubro), a pensar nos próximos quatro anos.
O novo presidente da autarquia disse que o foco do mandato é o progresso do concelho. De entre as várias ideias para o concelho de Mangualde, Marco Almeida promete medidas fiscais amigas das famílias, do investimento e um trabalho transparente.
Marco Almeida espera o contributo de todos os munícipes e deseja que sintam orgulho do concelho.

Política
Congresso do Chega, no distrito de Viseu, no final de novembro

O distrito de Viseu vai acolher o próximo congresso do Chega que decorre entre os dias 26 e 28 de novembro, após eleições diretas para a presidência do partido a 06 de novembro.
Na sequência da decisão do Tribunal Constitucional que, na semana passada, considerou que as alterações estatutárias introduzidas pelo Chega no congresso de Évora, em setembro de 2020, eram ilegais, o partido convocou um Congresso que está marcado para o último fim de semana de novembro no distrito de Viseu.
Na próxima segunda-feira (11 de outubro), André Ventura apresenta a recandidatura ao cargo de presidente e a 06 de novembro decorrem eleições diretas para a presidência do partido.
Na sexta-feira passada, em reação à decisão do Tribunal Constitucional, André Ventura anunciou a sua demissão enquanto líder do Chega, com o objetivo de convocar novas eleições para a presidência do partido.

 

Política
Aguiar da Beira: novo presidente quer ouvir os funcionários da autarquia antes de tomar decisões

O presidente eleito para a Câmara Municipal de Aguiar da Beira, Virgílio Cunha (Unidos Pela Nossa Terra), congratula-se pelo resultado de domingo (26 de setembro) e disse pretender ouvir os trabalhadores do município antes de tomar decisões.
Virgílio Cunha foi o cabeça de lista do movimento independente UPNT e sucede ao autarca também independente Joaquim Bonifácio, que não se recandidatou ao terceiro mandato.
O futuro líder do executivo municipal de Aguiar da Beira, no distrito da Guarda, disse à Lusa que as prioridades do mandato serão definidas após a tomada de posse dos novos órgãos autárquicos eleitos no domingo e depois de ouvir os funcionários.
“Nós vamos tomar posse, vamos dialogar com os funcionários da autarquia, porque entendemos que nas autarquias o poder político só consegue fazer um bom trabalho se, efetivamente, tiver os funcionários motivados e também todos a puxar pelo desenvolvimento do concelho e a querer o desenvolvimento do concelho”, afirmou.
Assim, segundo Virgílio Cunha, a prioridade é reunir com os funcionários, “discutir alguns assuntos e motivar todo o pessoal da autarquia para um desígnio e para um projeto que é trabalhar em prol do concelho”.
Questionado sobre as primeiras medidas a tomar após a tomada de posse, o autarca independente adiantou que “poderão ser várias e de diversos segmentos”, de acordo com a análise que vier a ser feita nas reuniões “com o pessoal da autarquia”.
“As medidas poderão até ser várias em simultâneo. Agora, neste momento, não tenho uma que deva apontar já como [sendo] para o primeiro dia ou segundo dia. São coisas que veremos a seu tempo, com calma. Estamos interessados em realmente desenvolver [o concelho] e em tomar medidas nesse sentido. Mas, neste momento, digamos que estamos ainda a fazer a análise e iremos fazer a análise da situação, para ver onde é que devemos primeiro incidir”, disse.
Virgílio Cunha afirmou, ainda, que a vitória obtida no ato eleitoral de domingo foi “expressiva”.
“Foi uma vitória expressiva, com a qual nos identificamos e estamos gratos ao povo que considerou sermos uma boa equipa para governarmos os destinos da Câmara durante estes quatro anos”, declarou. A candidatura do movimento independente UPNT (“Unidos Pela Nossa Terra”) liderada por Virgílio Cunha obteve 52,16% dos votos (três mandatos), a do PSD 40,04% (dois mandatos), a do Chega 4,18% e a candidatura do PCP/PEV 0,31% dos votos.

Política
Autárquicas: João Azevedo (PS) perde em Viseu e promete voltar daqui a quatro anos

O cabeça de lista à Câmara de Viseu pelo PS, João Azevedo, destacou que o partido conseguiu o melhor resultado de sempre no concelho, desde o 25 de Abril, e prometeu voltar à corrida, daqui a quatro anos, para ganhar.
“Quando vamos à disputa de eleições, tudo pode acontecer e nós criámos um grande movimento político, de várias sensibilidades e orientações partidárias, e só tivemos o melhor resultado de sempre que o Partido Socialista tem desde o 25 de Abril”, destacou João Azevedo.
Em declarações à agência Lusa, o candidato sublinhou que, “pela primeira vez, o órgão executivo é um órgão que está muito repartido, cinco a quatro, e é a primeira vez que isto acontece em Viseu”.
O partido conquistou também a presidência de quatro freguesias: “Repeses e São Salvador, Rio de Loba, a segunda maior do concelho, Mundão e Lordosa”, e “com grandes resultados noutros sítios”. onde disse que ficaram “a muito pouco da vitória” o que é a “semente que está no território”.
“[Este] é um mandato para me projetar para ser candidato nas próximas eleições. Vou ser candidato à Câmara de Viseu daqui a quatro anos, para ganhar. Sou determinado, enquanto não atingir os objetivos, não vou parar”, prometeu.
João Azevedo adiantou que, com ele, “está um exército organizado para um combate de quatro anos na rua, em todos os sítios deste concelho para ganhar as eleições” autárquicas daqui a quatro anos.
Um exército “com gente com liberdade que não tem nada a ver com o Partido Socialista, uns têm, mas outros não, com muitos jovens, com muitas mulheres, uma coisa nova e com um discurso completamente diferente”.
Do resultado da noite, assumiu que “não é nenhuma vitória,” apesar dos resultados históricos do partido em Viseu, porque não atingiu os objetivos a que se propôs, ganhar, e prometeu “fazer uma oposição séria, frontal, uma oposição de defesa dos interesses das mulheres e homens de Viseu, de uma forma muito clara”.
“Já fui presidente de câmara, já fui vereador de oposição, não vou para a câmara para brincar, vou fazer uma oposição a sério, de grande respeito pelo doutor Ruas”, disse.
Fernando Ruas foi eleito presidente da Câmara de Viseu pelo PSD com 46,68% dos votos (24.363 votos) e conseguiu cinco mandatos enquanto João Azevedo, candidato do PS, conquistou 38,26% (19.968) e alcançou os restantes quatro mandatos.

Política
Autárquicas: Fernando Ruas volta à cadeira maior do concelho de Viseu

Fernando Ruas foi eleito presidente da Câmara de Viseu pelo PSD e, no discurso da vitória, disse que ganhou “ao João [Azevedo, candidato do PS] e ao António, o Costa” e vai exigir ao Governo as obras prometidas em Viseu.
No seu entender, “este é o caminho” já que, “desta vez, os ministros vão aprender que têm de respeitar mais” os viseenses e sublinhou que é isso que espera para o futuro já que vai cobrar todas as promessas feitas.
“Hoje é mesmo tempo para lhes dizer que começou uma nova era e eu quero ver (…) se prometeu apenas para alguém muito próximo. Eu espero que não. A partir ao dia seguinte da tomada de posse, seguramente vamos começar a pedir para Viseu tudo aquilo que foi prometido”, assumiu.
E acrescentou: “Não vou deixar que me digam que aquilo que foi prometido foi apenas para alguém. Isso não. Vou pedir o comboio, vou pedir autoestrada. Vou pedir o centro oncológico e não os deixarei nem um bocadinho enquanto não explicarem aos viseenses como é que se faz política ou se esta política é apenas para alguns”.
“Seguramente, a partir de agora o Governo vai-me ter, naturalmente com elevação, como sempre procurei ter, mas vai-me ter à perna. Vou saber em Lisboa se os investimentos que durante estes seis anos nem sequer foram abordados alguma vez”, prometeu.
Neste sentido, questionou em que condição António Costa esteve em Viseu, se como secretário-geral do PS ou como primeiro-ministro, “num espaço tão curto” de tempo, realizou três visitas.
“A maioria das vezes como primeiro-ministro, porque as bazucas não são entregues a dirigentes partidários, são entregues a governantes, portanto, vamos-lhe dizer que, quando esteve aqui, que estava na qualidade de primeiro-ministro”, apontou.
“Os viseenses sabem bem distinguir o trigo do joio e desta vez deram mesmo uma lição aos demagogos, aos falsos profetas e aos populistas e nós vamos exercer o próximo mandato com o mesmo arreganho e determinação”, concluiu.
Fernando Ruas foi eleito presidente da Câmara de Viseu pelo PSD com 46,68% dos votos (24.363 votos) e conseguiu cinco mandatos enquanto João Azevedo, candidato do PS, conquistou 38,26% (19.968) e alcançou os restantes quatro mandatos.
Nestas eleições concorreram também Pedro Calheiros do Chega, que atingiu 2,95% (1.542 votos), Fernando Figueiredo pela Iniciativa Liberal, com 2,20% (1.147), Nuno Correia da Silva do CDS-PP com 2,02% (1.054), Manuela Antunes pelo BE com 2,01% (1.051), Diogo Chiquelho pelo PAN com 1,26% (657) e Francisco Almeida pela CDU com 1,17% (609).

Política
Autárquicas: quatro concelhos do distrito de Viseu mudam de cor política

No distrito de Viseu são quatro os concelhos que vão mudar de cor depois das eleições de domingo, dia 26 de setembro. Lamego, Nelas, Oliveira de Frades e Mortágua.
Francisco Lopes, que foi presidente da Câmara de Lamego durante três mandatos (entre 2005 e 2017) e encabeçou a lista da coligação do PSD/CDS-PP, regressa ao poder ao derrotar o socialista Ângelo Moura, que pretendia cumprir um segundo mandato.
Em Nelas, a coligação PSD/CDS-PP também conseguiu tirar a cadeira do poder ao PS. Desta forma, o vereador da oposição Joaquim Amaral sucede a Borges da Silva, que se tinha candidatado a um terceiro mandato.
Oliveira de Frades, que era a única câmara do país liderada pelo Nós, Cidadãos!, não resistiu a estas eleições autárquicas. A lista da coligação PSD/CDS-PP, encabeçada por João Valério, saiu vencedora.
No concelho de Mortágua, o PS conseguiu colocar o vereador da oposição Ricardo Pardal no poder, tendo beneficiado do facto de o PSD - que liderava o concelho, com José Júlio Norte - não ter apresentado candidato.
 

Política
Sernancelhe foi a câmara ganha com maior percentagem de votos. Carlos Santiago foi reeleito.

A eleição para a Câmara Municipal de Sernancelhe, no distrito de Viseu, foi a corrida autárquica ganha com a maior percentagem de votos no vencedor, o PSD, que colheu a preferência de 81,89% dos votantes. Foi reeleito Carlos Santiago.
Quanto às maiores diferenças face à candidatura que ficou em segundo lugar, Sernancelhe ocupa também o primeiro lugar, já que a candidatura do PS obteve 9,36%, correspondentes a 369 votos, longe dos 3.228 votos com que o PSD obteve a maioria absoluta (diferença de 2.859 votos), com cinco mandatos dos cinco disponíveis no executivo camarário.

Política
Autárquicas: conheça os eleitos no distrito de Viseu

No distrito de Viseu 13 câmaras foram conquistadas pelo PSD. Mais duas do que nas eleições autárquicas de 2013. Dez foram ganhas pelo PS e uma, S. João da Pesqueira, pelo Movimento Pela Nossa Terra.

Conheça os novos autarcas do distrito de Viseu para os próximos quatro anos:

Armamar - João Paulo Fonseca (PSD/CDS-PP)

Carregal do Sal - Paulo Catalino (PS)

Castro Daire - Paulo Almeida (PSD/CDS-PP)

Cinfães - Armando Mourisco (PS)

Lamego - Francisco Lopes (PSD/CDS-PP)

Mangualde – Marco Almeida (PS)

Moimenta da Beira - Paulo Figueiredo (PS)

Mortágua - Ricardo Pardal Marques (PS)

Nelas – Joaquim Amaral (PSD/CDS-PP)

Oliveira de Frades - João Valério (PSD/CDS-PP)

Penalva do Castelo - Francisco Carvalho (PS)

Penedono - Cristina Ferreira (PSD)

Resende - Garcez Trindade (PS)

Santa Comba Dão - Leonel Gouveia (PS)

São João da Pesqueira - Manuel Cordeiro (Pela Nossa Terra)

São Pedro do Sul - Vítor Figueiredo (PS)

Sátão - Alexandre Vaz (PSD)

Sernancelhe - Carlos Santiago (PSD)

Tabuaço - Carlos Carvalho (PSD/CDS-PP)

Tarouca - Valdemar  Pereira (PSD)

Tondela - José António Jesus (PSD)

Vila Nova de Paiva - Paulo Marques (PS)

Viseu – Fernando Ruas (PSD)

Vouzela - Rui Ladeira (PSD)

Política
Nelas: Joaquim Amaral (PSD CDS) venceu a Câmara de Nelas

Joaquim Amaral (PSD/CDS-PP) foi eleito presidente da Câmara Municipal de Nelas, este domingo, dia 26 de setembro. José Borges da Silva (PS) não conseguiu completar o ciclo de 12 anos à frente do concelho e saiu derrotado nestas eleições autárquicas. Joaquim Amaral foi eleito com 52,25%.

Política
Sátão: Alexandre Vaz regressa à presidência da Câmara Municipal

Alexandre Vaz (PSD) vai voltar à presidência da autarquia de Sátão, depois de um interregno de quatro anos devido à limitação de mandatos. Este domingo, dia 26 de setembro, foi eleito para suceder a Paulo Santos que em 2017 foi eleito também pelo PSD.

Política
Penalva do Castelo: Francisco Carvalho (PS) continua a liderar o concelho

Francisco Carvalho (PS) foi reeleito presidente da Câmara Municipal de Penalva do Castelo. Francisco Carvalho segue para o terceiro e último mandato permito ao ser eleito por 56,68% dos votos.

Política
Mangualde: Marco Almeida eleito pelo PS para liderar o concelho

Marco Almeida (PS) foi eleito como presidente da Câmara Municipal de Mangualde nas eleições autárquicas deste domingo, dia 26 de setembro.
O Partido Socialista venceu em todas as freguesias, excepto em Freixiosa, onde venceu o PSD. Marco Almeida foi eleito para substituir Elísio Oliveira (PS) com 54,825 dos votos.

Política
Marco Almeida (PS) termina campanha eleitoral em Mangualde com presença de uma ministra do Governo

Esta sexta-feira (24 de setembro) é o último dia de campanha eleitoral para as eleições autárquicas de domingo (26 de setembro). A Rádio Dão Digital ouviu o balanço dos candidatos à Câmara Municipal de Mangualde.
Em relação ao candidato do Partido Socialista, Marco Almeida, também faz um balanço positivo da campanha eleitoral que hoje termina.
O último dia de campanha de Marco Almeida termina com um comício à noite no Pavilhão Municipal de Mangualde com a presença de Alexandra Leitão, dirigente nacional do PS.

 

Política
António Vilarigues (CDU) faz balanço positivo da campanha eleitoral em Mangualde (com áudio)

Esta sexta-feira (24 de setembro) é o último dia de campanha eleitoral para as eleições autárquicas de domingo (26 de setembro). A Rádio Dão Digital ouviu o balanço dos candidatos à Câmara Municipal de Mangualde.
Sem comício de encerramento de campanha eleitoral previsto, o candidato da CDU diz privilegiar o contacto com a população, tal como aconteceu nas últimas semanas. António Vilarigues faz um balanço positivo da campanha eleitoral

 

 

Política
Joaquim Patrício (PSD) diz que a campanha serviu para conhecer carências em Mangualde (com áudio)

Esta sexta-feira (24 de setembro) é o último dia de campanha eleitoral para as eleições autárquicas de domingo (26 de setembro). A Rádio Dão Digital ouviu o balanço dos candidatos à Câmara Municipal de Mangualde.
Do lado do candidato do PSD, Joaquim Patrício, refere que a campanha serviu para conhecer algumas carências do concelho.
Para este último dia de campanha Joaquim Patrício conta com a participação de alguns nomes ligado ao partido, nomeadamente Marques Mendes.

 

Política
Autárquicas: António Silva (Chega) fala de uma campanha eleitoral positiva em Mangualde (com áudio)

Esta sexta-feira (24 de setembro) é o último dia de campanha eleitoral para as eleições autárquicas de domingo (26 de setembro). A Rádio Dão Digital ouviu o balanço dos candidatos à Câmara Municipal de Mangualde.
António Silva que concorre à liderança do concelho pelo Chega, fala de uma campanha positiva.
Para hoje tem previstas algumas ações de campanha que culminam à noite com um comício no centro da cidade de Mangualde.

Política
Presidente da Câmara de Nelas e recandidato pelo PS deve ficar de repouso

O presidente da Câmara de Nelas, Borges da Silva, que nestas eleições autárquicas se recandidata ao cargo pelo Partido Socialista, terá de ficar de repouso depois de, na quinta-feira (16 de setembro), ter sido transportado ao hospital, informou a candidatura.
Um comunicado colocado na rede social Facebook refere que, na quinta-feira de manhã, durante a reunião de câmara, Borges da Silva "apresentou sintomas indicadores de um estado de saúde anormal, o que levou ao seu transporte de urgência, por parte dos Bombeiros Voluntários de Nelas", para o hospital de Viseu.
O autarca ficou em observação e, ao final da tarde de quinta-feira, recebeu alta hospitalar, com as indicações médicas de que deveria repousar, explica.
Neste âmbito - acrescenta - ainda que Borges da Silva esteja "adiantado no caminho da recuperação e pronto para regressar à rua e ao contacto com a população, que tanto acarinha e anseia, a sua presença nas ações de campanha a decorrer nos próximos dias dependerá da evolução do seu estado clínico, que é favorável, mas que está sob cuidada análise".
O comunicado adianta que se estima para "muitíssimo em breve" a presença do candidato socialista nas ações de campanha das autárquicas.

Política
Nelas: presidente da Câmara foi levado ao hospital por causa de uma indisposição

Uma indisposição terá obrigado o presidente da Câmara de Nelas a ir à urgência do Hospital de Viseu, esta quinta-feira (16 de setembro). O autarca participava na reunião do executivo quando depois de uma troca de palavras mais acesa com os vereadores da oposição se terá sentido mal.
Borges da Silva foi assistido no local pelo INEM, mas acabou por ser transportado para o hospital.
Em causa terá estado uma situação apresentada por um munícipe sobre um problema com a casa onde habita, próxima de outra casa devoluta e que apresenta algum risco de derrocada. Uma situação que se arrasta há alguns anos e que já levou o habitante a solicitar ajuda à autarquia por várias vezes.
Seguiu-se uma troca de acusações entre oposição e o presidente da autarquia de Nelas e pouco tempo depois terá surgido a indisposição de Borges da Silva. O autarca e candidato pelo PS às autárquicas de 26 de setembro já teve alta hospitalar.

Política
Cinfães: Estratégia Local de Habitação do concelho foi aprovada

A Estratégia Local de Habitação de Cinfães prevê um investimento de aproximadamente 28 milhões de euros nos próximos quatro anos e pretende resolver os problemas habitacionais de várias famílias do concelho. "O objetivo é promover o acesso a uma habitação adequada às pessoas que vivem em condições de maior precariedade e que não dispõem de capacidade financeira", refere a autarquia.
Na Estratégia Local de Habitação de Cinfães está previsto integrar em habitação social 78 famílias, no regime de arrendamento acessível 97 famílias e na reabilitação 177 famílias.
O documento foi aprovada na Assembleia Municipal de Cinfães e "é o culminar de alguns meses de trabalho, com a colaboração da Rede Social do Município e das Juntas de Freguesia, das IPSS’s e das famílias Cinfanenses".
Uma vez concluído este processo, as situações identificadas na Estratégia Local de Habitação vão agora ser candidatadas ao 1.º Direito – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, projeto gerido pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P.

Política
Autárquicas: voto antecipado entre os dias 16 e 21 de setembro

Os cidadãos eleitores que, por motivos profissionais, estejam impedidos de se deslocar à assembleia de voto, no dia 26 de setembro, podem votar antecipadamente. Entre os dias 16 e 21 de setembro, incluindo sábados e domingos, devem dirigir-se à Câmara Municipal, onde está recenseado, durante o horário normal de funcionamento: das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.
O modo de exercício do direito de voto antecipado, em território nacional, abrange:

  1. Em confinamento obrigatório – COVID-19;
  2. Internados em estruturas residenciais (lares) ou instituições similares;
  3. Doentes internados em estabelecimentos hospitalares;
  4. Presos não privados de direitos políticos;
  5. Estudantes inscritos em estabelecimentos de ensino situados em distrito, região autónoma ou ilha diferente daqueles onde estão inscritos no recenseamento eleitoral;
  6. Motivos Profissionais.

Para exercer o seu direito de voto, deve levar consigo:

• Cartão de Cidadão, Bilhete de Identidade ou outro documento identificativo, como Carta de Condução ou Passaporte;

• Documento comprovativo do impedimento emitido pelo superior hierárquico ou entidade patronal, ou outro documento que comprove suficientemente a existência do impedimento;

Após votar, é-lhe entregue um documento comprovativo do exercício do direito de voto.
Para mais informações, pode consultar o site da Comissão Nacional de Eleições: www.cne.pt

Política
Autárquicas: Marco Almeida (PS) quer Mangualde, um concelho de todos para todos (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas agendadas para o dia 26 de setembro, ouvimos o candidato do Partido Socialista à Câmara Municipal de Mangualde.
Marco Almeida realça as mais valias que pode dar ao concelho, caso seja eleito. Uma entrevista para ouvir esta sexta-feira (10 de setembro) às 15h30 e às 19h30. Também disponivel em www.daodigital.pt

Política
Autárquicas: sede do Chega em Mangualde foi vandalizada (com áudio)

A sede da candidatura do Chega à Câmara Municipal de Mangualde foi vandalizada. A fachada foi grafitada com o símbolo nazi. Uma situação que o cabeça de lista da candidatura, António Silva, condena.

 

Política
Autárquicas: António Vilarigues (CDU) quer reforçar a coligação na AM

No âmbito das eleições autárquicas de 26 de setembro, esta quinta-feira (09 de setembro) ouvimos o candidato da CDU à Câmara Municipal de Mangualde.
António Vilarigues realça algumas ideias que tem para o concelho caso seja eleito. Outra pretenção passa por reforçar a presença da CDU na Assembleia Municipal (AM).

Uma entrevista para ouvir esta quinta- feira às 15h30 e às 19h30 e disponivel em daodigital.pt

Política
Autárquicas: Joaquim Patrício (PSD/CDS) quer voltar ao executivo municipal de Mangualde (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas, esta quarta-feira (08 de setembro) ouvimos o candidato da coligação PSD- CDS PP à Câmara de Mangualde. Joaquim Patrício considera que a experiência que tem do poder autárquico é uma mais valia para voltar a liderar a autarquia.
Uma entrevista para ouvir às 15h30 e às 19h30 e disponivel em daodigital.pt

Política
Autárquicas: António Silva (Chega) quer mais desenvolvimento para Mangualde (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas de 26 de setembro, ouvimos o candidato do Chega à autarquia de Mangualde. António Silva diz que é fundamental apostar na vertente económica para desenvolver o concelho.
O candidato defende, por exemplo, uma nova zona industrial. 
Uma entrevista para ouvir esta terça-feira (07 de setembro) às 15h30 e às 19h30.

Política
Autárquicas: Pedro Monteiro (PSD/CDS-PP) quer mais turismo em Penalva do Castelo

O candidato da coligação PSD/CDS-PP à Câmara Municipal de Penalva do Castelo, Pedro Monteiro, disse à agência Lusa que tem no turismo uma das suas bandeiras para atrair pessoas para o concelho.
“O turismo pode ser a nossa bandeira, pode ser a forma de atrair os jovens, famílias, de dinamizar a economia, os nossos produtos endógenos. Ao trazer pessoas que visitam o concelho, com tudo o que temos de bom, muitas das vezes acontece, como em outras zonas do país, gostarem tanto que acabam por regressar e por adquirir casa”, defendeu.
Pedro Monteiro explicou que, para que isso seja possível, “uma das preocupações a executar é a requalificação dos núcleos das aldeias” do concelho para que “ganhem nova vida e novas dinâmicas, atraindo investidores privados e estas pessoas e famílias que querem ter casa de fins de semana ou de férias”.
Aliado a esta requalificação, Pedro Monteiro quer “desenvolver a prática de desportos radicais para atrair os jovens” e, para isso, quer também “aproveitar a área geográfica privilegiada” em que Penalva do Castelo se encontra, “com quatro rios, dois com mais incidência”.
Com o “foco nas pessoas, porque sem elas não há dinamismo nem desenvolvimento, por mais obras que se façam”, o candidato da coligação PSD/CDS-PP assumiu que “a criação de emprego é uma das grandes preocupações” no concelho.
Para isso, a aposta no turismo “é fundamental”, assim como a “dinamização da área empresarial” existente no concelho, apesar de reconhecer que “é difícil que as empresas se desloquem para Penalva do Castelo”, mas defendeu que “não é impossível”.
“Temos é de criar formas de captar empresas, de as atrair ao nosso concelho e pode ser através de uma incubadora de empresas, porque é uma forma potenciadora para criar empresas e para atrair investimento”, adiantou.
Entre as áreas que “mais preocupam” o candidato estão também as redes viárias, uma vez que “a maioria das estradas do concelho está a apresentar degradação e com sinais visíveis de muito desgaste, e seria imperativo uma requalificação, nomeadamente em estradas que ligam a outros núcleos urbanos”, como Mangualde e Viseu.
Na área da mobilidade, Pedro Monteiro prometeu que irá “retirar a circulação dos camiões do centro da vila, com a execução de uma circular” que desvie o trânsito do centro de Penalva do Castelo.
“Por mais que se possa fazer, é sempre difícil e não se consegue resolver o problema das tampas de saneamento sempre partidas, o piso irregular e até o perigo para os peões que gostam de fazer os seus passeios, principalmente ao final do dia”, justificou.

Política
Autárquicas: Mário Gandra (CDU) quer mais transparência de informação em Nelas (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas, agendadas para 26 de setembro, damos voz à CDU de Nelas.
O candidato à Câmara Municipal, Mário Gandra, diz que é urgente resolver vários problemas sentidos no concelho.
O candidato comunista defende ainda uma maior transparência de informação no município de Nelas.
Um espaço dedicado à CDU para ouvir esta quarta-feira (01 de setembro) às 15h30 com repetição às 19h30.

 

Política
Autárquicas: Ministro das Infraestruturas esteve em Mangualde para apoiar Marco Almeida

Foi com a presença do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, que na terça-feira (31 de agosto) à noite, em pré-campanha eleitoral, Marco Almeida foi apresentado como candidato socialista à autarquia de Mangualde. O Largo do Mercado Municipal encheu para ouvir críticas à direita e a vontade de o Partido Socislista continuar a liderar o concelho nos próximos anos.
O ministro aludiu ao papel “central” de Mangualde para tirar “partido do comboio”. Uma forma de no futuro captar emprego e investimento para o concelho e para a região.
Marco Almeida aproveitou a presença do governante para pedir “ajuda” para concretizar em Mangualde “uma plataforma multimodal”, que tire partido do terminal internacional ferroviário de mercadorias e dos investimentos que “estão a ser feitos na Linha Ferroviária da Beira Alta”.

Política
Autárquicas: recandidatura de Borges da Silva (PS) para fechar ciclo em Nelas (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas de 26 de setembro ouvimos o candidato pelo Partido Socialista (PS) à Câmara Municipal de Nelas. Uma recandidatura de José Borges da Silva que lidera o concelho há oito anos.
À Rádio Dão Digital diz que o concelho perde se não for reeleito e espera uma campanha com verdade.

Uma entrevista que pode ouvir esta segunda-feira (30 de agosto) às 15h30 com repetição às 19h30.

 

Política
Autárquicas: Vitor Figueiredo (PS) quer mudanças em Sátão (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas de 26 de setembro ouvimos o candidato do Partido Socialista à Câmara Municipal de Sátão.
Vitor Figueiredo considera que está na altura de renovar e reformar o atual executivo liderado pelo PSD.
A saúde, a educação, cultura e desporto são algumas áreas que o candidato socialista promete intervir caso seja eleito.
Uma entrevista para ouvir esta quinta-feira (26 de agosto) às 15h30 com repetição às 19h00.

Política
Autárquicas: Chega teve dificuldade de constituir listas no concelho de Sátão (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas de 26 de setembro, esta terça feira (24 de agosto) ouvimos o candidato do Chega à Câmara Municipal de Sátão. Carlos Miguel admite que não foi fácil constituir as listas no concelho.
Dos vários projetos que o candidato do Chega apresenta para o concelho de Sátão, realce para a ideia que tem para a feira semanal.
Uma entrevista para ouvir às 15h30 e com repetição às 19h30.

Política
Autárquicas: as pessoas, empresas e acessibilidades são prioridades do PSD no Sátão (com áudio)

Alexandre Vaz é o atual vice-presidente da autarquia de Sátão que depois de uma pausa de quatro anos quer voltar a liderar o concelho. É o candidato do PSD às autárquicas de 26 de setmebro.  Das várias prioridades destaca as pessoas, as empresas e as acessibilidades.
A intervenção na Estrada Nacional 229, que liga Sátão a Viseu, continua a ser uma reivindicação da população e que o candidato atribui também prioridade.

Política
Autárquicas: CDU de Aguiar da Beira defende trabalhadores com Cristiana Rodrigues (com áudio)

A CDU de Aguiar da Beira avança às autárquicas de setembro a pensar nos trabalhadores, no serviço público municipal, entre outras áreas.
Temas que a candidata Cristiana Rodrigues defende como prioritárias.
Um espaço dedicado às autárquicas de 26 de setembro que pode ouvir, esta sexta-feira (20 de agosto) às 15h30 com repetição às 19h30.

Política
Autárquicas: PS quer continuar a governar em Penalva do Castelo com Francisco Carvalho (com áudio)

O atual executivo socialista na Câmara de Penalva do Castelo quer continuar a governar por mais quatro anos. O presidente avança para uma recandidatura nas eleições de 26 de setembro. Francisco Carvalho fala das mais valia da equipa candidata que lidera.
Uma das obras que pretende concretizar, caso seja reeleito, é a praia fluvial no Rio Dão.
Uma entrevista que pode ouvir na Rádio Dão Digital esta tarde de quinta-feira (19 de agosto) às 15h30 com repetição às 19h30. 

Política
Autárquicas: Marco Almeida quer dar continuidade ao projeto socialista em Mangualde

A habitação, o desenvolvimento económico e a coesão social serão algumas das apostas de Marco Almeida (PS) caso seja eleito presidente da Câmara de Mangualde nas eleições autárquicas de 26 de setembro.

O atual presidente da União das Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta pretende dar continuidade ao projeto socialista iniciado em 2009 por João Azevedo (que agora se candidata à Câmara de Viseu).

“Será um mandato de continuidade, por exemplo, naquilo que foi o rigor financeiro tido ao longo destes doze anos. Não quero com isto dizer que será um mandato igual. São candidaturas, pessoas e programas diferentes, com objetivos diferentes”, referiu Marco Almeida à agência Lusa.

O candidato disse ter assumido “a responsabilidade de consolidar o trabalho até aqui feito, com a ambição de fazer cada vez mais e melhor”, sobretudo no contexto difícil gerado pela pandemia de covid-19.

“Temos a melhor equipa para continuarmos a desenvolver e a afirmar o concelho no contexto regional, nacional e, em alguns aspetos, também internacional”, frisou.

Um dos seus objetivos é “reduzir nos próximos dois anos, de uma forma progressiva, o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis), para que passe a ser de 0,3% (atualmente é de 0,34%)”.

“Também queremos baixar as taxas administrativas à reabilitação urbana, vamos apostar na requalificação dos bairros municipais e dar apoio à habitação”, avançou.

Marco Almeida destacou também o objetivo de “incentivar e apoiar a criação de centros de acolhimento em empresas de base tecnológica em ambiente de regeneração urbana” e a atribuição de “bolsas para apoio e incentivo à investigação no concelho”.

“Vamos continuar a atribuir bolsas a estudantes que têm dificuldades financeiras para poderem estudar fora, mas depois temos que pensar no seu retorno. Queremos ir buscar aqueles que nos podem trazer conhecimento”, justificou.

A criação de um museu da história da indústria em Mangualde, de uma zona de acolhimento empresarial de base rural para a promoção e apoio de investimentos ao setor primário e de um corredor ecológico que ligue o parque urbano da Avenida da Senhora da Castelo, o Monte da Senhora do Castelo, a Citânia da Raposeira e um parque de caravanismo são outras propostas da candidatura.

Política
Autárquicas: Mafalda Vilarigues (CDU) quer ser voz ativa em Penalva do Castelo (com áudio)

A Rádio Dão Digital promove um espaço de entrevistas individuais com candidatos às Câmaras Municipais dos concelhos que compõem a ADD, Associação de Desenvolvimento do Dão: Aguiar da Beira, Penalva do Castelo, Sátão, Nelas e Mangualde.
A todos os candidatos a Dão Digital enviou um email com o respetivo convite e a estratégia planeada.
Esta terça-feira (17 de agosto) é a vez da candidata da CDU à autarquia de Penalva do Castelo. 
Mafalda Vilarigues diz que a CDU quer ser uma voz ativa no concelho penalvense.
Entre as várias ideias para o concelho, a candidata da CDU critica a localização do parque industrial de Penalva do Castelo e considera que a criação de novas empresas impulsiona a criação de emprego.
Uma entrevista que pode ouvir na íntegra esta terça-feira a partir das13h30 com repetição às 19h30. Fica ainda disponível em podcast no site da Rádio Dão Digital.

Política
Autárquicas: Mafalda Vilarigues continua na luta por Penalva do Castelo pela CDU

A candidata da CDU à Câmara Municipal de Penalva do Castelo, Mafalda Vilarigues, volta a candidatar-se, porque continua a acreditar que o projeto da coligação para o concelho “é o melhor” para os interesses da população.

“Continuo a achar que este projeto da CDU é o melhor para Penalva do Castelo. Não chegámos a eleger nenhum mandato, nem deputado na assembleia municipal, mas os interesses da população continuam a ser a nossa luta diária”, defendeu Mafalda Vilarigues.

Aos 47 anos, repete o desafio de 2017 “por continuar a fazer sentido lutar pela presença da CDU nos órgãos municipais”, uma vez que, justificou à agência Lusa, “os concelhos onde a CDU é força local têm tido reconhecimento de bons projetos e de uma boa força política”.

Mafalda Vilarigues, que disse que é a pessoa que representa uma equipa que trabalha em prol dos interesses da população de Penalva do Castelo e, isso, “é uma luta que acontece no dia a dia, há muitos anos”.

A candidata da coligação que reúne o Partido Comunista Português (PCP) e o Partido Ecologista Os Verdes (PEV), técnica de informática de formação, lembrou as lutas em que o partido esteve envolvido, “como no combate ao fecho de balcões de atendimento” no concelho e, a título de exemplo, apontou o serviço de finanças.

“Mas mantemo-nos sempre ativos em várias frentes. Os penalvenses devem ter melhor educação, mais cultura, melhor saúde e proteção social. Continuamo-nos a debater na preservação do ambiente e do património natural, o direito à habitação e aos transportes”, enumerou.

A candidata também destacou “os direitos dos trabalhadores agrícolas”, uma vez que é um concelho onde “a agricultura prevalece, nomeadamente com produtos como a vinha e a mação, assim como o queijo” da serra da Estrela.

“Agora o presidente da câmara está com uma grande bandeira chamada ETAR [estação de tratamento de águas residuais], mas estamos na segunda década do século XXI. Se eu comparar com a minha terra natal, Arraiolos [Évora], as ETAR já estão feitas desde a década de 80 do século passado”, apontou.

No seu entender, Penalva do Castelo “já devia estar com outras preocupações, que não as básicas” e, enquanto funcionária de uma estação de serviço, Mafalda Vilarigues disse que contacta “muita gente e isso ajuda a conhecer melhor os anseios das pessoas e dos penalvenses em particular”.

“Queremos eleger um vereador ou deputado municipal, porque nós somos a voz ativa das populações e a voz das pessoas é muito importante, é a que mais interessa. É a voz delas que tem de se fazer ouvir junto do poder”, defendeu.

Neste sentido, deu como exemplo “as próprias assembleias municipais, onde o cidadão poderia ter voz ativa, mas isso não acontece, porque elas realizam-se em horário laboral e assim é difícil as pessoas marcarem presença para exporem os seus problemas”.

Mafalda Vilarigues concorre à Câmara Municipal de Penalva do Castelo, nas eleições marcadas para 26 de setembro, com o atual presidente, Francisco Carvalho, (PS) e ainda Pedro Monteiro (PSD).

Em 2017, O PS obteve quatro mandatos, ao conquistar 67,87% dos votos, e a oposição, a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM, que conseguiu 24,74% do eleitorado, conquistou um mandato. Na altura havia 8.160 cidadãos inscritos dos quais votaram 64,73%.

Política
Autárquicas: João Azevedo (PS) quer Viseu 'mais forte, mais liderante'

O candidato do PS à Câmara de Viseu, João Azevedo, disse no sábado (24 de julho) que tem a “oportunidade de ouro” de transformar Viseu no concelho “líder do investimento europeu” e líder de contratos programas com o Governo.

“Temos a oportunidade de ouro de transformar Viseu no líder, no campeão, do investimento europeu. Nós temos de transformar Viseu no líder da captação dos fundos comunitários, temos de transformar Viseu no líder, no campeão, dos contratos programas com o Governo e com o que podemos fazer diretamente com a União Europeia. É assim que queremos Viseu, mais forte, mais liderante e mais capaz de tornar este território mais competitivo”, assumiu João Azevedo.

Na noite da sua apresentação pública enquanto candidato a presidente da autarquia de Viseu, pelo PS, com a presença do secretário-geral do partido, António Costa, João Azevedo falou nas lutas pelas quais se vai debater, e que conta com o apoio do Governo, como as da área da saúde e da comunicação, e destacou a indústria para os próximos anos.

“Também queremos colocar aqui uma área fundamental que é a industrialização do concelho. António Costa referiu a ligação à área empresarial de Mundão e eu acrescento Lordosa (norte) e o sul do concelho, onde temos a capacidade de promover uma nova área de localização empresarial”, defendeu.

Para o candidato, “é preciso aproveitar, não só o que hoje está vertido no plano Diretor Municipal (PDM), mas também aquilo que pode ser previsto e mudado na atual revisão do PDM” de Viseu.

“É preciso reforçar, muscular o concelho de Viseu com mais indústria. Indústria moderna, com melhor emprego, com mais emprego, com mais qualificação e com mais igualdade salarial entre as mulheres e os homens. Devemos fazer isso todos os dias, semanas e meses dos próximos anos”, assumiu.

Neste sentido, considerou que Viseu “é um porta aviões que precisa de ser comandado com uma liderança forte, com capacidade de gerar receita que consegue atrelar os fundos comunitários”, um feito que João Azevedo acredita que Viseu consegue porque “tem capacidade para liderar politicamente e orçamentalmente”.

João Azevedo considerou ainda que “as políticas públicas” de Viseu “não foram as melhores” e, por isso, “é que nos últimos anos perdeu pessoas e não podia ter perdido, porque é um concelho muito importante no interior” do país.

Na sua apresentação pública, João Azevedo lembrou antigos líderes distritais do PSD e apelidou de “triângulo virtuoso” ao elogiar António Costa e ao falar na sua “maior referência pessoal e política, Jorge Coelho”.

“Faremos tudo para que possa fazer o que lhe prometi em vida: trabalho, dedicação, confiança, solidariedade e, especialmente, aquilo que ele mais e melhor me ensinou: a determinação em defender os territórios da região Centro e desta região que era dele, onde ele nasceu e onde tanto lutou por nós”, destacou.

Durante o seu discurso, António Costa frisou que João Azevedo “não cai de paraquedas” em Viseu e que é um candidato “com provas dadas”, também enquanto presidente da Câmara, no concelho vizinho de Mangualde, e “é um homem trabalhador” e “com vontade de unir que é isso que Viseu precisa”.

À Câmara de Viseu concorrem também às eleições autárquicas deste ano João Azevedo (PS), Pedro Calheiros (Chega), Fernando Figueiredo (Iniciativa Liberal), Francisco Almeida (CDU), Manuela Antunes (BE) e Fernando Ruas (PSD).

As eleições autárquicas foram marcadas para 26 de setembro.

Política
Nelas: apresentados os Candidatos do Partido Socialista ao concelho

A cerca de um mês das eleições autárquicas, já é conhecida a equipa que acompanha José Borges da Silva na recandidatura socialista à Câmara Municipal de Nelas. O candidato do PS sublinha que irá cumprir as promessas que fez às pessoas do concelho, com destaque para as áreas das finanças, com a continuação do trabalho de equilíbrio das contas do município, diminuindo a dívida existente e potenciando os apoios existentes em obras estruturantes para o concelho, mas também do urbanismo, ambiente, saúde, educação, habitação social, infraestruturas culturais e desportivas e promoção territorial, com captação de investimentos e criação de emprego, assumindo estas áreas basilares para este executivo, com a continuação da aposta na renovação de estruturas fundamentais para a população e para o desenvolvimento da região.
Na lista encabeçada por José Borges da Silva surgem os nomes de rene Ligeiro, Coordenadora da Unidade de Saúde Familiar de Nelas, que segue em 5º lugar na lista à Câmara Municipal, Aires dos Santos, artista plástico e atual vereador da Câmara Municipal que assume a 4ª posição na lista, Fernando Silvério, vereador na Câmara Municipal de Nelas na 3ª posição da lista e Salomé Simões, professora e subdiretora do Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim, que avança em 2º lugar na lista à Câmara Municipal de Nelas.
"Um conjunto de pessoas que Vive Nelas na sua plenitude e com provas dadas da sua competência, dedicação à causa pública e às gentes de Nelas, e resiliência, a quem se junta Mário Pires que encabeça a lista à Junta de Freguesia de Canas de Senhorim, Carlos Moreira, cabeça de lista à Junta de Freguesia de Carvalhal Redondo - União de Freguesias de Carvalhal Redondo e Aguieira, José Marques à Junta de Freguesia de Aguieira da União de Freguesias de Carvalhal Redondo e Aguieira, António Costa que assume o topo da lista à Junta de Freguesia de Lapa do Lobo, João Pedro Vaz que concorre à Junta de Freguesia de Nelas, Jorge Abreu, cabeça de lista por Santar à União de Freguesias de Santar e Moreira, Hugo Fernandes que concorre por Moreira à União de Freguesias de Santar e Moreira, Tiago Santos que se recandidata à Junta de Freguesia de Senhorim e Paulo Abrantes, cabeça de lista à Junta de Freguesia de Vilar Seco", explica em comunicado a candidatura de Borges da Silva.

 

Política
Viseu:Chega mantém confiança em candidatos após alegadas agressões homofóbicas

O Chega anunciou que mantém “integral confiança” nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica, ocorridas na cidade de Viseu, depois de apurados os factos pelas autoridades.

“O Chega tomou conhecimento de alegadas agressões, em Viseu, supostamente relacionadas com questões de orientação sexual. Os factos estão e certamente serão apurados pelas autoridades competentes, sendo que só nesse momento poderemos pronunciar-nos com propriedade sobre os mesmos”, afirma o partido em comunicado.

Na mesma nota, o Chega revelou que “mantém integral confiança nos seus candidatos e na sua estrutura local e distrital, em Viseu, sendo certo e incontornável que rejeitará sempre quaisquer atos de violência, seja quais forem os motivos subjacentes”.

De acordo com semanário Expresso, militantes afetos à candidatura do Chega à Câmara Municipal de Viseu envolveram-se, ao final da tarde de quarta-feira, “num episódio de violência contra um cidadão homossexual, quando este estava num café, junto à sede do partido”.

Fonte policial disse ao Expresso que as alegadas agressões ocorreram depois de provocações por parte dos agressores. Uma testemunha ouvida pelo semanário explicitou que o candidato do Chega à autarquia de Viseu, Pedro Calheiros, tentou “serenar os ânimos”.

A vítima alertou a PSP, que identificou os alegados agressores, acrescentou o Expresso.

Contactada pela Lusa, a PSP referiu que um “cidadão, que se sentiu agredido, chamou a polícia no dia 21 de julho, pelas 18:15”, ao Largo Mouzinho de Albuquerque.

“Os agentes da PSP constataram que dois indivíduos que se desentenderam verbalmente desenvolveram o desentendimento para um lado mais físico e houve, aparentemente, agressões mútuas. O cidadão que chamou a PSP queixou-se de agressões por parte do outro, sendo que este também disse que tinha sido alvo de agressões”, acrescenta a resposta enviada.

A polícia confirmou que os dois cidadãos foram identificados, assim como outros cidadãos para efeitos de testemunhas, acrescentando que não ter “qualquer informação sobre o teor da discussão ou sobre a orientação política ou sexual”.

Política
Autárquicas: Antonio Vilarigues substitui Sara Bogarim, pela CDU, em Mangualde (com áudio)

Por motivos pessoais da candidata da CDU anunciada para Mangualde, a coligação do PCP com Os Verdes substitui Sara Bogarim por António Vilarigues. 
O novo candidato é de Penalva do Castelo mas afirmou à Dão Digital que conhece bem o concelho mangualdense.
A Rádio Dão Digital tentou o contacto com a antiga candidata, Sara Bogarim, mas sem sucesso. António Vilarigues acrescenta ainda que Sara Bogarim continua a integrar a lista da CDU.

Política
Autárquicas: Carlos Miguel pelo Chega à Câmara de Sátão (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas deste ano ouvimos o candidato do Chega à Câmara Municipal de Sátão. Carlos Miguel falou à Dão Digital e explicou alguns motivos que o levaram a aceitar o desafio.

Política
Autárquicas: Alexandre Vaz pelo PSD à Câmara de Sátão (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas deste ano ouvimos o candidato do PSD à Câmara Municipal do Sátão. Alexandre Vaz, já foi presidente da Câmara e no atual mandato é o vice-presidente.
Alexandre Vaz explicou à Dão Digital porque pretende voltar a liderar o concelho.

Política
Autárquicas: Fernando Andrade avança pelo PSD em Aguiar da Beira

No âmbito das eleições autárquicas deste ano ouvimos o candidato do PSD à Câmara de Aguiar da Beira. Oito anos depois Fernando Andrade quer voltar a liderar a autarquia. À Rádio Dão Digital justificou a vontade de voltar a ser eleito presidente da Câmara.

Política
Autárquicas: Marco Almeida concorre pelo PS à autarquia de Mangualde (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas ouvimos o candidato do Partido Socialista à Câmara Municipal de Mangualde. Marco Almeida, atual presidente da União de Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta, fala do desafio

Política
João Azevedo tem alta hospitalar esta tarde de sexta-feira

É esta tarde de sexta-feira (25 de junho) que o antigo presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, tem alta hospitalar.
O candidato do PS à autarquia de Viseu, nas próximas eleições autárquicas está internado no Hospital de S. Teotónio, em Viseu, desde o passado dia 13 de junho, devido a problemas cardiovasculares.
"É com grande satisfação que a Direção de Campanha informa que o quadro clínico de João Azevedo evoluiu favoravelmente. Encontra-se recuperado, pelo que tem alta hospitalar hoje. Muito obrigado a todos pelo cuidado e carinho demonstrados" refere nas redes sociais a direção de campanha do candidato socialista

 

Política
Autárquicas: apresentação, em Viseu, dos candidatos do PS adiada

O secretário-geral do PS, António Costa, já não vai estar este sábado (26 de junho) em Viseu para a apresentação dos candidatos socialistas às eleições autárquicas.

A sessão estava prevista para o Parque do Fontelo, com candidatos autárquicos da região Centro, nomeadamente Aveiro, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Guarda e também Viseu.

Segundo fonte do PS, em causa estão as decisões do Conselho de Ministros relativo às restrições à circulação e ajuntamento de pessoas, o princípio da precaução e o especial sentido e dever de responsabilidade.

O Partido Socialista decidiu assim adiar as sessões públicas regionais e presenciais  de apresentação dos candidatos autárquicos para um momento posterior e após avaliação das condições de saúde pública.

Política
Autárquicas: Sara Bogarim pela CDU em Mangualde (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas damos voz à candidata da CDU à Câmara Municipal de Mangualde.
Sara Bogarim explica porque aceitou o desafio da candidatura.

 

Política
Autárquicas: conheça os nomes lançados pelo Partido Socialista no distrito de Viseu

A Federação Distrital de Viseu do PS aprovou os nomes dos candidatos a presidente de Câmara do Partido Socialista às eleições autárquicas deste ano. Foram ratificados em Comissão Política da Federação os seguintes nomes:
Castro Daire - Fernando Carneiro
Cinfães – Armando Mourisco (recandidatura)
Carregal do Sal - Paulo Catalino
Lamego – Ângelo Moura (recandidatura)
Mangualde – Marco Almeida
Moimenta da Beira- Paulo Matos
Mortágua - Ricardo Pardal
Nelas – José Borges da Silva (recandidatura)
Penalva do Castelo - Francisco Carvalho (recandidatura)
Oliveira de Frades – Porfírio Carvalho
Penedono – Sónia Numão
Santa Comba Dão – Leonel Gouveia (recandidatura)
S. Pedro do Sul- Vítor Figueiredo (recandidatura)
Satão - Vítor Figueiredo
Tondela – Francisco Coutinho
Viseu - João Azevedo
Vila Nova de Paiva - Paulo Marques
Vouzela – Catarina Menezes
Em Resende, o candidato é o atual presidente Garcez Trindade "na sequência da avocação feita pela comissão permanente do PS", refere a Federação Distrital de Viseu do PS.
"O Partido Socialista apoia, ainda, três candidaturas independentes às autárquicas de 2021. Nomeadamente em Armamar apoia a candidatura do movimento Juntos Por Armamar, encabeçada por Jorge Rodrigues, em Tarouca apoia o Movimento Independente, encabeçado por José Amaro e em São João da Pesqueira apoia a recandidatura de Manuel Cordeiro pelo PNT.", acrescenta.
As candidaturas de Tabuaço e Sernancelhe "serão anunciadas brevemente", conclui.

O secretário-geral do PS, António Costa, vai estar presente em Viseu no próximo sábado (26 de junho), para a apresentação dos candidatos socialistas às eleições autárquicas.
A sessão acontece pelas 16:00, no Parque do Fontelo, com candidatos autárquicos da região Centro, nomeadamente Aveiro, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Guarda e também Viseu.

Política
Autárquicas: Vitor Figueiredo avança pelo PS no Sátão (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas ouvimos o candidato do PS no concelho de Satão. Vitor Figueiredo explica porque aceitou o desafio de liderar a candidatura à Câmara Municipal.

Política
Autárquicas: Joaquim Patrício pelo PSD em Mangualde (com áudio)

No âmbito das eleições autárquicas ouvimos o candidato do PSD à Câmara Municipal de Mangualde.
Joaquim Patrício, antigo número dois do executivo socialista liderado por João Azevedo, foi a escolha da Distrital social democrata para entrar na corrida.
À rádio Dão Digital explicou os motivos que o levaram a aceitar o desafio.

Política
Autárquicas: Francisco Carvalho volta a candidatar-se pelo PS em Penalva do Castelo (com áudio)

Na ronda pelos candidatos às eleições autárquicas deste ano damos destaque à recandidatura pelo Partido Socialista à Câmara de Penalva do Castelo.
Francisco Carvalho justificou à Dão Digital, porque decidiu voltar a candidatar-se à cadeira maior do município.

 

Política
Autárquicas: Viseu conta com seis candidatos

As eleições autárquicas deste ano, no concelho de Viseu, prometem "dar que falar". Na corrida estão seis candidatos, entre um nome considerado "histórico", militares e um antigo autarca de um concelho vizinho.

Fernando Ruas, que ocupou a cadeira de presidente da Câmara durante 24 anos (entre 1989 e 2013), foi a solução encontrada pelo PSD após a morte de Almeida Henriques (em 04 de abril), que já tinha sido indicado como recandidato pelo partido.

Fernando Ruas preside à Comissão de Administração Pública, Modernização Administrativa, Descentralização e Poder Local, na qual trabalha com o socialista João Azevedo. Em Viseu vão ser adversários na corrida autárquica.

João Azevedo era presidente da Câmara de Mangualde desde 2009, mas deixou o mandato a meio, em 2019, para assumir o cargo de deputado na Assembleia da República, ao qual se candidatou como cabeça de lista do PS no distrito de Viseu, nas mais recentes eleições legislativas.

Num concelho que é governado pela direita desde que há eleições autárquicas, o socialista acredita reunir as condições necessárias para alcançar o feito histórico de retirar o PSD do poder.

Apesar de concorrerem pela primeira vez à Câmara de Viseu, a Iniciativa Liberal (IL) e o Chega mostram-se também otimistas nos resultados das próximas eleições, apostando em dois candidatos com longas carreiras militares.

O coronel de infantaria na reforma Fernando Figueiredo é o cabeça de lista da IL, enquanto as esperanças do Chega estão depositadas no coronel de cavalaria da GNR, Pedro Calheiros. Ambos consideram que um presidente de Câmara deve ter sempre na cabeça a ideia de servir os outros.

O combate autárquico em Viseu contará também com uma ativista pelos direitos humanos e feminista, Manuela Antunes (BE), e com o dirigente sindical Francisco Almeida (CDU).

Para as próximas eleições, com data ainda não anunciada, apenas é conhecida a candidatura de uma mulher à Câmara de Viseu, a de Manuela Antunes (BE).

Política
João Azevedo candidato à Câmara Municipal de Viseu

“Unir Viseu através de um programa que vai além dos ideais partidários e de uma equipa de pessoas de diversas áreas ideológicas e de diferentes setores de atividade”. É assim que João Azevedo se apresenta como candidato à Presidência da Câmara Municipal de Viseu nas próximas eleições autárquicas, pelo Partido Socialista.

Cabeça de lista pelo distrito de Viseu nas últimas legislativas, João Azevedo é deputado na Assembleia República, onde tem trabalhado os dossiês do IP3 e da ferrovia, duas das suas prioridades para a autarquia. “É fundamental impulsionar a economia e instalar indústria em Viseu para gerar mais emprego e fixar população no concelho. Para isso, há que recolocar o comboio no coração de Viseu, dar continuidade ao projeto do IP3 e instalar novos equipamentos de saúde, uma área que terá desenvolvimentos em breve”, explica o antigo Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

Com a equipa de candidatos às 25 freguesias fechada*, João Azevedo considera que Viseu “pode e deve ser mais do que é, quer na região quer no país, sendo, para isso, necessária uma visão global, ampla e integrada do concelho, como um todo, desde o centro da cidade a todas as freguesias, em áreas como a habitação, a mobilidade, a coesão social, a inovação ou a valorização das suas marcas de identidade”. E acrescenta: “Sem egos ou partidos, o que está em causa é o futuro dos Viseenses. Assim, a minha candidatura parte de uma grande vontade de unir, mobilizar, ganhar com Viseu e por Viseu. Quero colocar a minha experiência profissional exercida nos centros de decisão, junto do Governo, em Bruxelas e na Região Centro ao serviço de Viseu”.

Política
Município de Mangualde decreta 3 Dias de Luto Municipal | Falecimento do Dr. Jorge Coelho

O Município de Mangualde recebeu, com enorme pesar, a notícia do falecimento inesperado do Dr. Jorge Paulo Sacadura Almeida Coelho.

Um Mangualdense ilustre, que ocupou altos cargos em funções de Ministro e de Conselheiro de Estado da República Portuguesa, político, gestor e empresário, defensor e embaixador do concelho de Mangualde e da região interior, onde fundou a Queijaria Vale da Estrela, demonstrando o carinho e apreço pela sua cidade e pelos seus conterrâneos.

Em reconhecimento e memória post mortem o executivo municipal decreta, a partir de hoje, três dias de luto municipal, entre o dia de hoje e o dia do seu funeral, que decorrerá no dia 10 de abril.

\"\"

 

\"\"

Nestes dias a bandeira do município será colocada a meia haste no edifício do Paços do Concelho.

O Município de Mangualde endereça as mais sentidas condolências à família enlutada e aos amigos mais próximos.